Sidebar

27
Qui, Jun

Ato Público Contra as Demissões

  • “É hora de união entre toda as trabalhadoras e trabalhadores da cadeia produtiva do alumínio, é momento de intensificarmos a mobilização para mantermos nossos empregos”, afirma Gilvandro Santa Brígida, presidente do Sindicato dos Químicos de Barcarena, no Pará. 

    Para isso, o SindQuímicos convida à participação do Ato Público Contra as Demissões, com concentração na sede do sindicato, na Vila dos Cabanos,em Barcarena, às 7h e em frente á 1ª Vara de Justiça do Trabalho de Abaetetuba. O sindicalista acentua a necessidade de união, porque “estão querendo impor os custos dos erros da empresa e dos órgãos de fiscalização sobre os ombros dos trabalhadores e o SindQuímicos não vai admitir que isso ocorra", garante.

    Ele explica ainda que a partir do momento em que a Justiça determinou um embargo de 50% da produção da mineradora norueguesa Hydro Alunorte por causa do transbordamento de rejeitos químicos nos dias 16 e 17 de fevereiro, o sindicato entrou com ação na Justiça para impedir demissões.

    Leia mais

    CTB-PA e SindQuímicos defendem novo modelo de desenvolvimento em audiência pública no Pará

    A 1ª Vara de Justiça do Trabalho de Abaetetuba (PA) atendeu ao pedido do sindicato e concedeu uma liminar não só preservando os postos de trabalho da empresa Hydro Alunorte, mas também da Albrás, de empresas terceirizadas e até as empresas localizadas em Paragominas, através do lastro jurídico.

    Mas Brígida denuncia que a Hydro questiona a liminar na Justiça, mostrando “que tem interesse em sacrificar suas trabalhadoras e trabalhadores com a ameaça real de demissão”. De acordo com ele, a empresa quer “transferir os custos do embargo a quem não tem nenhuma culpa sobre o ocorrido, aos trabalhadores”.

    A direção do SindQuímicos organiza a categoria para a resistência. “Só a mobilização massiva e organizada da classe trabalhadora pode garantir sobrevida à liminar permitindo a integridade dos postos de trabalho, não podemos abrir mão do trabalho”, sinaliza Brígida.

    E complementa chamando as trabalhadoras e trabalhadores a participar ativamente da campanha pelo emprego.  “Não cruze os braços, faça parte dessa corrente e esteja presente e ajude a mobilizar colegas no ato em defesa da liminar que garante a manutenção dos postos de trabalho”.

    Portal CTB com informações da CTB-PA

  • Revoltados com o não-pagamento do saldo de salários e rescisão, cerca de 200 operários demitidos do Grupo Fator, dentre esses 100 demitidos há mais de três meses, realizaram na manhã desta segunda (10), um protesto em frente à empresa, na Avenida Magalhães Neto, Loteamento Aquárius (Pituba). A direção do SINTRACOM-BA estava presente, junto com os trabalhadores (as).
     
    O presidente do Sindicato dos Trabalhadores na Indústria da Construção e da Madeira no Estado da Bahia (Sintracom-BA), José Ribeiro, informou que o Sindicato cobrou uma solução dos responsáveis pela empresa, mas não houve avanço. Na próxima sexta-feira, dia 14/12, às 10 horas, tem uma reunião marcada no Ministério Público do Trabalho (MPT), no Corretor da Vitória, e a expectativa é que a questão seja resolvida e os direitos dos trabalhadores (as).
     
    PHOTO-2018-12-10-10-26-47[1]
     
    PHOTO-2018-12-10-10-26-47
     
    PHOTO-2018-12-10-10-01-06>
     
     
    PHOTO-2018-12-10-09-35-29
     
  • A política de desmonte do Estado de São Paulo corta de onde mais o povo precisa - educação, saúde, mobilidade urbana e segurança pública. Os dados assustam. Entre 2011 e 2017, o estado perdeu 122,4 mil servidores públicos ativos, uma redução de 734,5 mil para 602,5 mil, nas mais diversas áreas.

    Todavia, a gestão Alckmin reforçou as contratações dos terceirizados - com jornada maior, salário menor e sem direitos. Os gastos aumentaram, nesse período, de R$ 10 bilhões para R$ 11,4 bilhões por ano.

    Ao comentar os dados, a deputada estadual Leci Brandão (PCdoB/SP) credita a triste realidade ao projeto sem compromisso do PSDB para São Paulo. Segundo a parlamentar, é claro o descaso com os servidores e servidoras públicos e esse descaso é ainda maior com o povo que tanto sofre com a redução do quadro de funcionários, como com a piora do serviço.

    Brandão diz que a estratégia deixa claro o objetivo final do governo estadual: privatizar tudo.

    Portal CTB - Com informações das agências