Sidebar

26
Dom, Maio

18ª Reunião da Direção Nacional da CTB

  • A Secretaria da Mulher Trabalhadora lança a oitava edição da revista Mulher de Classe no término dos debates da 18ª Reunião da Direção Nacional da CTB, nesta quinta-feira (10), em São Paulo.

    Celina Arêas, a secretária da Mulher Trabalhadora da CTB, lembrou dos princípios da central que mais cresce no Brasil em combater as desigualdades e em empoderar a mulher. "Nós somos mais de 51% da população, 48% no  mercado de trabalho e a nossa representação nas instâncias de poder é ínfima", diz.

    Para ela, "as eleições deste ano são fundamentais para mudarmos essa triste realidde. Mais mulheres na política é essencial para mudarmos a própria política e o país".

    lancamento mulher de classe 1

    Já Aires Nascimento, secretária adjunta da Mulher Trabalhadora da CTB, afirma que as mulheres não querem apenas cargos. "Nós queremos ser reconhecidas pelo valor que temos na luta e nas decisões da vida do país".

    Arêas explica que a Mulher de Classe em diversos temas relacionados ao mundo de trabalho e aos encaminhamentos para melhorar a vida de todas as pessoas no país.

    Marcos Aurélio Ruy - Portal CTB

     

  • Depois do lançamento paulista da oitava edição da revista Mulher de Classe, na 18ª Reunião da Direção Nacional da CTB, chega a vez do Rio de Janeiro. O evento acontece na sede do Conselho Estadual dos Direitos da Mulher (Cedim) do Rio de Janeiro, à rua Camerino, 51, centro da capital flluminense.

    “Aproveitamos a posse da nova direção do Cedim para lançar a Mulher de Classe e mostrar que estamos conectadas com os desejos das mulheres para a construção de um novo mundo”, afirma Kátia Branco, secretária da Mulher Trabalhadora da CTB-RJ.

    O lançamento será prestigiado com a presença de Celina Arêas, secretária nacional da Mulher Trabalhadora da CTB. “Conseguimos fazer a revista impressa em um sistema colaborativo, suplantando as adversidades e mostrando a força das mulheres e a nossa unidade para criarmos novas condições de vida, onde prevaleçam o respeito à nossa dignidade e aos nossos direitos”, diz Arêas.

    A Mulher de Classe terá seu lançamento às 10h30, antecedendo a posse das novas conselheiras do Cedim que acontece às 11h e conta com a participação da CTB-RJ. “Também é importante porque Helena Piragibe, da União Brasileira de Mulheres foi eleita presidenta do Cedim, representando uma grande vitória das mulheres de luta do Rio de Janeiro”, acentua Branco.

    Serviço

    O que: Lançamento da revista Mulher de Classe, da CTB

    Onde: Cedim (rua Camerino, 51, centro, Rio de Janeiro)

    Quando: Segunda-feira (14), às 10h30

    Quanto: De graça

    Marcos Aurélio Ruy – Portal CTB

  • No prosseguimento da 18ª Reunião da Direção Nacional da CTB, nesta quinta-feira (10), em São Paulo, Marcelo José Ferlin D’Ambroso, desembargador do Tribunal Regional do Trabalho – 4ª Região, em Porto Alegre, dissecou todos os malefícios da reforma trabalhista de Michel Temer.

    Para D’Ambroso, a “reforma trabalhista é inteiramente inconstitucional” porque identifica o direito como mecanismo de forçar a aceitação de leis impostas contra os interesses da classe trabalhadora.

    Um dos mecanismos identificados por ele é o de atacar o movimento sindical, para impedir a resistência aos desmandos do projeto neoliberal em curso com o golpe de Estado de 2016. Uma das medidas é o fim do imposto sindical. “Não há liberdade sindical sem contribuição sindical”, diz.

    reuniao ctb dambroso livro umberto

    D'Ambroso recebeu o livro "O Golpe do Capital Contra o Trabalho", de Umberto Martins, assessor da CTB

    De acordo com o desembargador, “os sindicatos são as principais referências das trabalhadoras e dos trabalhadores para preservar a democracia e o Estado Democrático de Direito”. Portanto, “os sindicatos não podem sofrer ingerência do Estado”.

    Para ele, a operação Lava Jato prejudica o país porque paralisou contratos da Petrobras e com isso colaborou com a quebradeira de empresas. “Em dois anos (de governo Temer) estamos num colapso institucional”. Ele vê esperança, no entanto, nas eleições deste ano. “Precisamos de candidaturas fortes de representantes da classe trabalhadora para ver se barramos essa ofensiva neoliberal”.

    Marcos Aurélio Ruy – Portal CTB