Sidebar

26
Qua, Jun

Diretas Já

  • O Twitter brasileiro se inflamou nesta terça-feira (27) com o recebimento da denúncia criminal contra Michel Temer na Comissão da Constituição e Justiça do Senado. Sob a hashtag #ForaTemer, dezenas de milhares de pessoas pediram a saída imediata do golpista e #DiretasJá.

    O termo chegou ao 2º lugar nos Trending Topics mundial por volta das 16 horas, liderado pelos usuários brasileiros. Além da peça de acusação da Procuradoria-Geral da República, muitos citaram o discurso arrogante de Temer no início da tarde, em que ele diz que “nada o destruirá” e chama o governo russo de “soviético”.

    Entre as lideranças que se manifestaram, estavam os presidentes Lula e Dilma, que chamaram a atenção para o fato de Temer ser o primeiro presidente da história do Brasil a ser acusado de um crime comum enquanto está no poder. A presidenta Dilma foi além, com uma série de tweets que evidenciam a forma desonesta pela qual Temer chegou ao Planalto:

    dilma tweets golpe

    Já o ex-presidente Lula aproveitou o momento inflamado para pedir a renúncia de Temer. Para o líder petista, a situação política só se resolverá com a convocação de novas eleições. Ele usou seu perfil no Facebook para mandar a mensagem:

    Portal CTB

  • O Rio de Janeiro amanheceu em lutas nessa manhã do dia 30. O Dia Nacional de Lutas e Paralisações contra as Reformas da Previdência e Trabalhista agitou as ruas do norte ao sul fluminense, num grande levante da classe trabalhadora que pedia o fim das reformas, o Fora Temer e a realizações de eleições diretas para presidente.

    “Nesse dia 30 de junho os trabalhadores e as trabalhadoras foram à luta contra Temer, por nenhum direito a menos e por diretas já. No Rio de Janeiro a CTB assumiu com muita garra e protagonismo seu papel nessa jornada de lutas. Desde as primeiras horas da manhã desse dia os cetebistas de vários municípios do Estado foram para as ruas, pararam fábricas, empresas, bancos e fizeram enormes trancaços demonstrando toda nossa garra e revolta contra essa onda golpista que tomou conta do nosso país. Que esse governo ilegítimo está podre todos nós sabemos. Mais de 90%de rejeição. Precisamos transformar essa rejeição em luta. Transformar esse repúdio numa grande ofensiva das massas nas ruas”, afirmou o presidente da CTB-RJ, Paulo Sérgio Farias

    macae greve geral ctb rj 30 06 2017Greve geral paralisa as atividades em Macaé, no Rio de Janeiro

    Desde as 2h30 da madrugada, mobilizações já eram registradas em diversos pontos do estado. Os metalúrgicos do Sindicato dos Metalúrgico de Angra dos Reis, liderados pelo Diretor de Formação e Cultura da CTB-RJ, Thiago Rios, fecharam a Avenida Rio-Santos na altura da entrada de Angra dos Reis dando um grande nó na cidade. Em Campos também houve fechamento de estadas exigindo o Fora Temer e Eleições Diretas Já.

    Ainda na madrugada, às 4h os dirigentes do Sintect-RJ bloquearam as entradas do Complexo de Benfica, garantindo a paralisação dos trabalhos na maior unidade dos Correios da cidade. Na pauta, além do combate às reformas do governo golpista, a luta contra a privatização dos Correios e a exigência de Diretas Já para presidente.

    Às 5h da manhã, em atividade unitária do Sindicato dos Metalúrgicos do Rio de Janeiro e do Sintsama, Ceadaenos e Metalúrgicos fecharam por horas a Avenida Brasil contra o governo golpista de Michel Temer, contra os ataques de Pezão à classe trabalhadora e contra a privatização da Cedae. Em outro ponto da cidade, na Linha Vermelha, manifestantes também fecharam o trânsito mas foram duramente reprimidos pelo batalhão de choque. Atos também foram registrados nos dois aeroportos da cidade.

    Em Niterói, desde cedo, foi fechado quase que na totalidade o acesso às Barcas, o Terminal Rodoviário ficou vazio e a avenida do Contorno foi completamente bloqueada. Os manifestantes seguiram em ato pela Rua da Conceição, passando pela Câmara de Vereadores e seguindo até o Hospital Universitário Antônio Pedro (HUAP). O acesso à Ponte Rio-Niterói também ficou fechado por um trancaço realizado pro estudantes e sindicalistas.

    No começo da manhã, dirigentes da CTB, dos Portuários e de sindicatos Filiados começaram um trancaço na altura da Rodoviária Novo Rio que seguiu em ato até a descida da Ponte Rio-Niterói. Trabalhadores da Educação garantiram o fechamento de escolas. Os servidores da saúde, militantes classistas do núcleo da CTB no Sindsprev, também pararam suas atividades e foram às ruas conta as reformas do governo golpista. Os bancários garantiram o fechamento de todas as agências do centro da cidade do Rio de Janeiro.

    campos ctb rj greve geral 30 06 2017

    Campos (RJ) amanheceu parada neste dia de lutas contra as reformas previdenciária e trabalhista e por Diretas Já

    “Nossa mobilização hoje foi muito grande. Conseguimos fechar todas as agências bancarias e estamos conversando com a população sobre a necessidade de se enfrentar as reformas e derrubar esse governo golpista. Mais tarde, às 15 horas, estaremos com o Comitê das Mulheres pelas Diretas Já construindo um grande ato na Candelária para fechar com chave de ouro esse grande dia de greves, lutas e mobilizações”, afirmou Kátia Branco, secretária da Mulher Trabalhadora da CTB-RJ e dirigente do Sindicato dos Bancários. 

    Em Macaé, as bases do Sindiguarda, entidade filiada à CTB, cruzaram os braços e fizeram atos nas principais vias da cidade protestando contra as reformas da previdência e trabalhista.

    Às 16 horas está marcado o encontro de todas as mobilizações do estado para um grande ato contra as reformas da previdência e trabalhista, contra os ataques do governo Pezão contra a classe trabalhadora e os servidores do estado, pelo Fora Temer e exigindo a realização de eleições diretas já!

    José Roberto Medeiros - CTB-RJ

  • Alceu Valença com Elba Ramalho e Geraldo Azevedo durante o show em Olinda (FOto: Classic Hall/Divulgação)

    O cantor e compositor pernambucano Alceu Valença engrossa a fileira de artistas a favor da saída de Michel Temer e da aprovação da Proposta de Emenda à Constituição que institui eleições diretas, caso Temer deixe a Presidência.

    Valença gravou um vídeo defendendo as Diretas Já, após ter feito a discussão com o público em seu show d'O Grande Encontro em Pernambuco, no Classic Hall, em Olinda. "Será que não seria necessário fazer uma PEC (Proposta de Emenda à Constituição) para fazer eleições diretas?", pergunta.

    Assista Alceu Valença

     

    E complementa seu raciocínio afirmando que "a gente precisa respeitar as posições, mas serem colocadas posições com muita lógica, para que a gente não transgrida a lógica". Acontece também em Olinda neste domingo (4), às 15h o espetáculo político-cultural “Não me venha com indiretas”, na Praça do Carmo.

    "A retomada da discussão sobre as Diretas no Brasil é um tema de total urgência. Nosso objetivo é amplificar essa discussão de forma aberta e democrática e colaborar com uma rede nacional que já vem se articulando com eventos em diversos lugares do país", defende o produtor cultural Leo Antunes.

    Porto Alegre

    Artistas gaúchos pedem apoio financeiro através do site www.vakinha.com.br para a realização do show-político que acontecerá no domingo (11) em Porto Alegre. “A superação da grave crise política e institucional pela qual passa nosso país somente será possível com a convocação de novas eleições. Para defender as Diretas Já, artistas gaúchos promovem ato-show no dia 11, às 11h, na Redenção (Parque Farroupilha)”, diz em texto de apresentação do evento.

    Colabore pelo link a seguir

    www.vakinha.com.br/vaquinha/ato-show-pelas-diretas-ja

    Já confirmaram presença par cantar pela democracia e pelas Diretas Já em Porto Alegre os artistas Ernesto e Bagre Fagundes, Duca Leindecker, Richard Serraria, Bebeto Alves, Conjunto BlueGrass Portoalegrense, Duda Calvin, Solon Fishbone, Ique Gomez, Orquestra de Brinquedos, Luciano Leoes e quem mais aparecer.

    Periferia do Rio de Janeiro

    suburbio pelas diretas

    Artistas da periferia carioca lançam o movimento Subúrbio Pelas Diretas e saem nas ruas neste domingo (4), com concentração às 14, no portão do Parque Madureira (shopping). Depois ocorre uma caminhada até a Praça Paulo Portela e às 17h iniciam as apresentações musicais e dos coletivos culturais, intermediadas com discursos políticos. A festa promete alegria e reflexão até as 20h.

    São Paulo

    Mesmo com mentira veiculada pela mídia burguesa, a capital paulista recebe grandes artistas já confirmaram presença, entre eles: Chico César, Maria Gadú, Criolo, Tulipa Ruiz e Emicida, no Largo da Batata, em Pinheiros (zona oeste), a partir das 11h. Temer já treme.

    Saiba mais

    Monica Iozzi e Wagner Moura convidam para o SP Pelas Diretas Já neste domingo (4). Assista! 

    Show pelas Diretas Já chega a São Paulo neste domingo (4). Compareça!

    Portal CTB – Marcos Aurélio Ruy

  • Nesta segunda-feira (24), a APLB – Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado da Bahia comemora 65 anos de “defesa da educação pública gratuita, de qualidade e laica”, explica Rui Oliveira, primeiro secretário da APLB.

    Oliveira conta que a entidade nasceu como Associação dos Professores Licenciados do Brasil – seção Bahia. Transformou-se em sindicato das educadoras e educadores do ensino básico de todo o estado em 1989 (saiba a história completa aqui).

    De acordo ele, a APLB faz parte da história da Bahia porque “esteve presente nas mais importantes lutas de resistência à ditadura (1964-1985), na campanha das Diretas Já e na resistência ao golpe de 2016 que visa acabar com a educação pública e com os direitos da classe trabalhadora”, afirma.

    Marilene Betros, secretária de Assuntos Jurídicos, concorda com o primeiro secretário e realça as importantes conquistas dos docentes baianos com a perseverança da APLB. “Hoje temos uma carreira estruturada e participamos em todas as campanhas contra os ataques à educação”, diz.

    Já Oliveira reforça o caráter de luta da entidade. “Às 18h, desta segunda estaremos inaugurando o novo portal do sindicato para termos mais agilidade na comunicação (leia aqui), fator importante para enfrentar a nova conjuntura do país”.

    Segundo ele, a APLB tem 90 mil filiados, sendo o maior sindicato da Bahia e um dos maiores do país. Na terça-feira (25), às 9h, ocorre ato ecumênico (veja aqui) e na quinta-feira (27), uma sessão solene (se ligue aqui), capitaneadas pela deputada Fabíola Mansur (PSB) e deputado Fabrício Falcão (PCdoB), na Assembleia Legislativa, às 9h.

    “Nunca nos prendemos às lutas corporativas somente. A APLB participa ativamente de todas as campanhas por um país livre e soberano, com uma educação pública valorizada, fundamentada no diálogo, na liberdade e na defesa dos valores civilizacionais”, diz Betros.

    Já Oliveira afirma que a "nossa maior comemoração será na sexta-feira (28) nas ruas e de braços cruzados, contra as reformas da maldade do presidente golpista temer".

    Portal CTB – Marcos Aurélio Ruy

  • Com a conclusão do 55º Congresso da União Nacional dos Estudantes (UNE), a entidade publicou uma resolução de conjuntura reafirmando o Fora Temer e Diretas Já. O documento foi aprovado na plenária final do encontro, neste sábado (17), em Belo Horizonte.

    O documento indica que “a UNE, deve defender as Diretas Já também para que o povo eleja um presidente que possa convocar uma assembleia constituinte soberana, eleita sob novas regras, sem financiamento empresarial, única forma de anular as medidas dos golpistas (PEC do limite de gastos, reforma do ensino médio, entrega do Pré-Sal) e abrir caminho para as reformas populares, como a reforma agrária, a regulamentação da mídia, a reestatização do que foi privatizado, e as mais profundas demandas da juventude como a desmilitarização da polícia, a retomada da expansão das universidades públicas, o passe livre estudantil, entre outras”.

    Leia também: Dirigente da CTB debate as reformas trabalhista e previdenciária no 55º Congresso da UNE

    O texto intitulado “A unidade é a bandeira da esperança – venceremos nas ruas!” reafirma o empenho da UNE na construção das Frentes Brasil Popular e Povo sem Medo, como espaços de construção unitária de ação política do povo, e convoca os estudantes e movimentos sociais, também para a manifestação do dia 11 de agosto, dia do estudante.

    A diversidade do pensamento político da juventude foi ouvida no plenário do ginásio do Mineirinho, lotado. Foram apresentados outros oito documentos de resolução de Conjuntura. O documento aprovado, na íntegra, será publicado no site da UNE nos próximos dias.

    Do Vermelho

  • Já está no ar o site 342agora.org.br com os contatos de todos os deputados federais, separados em favor a que o presidente ilegítimo Michel Temer seja julgado pelas acusações que lhe são imputadas, contra a aceitação desse julgamento e um grande número de indecisos.

    Os organizadores do site afirmam que essa plataforma “é o resultado de diversos encontros e reuniões da classe artística e de formadores de opinião que se reúnem nesse momento para pressionar a investigação sobre o presidente Michel Temer”.

    Assista e apoie: 

    Como diz o ator Silvero Pereira, é a primeira vez que um presidente é acusado de prática de crime comum. A cantora Teresa Cristina reafirma que se é a primeira vez o Congresso tem que autorizar o seu julgamento.

    O compositor e cantor Criolo complementa dizendo que “já demorou essa caminhada” de um presidente ilegítimo que se apoderou do poder sem voto. Para Pereira, tirar o Temer significa renovar a “esperança de termos uma democracia de fato”.

    Já o cartunista Ziraldo anuncia que “nada temos a perder, a não ser o Temer ainda no poder”. Enquanto o roqueiro Tico Santa Cruz, do grupo Detonautas, quer a união de quem tem interesse em defender “o futuro do Brasil”. Um futuro digno para todas e todos.

    A secretária de Formação e Cultura da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), Celina Arêas, saúda a iniciativa dos artistas. “A classe artística tem dado sinais de estreita ligação com os interesses da classe trabalhadora e do país. Ainda mais neste momento crucial para a vida da nação. Por isso, lutamos pelo Fora Temer e por Diretas Já”.

    Todos pelo Fora Temer e Diretas Já: 

    Porque não é correto que “alguns políticos sejam julgados e até afastados e outros não”, reforça o cantor e compositor Jorge Vercillo. “Todos que desejam uma sociedade mais justa”, afirma a cantora Vanessa da Mata, devem pressionar “os deputados para que Michel Temer seja julgado”, complementa a atriz Glória Pires.

    Portal CTB – Marcos Aurélio Ruy

  • No Festival de Gramado, cineastas gritam "Fora Temer" e pedem Diretas Já

    Em diversos cantos do planeta, artistas brasileiros se unem ao povo e aderem ao coro de “Fora Temer”. No Festival de Cinema de Petrópolis (RJ), o ministro golpista da Cultura, Marcelo Calero, foi escrachado e teve de se retirar chamado de golpista. Os cineastas gritavam também “fascistas não passarão”.

    Assista 

    Na cerimônia de entrega da premiação do Festival de Cinema de Gramado (RS), a equipe do Melhor Curta-Metragem, "Rosinha" (Foto no destaque), convidou os presentes a subirem ao palco e defenderam a democracia e puxaram o “Fora Temer”. Com faixas com a nova palavra de ordem das forças populares: Diretas Já, vontade expressa em pesquisas da maioria da população.

    Assista manifestação dos artistas em Gramado (RS) 

    Criolo em Portugal

    criolo fora temer portugal

    Criolo com fãs em Portugal: "Não se calem"

    O músico paulista Criolo fez a sua parte na Festa Avante, em Lisboa, Portugal, um dos maiores eventos comunistas do mundo, e denunciou o golpe na jovem democracia brasileira. Ele pediu para as pessoas não se calarem diante do golpe e tirou foto com fãs com uma faixa escrito “Fora Temer”. Ele assinou a faixa com a poesia abaixo:

    “De tanta luz se sonha
    Um tanto a mais de amor
    Pois o nosso sal de cada dia
    Não mais me desse ou desce a democracia.”

    Em Paris, o público que acompanhava show de Caetano Veloso na “Lavagem de Madeleine (igreja)”, considerado o maior evento de brasileiros na Europa, puxou o “Fora Temer”, que contou com a adesão do compositor baiano.

    Assista Caetano Veloso em Paris  

    Depois do golpe, em artigo publicado neste domingo (4), dia de grandes manifestações contra o golpe em todo Brasil, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso prega o diálogo PT-PSDB para “frear” as manifestações contra o governo Temer golpista.

    Papa Francisco 800x566

    Papa Francisco reza pelo Brasil e pensa em não vir ao país

    O Papa Francisco afirmou neste sábado (3), em uma cerimônia no Vaticano, que o “Brasil passa por um momento triste”. Além disso, segundo agência italiana de notícias, o Papa põe em dúvida a sua programada visita ao país em 2017. Francisco disse “rezar para Deus dar paz e harmonia ao Brasil”.

    Marcos Aurélio Ruy - Portal CTB com agências

  • Ao se aproximar do desfile oficial do Dia da Independência, nesta quarta-feira (7), em São Luís, os manifestantes do Grito dos Excluídos, que neste ano adotaram o “Fora Temer” e a bandeira das Diretas Já contra o golpe parlamentar que afastou Dilma da Presidência, quase foram impedidos de continuar o percurso pela Polícia Militar.

    Os organizadores fizeram um vídeo sobre o entrevero, que foi superado após negociação com a PM e o protesto pôde continuar livremente. Como deve ser em qualquer democracia. e os centenas de militantes puderam realizar o protesto sem violência.

    Veja como a PM do Maranhão age com espírito democrático 

    Portal CTB

  • Após a repercussão do escândalo envolvendo o governo Temer, as ruas do centro de Belo Horizonte foram tomadas na última quinta-feira (18). Manifestantes exigiam a saída do presidente corrupto e ilegítimo e eleições diretas. Convocado pelas centrais sindicais e por eventos na internet, o protesto reuniu cerca de 50 mil pessoas. O tom do protesto foi o fim do governo golpista. A manifestação começou logo após o pronunciamento de Temer que não renunciaria, mas a percepção nas ruas é de que o (des)governo não tem condições de permanecer. Para aumentar a pressão, outra manifestação foi realizada no domingo na Praça da Liberdade.

    A Praça 7, palco de inúmeras manifestações, foi pouco a pouco sendo ocupada por estudantes, trabalhadores(as) de várias categorias e aposentados(as). Em seguida, uma multidão saiu em passeata pelo centro da capital mineira sob os gritos de "Diretas Já!" até chegar à Praça da Estação. Participaram do ato dezenas de lideranças políticas mineiras e nacionais, como a senadora pelo Paraná Gleisi Hoffmann.

    O ato em Minas também teve o reforço da indignação com os senadores mineiros envolvidos nos escândalos, Aécio Neves e Zezé Perrella. Aécio Neves já vinha perdendo prestigio em seu terreno eleitoral e os grampos noticiados nesta quinta se unem à diversas denúncias de corrupção e envolvimento com tráfico que ronda a vida pública do senador, agora afastado.

    A prisão da irmã de Aécio, Andrea Neves também foi bastante repercutida nos protestos mineiros. Andrea Neves tinha muita influência nos veículos de comunicação mineiros e era conhecida como a responsável por censurar os jornalistas para evitar notícias que desagradassem Aécio. Denúncias de jornalistas a época mostravam a dificuldade de furar o bloqueio e sair da pauta imposta das Minas das maravilhas, como se referiam nos bastidores. Com esse sentimento de liberdade, profissionais da imprensa lotaram o Sindicato dos Jornalistas de Minas Gerais (SJPMG) em uma festa Vai Censurar o Carcereiro!, organizada pela entidade.

    O foco do protesto se manteve na saída do Michel Temer e na ilegitimidade desse governo seguir com penalizando a classe trabalhadora, com a imposição das reformas que aniquilam direitos sociais, a revelia da quadrilha que tomou de assalto o poder.

    Da CTB-MG
    Foto: Isis Medeiros

  • A Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil na Bahia (CTB-BA) convoca os sindicatos de Salvador e Região Metropolitana para participar do desfile do 2 de julho, Dia da Independência da Bahia.

    A concentração do bloco da CTB-BA começa às 7h, em frente à estátua de Maria Quitéria, na Praça da Soledade, centro de Salvador. Neste ano, a ideia é unir todos os sindicatos para sair junto, criando um grande bloco dos trabalhadores e trabalhadoras.

    A agenda da classe trabalhadora é o tema principal do bloco da CTB-BA no desfile, além da luta contra as reformas trabalhista e previdenciária e a terceirização ilimitada. O bloco também levantará a voz por Diretas Já.

    Ao final do desfile será realizado um ato político, com apresentações culturais e fala de lideranças, às 13h, no Terreiro de Jesus no Pelourinho, centro da capital baiana, mais uma vez.

    Ouça o Hino ao 2 de julho, Hino da Bahia 

    A história do 2 de julho

    Anterior à declaração da Independência do Brasil por Dom Pedro I, em 7 de setembro de 1822, os baianos já se levantaram contra a coroa portuguesa em 19 de fevereiro do mesmo ano.

    Após a declaração de Independência por Dom Pedro, vários conflitos localizados se espalharam pelo país para a consolidação do processo emancipador.

    Na Bahia, a guerra terminou com a vitória dos baianos somente em 2 de julho de 1823, quando a então província ficou livre dos portugueses e se incorporou à unidade nacional brasileira.

    Quase 200 anos depois, os baianos saem às ruas para defender a nação, a democracia, as conquistas da classe trabalhadora, a justiça e a liberdade.

    Portal CTB com informações da CTB-BA

  • "Na greve geral de 28 de abril, os trabalhadores e trabalhadoras do setor privado de ensino foram uma das categorias de destaque na mobilização que parou o país", diz texto de panfleto da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino (Contee).

    Leia a íntegra abaixo:

    panfleto contee

  • Mais de 100 mil pessoas lotaram a praia de Copacabana para um ato show em defesa das diretas Já para Presidente da República. Mais de trinta anos depois, novamente o povo brasileiro tem que tomar as ruas para defender a democracia e seu direito de escolha. Foi com essa missão que trabalhadores e trabalhadoras de todoso s cantos da cidade se dirigiram até Copacabana para protestar contra o presidente golpista e ilegítimo Michel Temer, neste domingo (28). Com bandeiras, faixas e cartazes, os manifestantes exigiram a saída de Temer e eleições diretas no país. O ato foi marcado por shows de diversos artistas, como Criolo, Teresa Cristina, Mart’nália, Cordão do Bola Preta, Caetano Veloso, Milton Nascimento, B Negão e mais dezenas de artistas que se apresentaram e se engajaram na luta pela democracia.

    Além dos artistas, estivaram presentes na atividade intelectuais, líderes sindicais, servidores e representantes de partidos. A concentração começou às 11h, na Rua Siqueira Campos e se alastrou pela avenida atlântica, colorindo as ruas de Copacabana com as cores da luta pela democracia. O Secretário de Comunicação e Imprensa da CTB-RJ, Paulo Sérgio Farias, comentou sobre a atividade:

    “Hoje é mais um dia de luta do povo do Rio de Janeiro. O Rio de Janeiro sempre foi protagonista das lutas libertárias do nosso povo. Uma capital culturalmente engajada, vanguardista nas lutas em defesa da democracia, e não podia ser diferente que estamos vivendo no Brasil. O Rio de Janeiro chama esse ato hoje, na praia de Copacabana, com artistas, com as centrais sindicais, com partidos políticos e movimentos sociais para ratificar a posição em defesa das eleições diretas porque esse é o único caminho que temos para retomar o rumo do desenvolvimento do nosso país, com um governo legitimamente eleito pelo povo e para que, seja, dessa forma, um país a encontrar seu real caminho, o caminho da soberania nacional, um caminho tocado pelo povo. O povo nas ruas do Rio de Janeiro mais uma vez diz sim às Diretas Já e à Democracia.”

    No palco, o ator Wagner Moura, foi um dos artistas que falaram ao povo defendendo a luta em defesa do Fora Temer e das Diretas Já. Ele lembrou da luta contra o golpe antes dele se consolidar e criticou as reformas trabalhista e da previdência:

    “Nós, que no ano passado estivemos na rua contra o golpe que levou Temer à presidência, agora temos o segundo round. Não é possível Temer continuar, nem esse Congresso escolher seu substituto. Pode não ser ilegal, mas é imoral e ilegítimo. E o ovo da serpente são essas reformas trabalhista e previdenciária”, afirmou o ator em discurso no palco."

    Outra representante da classe de artistas que se manifestou foi a poetisa e atriz Elisa Lucinda que também defendeu a saída de Temer: “Esse momento é crucial, nós estamos sendo violentados”, afirmou, antes de declamar uma poesia que discorre sobre corrupção e falta de dinheiro para educação e saúde.

    copacabana diretas ja maio 2017 2O evento foi o maior de todos os aconteceram no domingo

    Parlamentares dos mais diversos partidos de esquerda também marcaram presença no ato. O deputado federal Wadih Damous (PT-RJ) disse que mesmo se a eleição direta para presidente nesse momento não for instituída, a mobilização popular é importante. “Em 1984 não conseguimos aprovar (a eleição direta), mas o movimento popular acelerou o fim da ditadura e as conquistas da Constituição de 1988.”

    A deputada federal Jandira Feghali (PCdoB) também fez um discurso em defesa da unidade do povo na luta por democracia e por eleições diretas, mas não poupou críticas também à situação que vive o povo do Rio de Janeiro, lembrando da crise que passa o Estado e defendendo, além do Fora Temer, o Fora Pezão:

    “O povo não quer ver sequestrado seu direito previdenciário, seu direito trabalhista e nem ver seu direito de escolha numa democracia sequestrada por uma quadrilha que está no Planalto e por uma quadrilha que está no governo do Estado do Rio de Janeiro. Eu digo em bom som para essa quadrilha dirigida pelo PMDB no Rio e em Brasília, junto com essa tucanagem: Fora Pezão, Fora Temer, devolvam os direitos do povo brasileiro."

    Por José Roberto Medeiros, da CTB-RJ
    Fotos: Bruno Bou/Diretas Já

  • Acostumado a enfrentar a censura da ditadura civil-militar (1964-1985), o cantor, compositor e escritor Chico Buarque foi censurado pelo jornal O Globo, da família Marinho. A assessoria do artista conta que a redação do diário carioca encomendou uma declaração de Chico sobre a condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, pelo juiz Sergio Moro.

    Ironicamente, Chico enviou por e-mail a frase “O Globo faz a diferença” e acrescentou “quero que publiquem”. Os editores entenderam o recado. Não publicaram a frase do artista por perceber a alusão feita ao prêmio anual “Quem faz diferença”, do jornal dos Marinho.

    Isso porque em 2015, o juiz curitibano de primeira instância ganhou como a Personalidade do Ano, justamente por seu trabalho na operação Lava Jato. Com essa fina ironia Chico Buarque condena a atuação de Moro e de O Globo, totalmente partidários contra o ex-presidente.

    A declaração de Chico sairia publicada nesta sexta-feira (14), juntamente com as de Beth Carvalho, Zé Celso, Kleber Mendonça Filho e Silvia Buarque, entre outros. “Um absurdo que isso aconteça nesse mesmo momento em que perdemos as conquistas de Getúlio Vargas para os trabalhadores. Lula foi condenado sem provas, não querem que ele seja candidato a presidente, sabem que ele vai ganhar a eleição”, diz a cantora Beth Carvalho.

    Um recado de Chico Buarque a ditadores de plantão: 

    Já o cineasta Kleber Mendonça Filho, afirma ser “uma vergonha, mais uma num país que desrespeita cada vez mais a cidadania”. Enquanto o teatrólogo José Celso Martinez Correa afirma que “para realizar seu grande sonho – ou melhor, seu marketing –, Moro decreta a prisão de Lula, justamente quando é julgado o Fora Temer, e a maioria do povo brasileiro quer Diretas Já”.

    O cineasta Luiz Carlos Barreto também critica o fato de Moro ter declarado a sentença no dia seguinte à aprovação da reforma trabalhista, que já configura um golpe muito duro contra o povo brasileiro. “No dia seguinte em que se aprova a reforma trabalhista, que fez o Brasil regressar à era pré-Revolução Industrial da Inglaterra, condenar sem provas o maior líder popular do país é um complô de agitação para jogar o Brasil numa convulsão social”.

    Para a atriz Silvia Buarque, filha de Chico, “é uma condenação que já estava prevista por conta do golpe que afastou Dilma Rousseff da Presidência”.

    O jornal O Globo tentou mostrar “isenção” ouvindo artistas que condenam o modus operandi do juiz Sergio Moro, mas a sagacidade de Chico Buarque, mais uma vez desmontou essa farsa.

    Durante a outra ditadura Chico inventou muitas maneiras de enganar a censura e denunciá-la, agora denuncia a censura de quem vive falando em “liberdade de expressão”, quando o assunto é democratização dos meios de comunicação.

    Portal CTB – Marcos Aurélio Ruy com Brasil 247, O Cafezinho, Portal Vermelho e O Globo. Foto: Mídia Ninja

  • O Dia Nacional de Paralisação, nesta quinta-feira (22), começou cedo em Vitória, capital do Espírito Santo. Às 9h, mais de 1.000 pessoas da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB) e da Central Única dos Trabalhadores (CUT) protestavam contra as reformas recessivas do governo golpista de Michel Temer.

    “Nos concentramos em frente à Assembleia Legislativa (do estado) em defesa dos direitos trabalhistas, contra a reforma da Previdência e contra a PEC 241, que pretende congelar os direitos trabalhistas e os programas sociais por 20 anos”, diz Jonas Rodrigues De Paula, presidente da CTB-ES.

    Para ele, a manifestação está servindo como “preparação para a greve geral para defendermos os nossos direitos, que conquistamos a duras penas. Além de defendermos a democracia e as Diretas Já para o país voltar ao rumo do desenvolvimento autônomo”.

    Portal CTB

  • O instituto de pesquisas Vox Populi divulgou neste sábado (30) um levantamento onde revela queda substancial na popularidade do ainda vice-presidente Michel “vaza” Temer.

    Para 32% dos 1.523 entrevistados em 97 municípios, entre os dias 27 e 28 de abril, a situação vai piorar num eventual governo golpista com Temer à frente. Os parlamentares também não são bem avaliados.

    A maioria já começa a enxergar que o golpe não é a melhor solução, 66% pensam assim, principalmente depois de a mídia golpista começar a publicar as propostas de um suposto governo Temer.

    Para 29% o desemprego vai aumentar, enquanto 34% acredita que os programas sociais piorarão e 32% acham que os direitos trabalhistas serão prejudicados.

    A atuação dos deputados federais na votação da aceitação do pedido de impeachment no domingo (17) foi reprovada por 56% dos pesquisados. Sendo que 22% acham que nem deputados, nem senadores das atuais legislaturas estão à altura das necessidades do país.

    Por isso, 61% acreditam que a melhor solução seria a realização de novas eleições. Para Nivaldo Santana, vice-presidente da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil, o fato se explica “diante do impasse político vivido pelo país".

    Assim, para ele, "a solução mais adequada é resgatar a soberania popular para definir o futuro do país”. Uma proposta que está na ordem do dia, segundo Nivaldo, é a realização “de um plebiscito para o povo decidir se quer as diretas já ou não”.

    Portal CTB – Marcos Aurélio Ruy

  • Por volta das 6 horas, desta sexta-feira (30), a CTB-ES e as demais centrais sindicais se reuniram na Rodoviária de Vitória em função da Greve Geral, com o objetivo de protestar principalmente contra a reforma da previdência, a reforma trabalhista e o governo do atual presidente, que trata a classe trabalhadora com descaso.

    A classe trabalhadora saiu em caminhada pelas ruas da capital e durante o percurso, foi acompanhada pela tropa de choque, tudo parecia bem tranquilo, até que a tropa resolveu lançar bomba de efeito moral e gás lacrimogênio nos trabalhadores que manifestavam, causando grande desconforto.

    “A agonia foi da Rodoviária até o Hospital São Lucas (Instituição de ensino). Eles pareciam ter um estoque novo pra gente.”, afirmou Paula Jenaina, que acompanhou todo o trajeto.

    Além da CTB- ES, estavam reunidos a Fetraee (Federação Estadual dos Trabalhadores em Estabelecimento Privado no Ensino do ES), a CUT (Central Única dos Trabalhadores) e sindicatos como Sinpro-ES, Sindeducação, Sindseg, Sindiupes, entre outros.

    Cabe um destaque especial ao manifestante do SindRodoviários. O sindicado não aderiu a greve, mas o trabalhador fez questão de parar, acompanhar a manifestação e ainda dar uma fala em frente à sede do seu sindicato em forma de protesto e indignação.

    Os trabalhadores agora seguem para a Assembleia Legislativa, onde às 12h acontecerá um ato reunindo todas as centrais e os movimentos sociais.

    Karol Siqueira - CTB-ES

  • A atriz Débora Bloch foi ao programa Estúdio 1 da emissora golpista Globonews falar sobre a série “Justiça”, da Rede Globo.

    Durante a entrevista, ela disse estar "um pouco chocada" do nosso voto não ter valor. "Eu acho que a gente deveria ter Diretas Já”, afirmou. “Lutamos tanto para conquistar isso [o voto]. Teve o impeachment, então agora vamos votar em quem a gente quer para presidente”.

    O ator Jonas Bloch, pai da atriz, foi mais incisivo. Em vídeo, ele detona os golpistas e pede Diretas Já "mas não para manter essa corja no poder".

    "Eles estão provocando a onça com vara curta", afirma ele, sobre o que o governo golpista vem anunciando que vai fazer com os direitos do povo e da classe trabalhadora.

    Assista Jonas Bloch 

    Com muito bom humor, artistas realizam mais uma manifestação pelo "Fora Temer" na 32ª Bienal de São Paulo, no Parque Ibirapuera, na capital paulista. 

    Confira protesto irreverente da Bienal de São Paulo 

    Em Uberlândia, Minas Gerais, protesto com encenação artística, confira abaixo. 

    Portal CTB

  • 40 mil pessoas lotaram o Centro de Belo Horizonte na última sexta-feira (16) para pedir Diretas Já e Fora Temer. O ato, organizado pela União Nacional dos Estudantes e pelas Frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo, uniu juventude, artistas e trabalhadores a favor da Educação, e concluiu com apresentações de vários artistas.

    A manifestação aproveitou a realização do 55º Congresso da UNE (Conune) na cidade, que agregou diversos movimentos estudantis e sindicais, entre eles a CTB. Depois de fazerem passeata pelo centro da capital mineira, os manifestantes se concentraram no centro para um ato cultural.

    O presidente da CTB, Adilson Araújo, estava presente no evento, junto com uma delegação da central. Ele afirmou a importância central do movimento estudantil dentro da resistência contra as Reformas Trabalhista e Previdenciária, e gravou uma homenagem aos participantes (que você assiste logo abaixo):

    Na conclusão do 55º Conune, a entidade publicou uma resolução de conjuntura reafirmando o Fora Temer e Diretas Já. O documento foi aprovado na plenária final do encontro. Durante o evento, representando a CTB, o secretário da Juventude Trabalhadora da Central, Vítor Espinoza, levou a mensagem de solidariedade aos estudantes brasileiros, e criticou duramente a reforma do ensino médio e a pretensão de privatizar as universidades públicas.

    Portal CTB

  • A Frente Brasil Popular lançou uma nota de convocação aos movimentos populares de todo o país para o ato #OcupeBrasília que vai protestar diante do Congresso Nacional contra a proposta de reforma da Previdência (PEC 287/16) e o projeto de reforma trabalhista (PLC 38/2017).

    O ato é organizado pelo conjutno das centrais sindicais em parceria com os movimentos sociais representados pela Frente Brasil Popular. Confira a nota abaixo:

    "A batalha em defesa da aposentadoria e contra a reforma da previdência entra em fase decisiva na Câmara dos Deputados, principalmente entre os dias 22 e 24 de maio.

    É preciso aumentar a pressão em torno dos deputados e deputadas no próximo período e mobilizar todos e todas para ocupar Brasília no dia 24, data de votação da proposta no plenário da Câmara.

    Além disso, é fundamental que os comitês da Frente Brasil Popular se engajem na construção das agendas de agitação e propaganda, na construção de paralisações e mobilizações também nos Estados.

    A maioria da população brasileira está contra as reformas da previdência e trabalhista e é essencial que possamos mostrar que a proposta representa grave retrocesso aos direitos das trabalhadoras e dos trabalhadores arduamente conquistados.

    Vamos ocupar Brasília, as ruas, as redes e fazer atividades, panfletagens e mobilizar o povo brasileiro para juntos e juntas barrar essas maldades contra a classe trabalhadora.

    Só será possível vencer esse governo com a garra e a coragem do povo."

    #ForaTemer #DiretasJá #EmDefesaDaAposentadoria#24M #AposentadoriaFicaTemerSai

    Portal CTB

     

  • A #GrevePorDireitos que sacudiu o Rio de Janeiro pela manhã teve seu maior momento no fim da tarde da última sexta-feira (30). Milhares de trabalhadores e trabalhadoras, estudantes, aposentados, homens e mulheres de todas as idades e gerações se reuniram na Praça da Candelária para um grande ato político em direção à Central do Brasil.

    Os manifestantes tomaram a Avenida Presidente Vargas, uma das principais vias da capital fluminense, e seguiram em direção à Central do Brasil por onde passam milhões de trabalhadores e trabalhadoras todos os dias.

    No final do ato, a truculência das forças de repressão do governo Pezão mais uma vez atacaram a classe trabalhadora que, no entanto, seguirá nas ruas exigindo nenhum direito a menos, Fora Temer, Fora Pezão e Diretas Já.

    Confira, abaixo, a avaliação de membros da direção da CTB e de diversos sindicatos sobre as atividades do Dia Nacional de Lutas no Rio de Janeiro.

    Paulo Sérgio Farias – presidente da CTB-RJ

    “Hoje, dia 30 de junho, foi um grande dia de luta aqui no Rio e no Brasil. Os trabalhadores que estão revoltados com essa política de entregar a nossa soberania e retirar os direitos dos trabalhadores foram às ruas em toda as capitais do país, dizendo um grande e robusto não ao governo golpista de Michel Temer. Indo à luta, unindo o campo e a cidade, e dizendo que não vão sair das ruas. Porque vai ser nas ruas que nós vamos derrotar esse governo e essas reformas que tiram direitos dos trabalhadores. Nós não sairemos das ruas enquanto esse governo não cair e enquanto o povo não reconquistar seu direito soberano de eleger o mandatário da nação. Fora Temer! Nenhum direito a menos! Diretas Já!”

    Kátia Branco – secretária da Mulher Trabalhadora da CTB-RJ e dirigente do Sindicato dos Bancários

    “Hoje foi mais um dia de vitória para a classe trabalhadora fluminense. Fizemos um grande dia de greves, lutas e paralisação contra esse pacote de Reformas e demos um claro recado de que a permanência do golpista na presidência é inviável. Nenhum confronto apaga isso. Os trabalhadores e as trabalhadoras seguirão nas ruas até que Temer seja tirado da presidência e que novas eleições sejam convocadas. Fora Temer! Diretas Já!”

    Eduardo Chamarelli – secretário de Finanças da CTB-RJ

    “A atividade de hoje foi importantíssima para os trabalhadores mostrarem sua posição e marcarem território. Mostramos que não vamos aceitar essas reformas absurdas que estão sendo propostas não para melhorar a vida do trabalhador, mas para melhorar a vida do patrão. Então, os trabalhadores não aceitam e as ruas vão aumentar cada vez mais gente, colocando centrais e sindicatos na rua, para impedir reformas e essas movimentações que vão de encontro ao direito dos trabalhadores.”

    Ernani Duarte – Presidente do Sindicato dos Estivadores do Rio de Janeiro e presidente da Intersindical Portuária do Rio de Janeiro

    “Foi uma atividade muito positiva. Nós estivemos na paralisação na greve dos portos onde a presença da CTB foi decisiva. Foi muito bom para que os portuários conhecessem mais de perto a disposição e luta da CTB. O caminho não pode ser outro! O caminho é seguir numa pauta de luta que não se esgota no dia de hoje. Novas greves, novas ocupações à Brasília serão necessárias para fazer o enfrentamento para podermos derrotar, verdadeiramente, essas reformas do governo golpista de Michel Temer!”

    João Batista Lemos – Direção Nacional da CTB e Presidente Estadual do PCdoB Rio de Janeiro

    “O dia de lutas de hoje, 30 de junho, foi um dia nacional de muita luta nesse Brasil. Tenho informações do nosso presidente nacional que houveram paralisações e trancaços em todos os estados do País. Aqui, no Rio, fizemos o trancaço da Avenida Brasil e paramos 50 Km com os companheiros do Sindimetal-Rio e do Sintsama. Conseguimos parar a ponte Rio-Niterói, paramos a Rio-Santos através dos Metalúrgicos de Angra. E pipocaram lutas em todas as partes do Rio de Janeiro. Por isso, a importância da unidade da classe trabalhadora. O que atrapalhou foi que algumas centrais não entram na luta. Fingiram que entraram na luta e recuaram no sentido da unidade das centrais. A sinalização para a massa era de que não haveria greve geral, mas nós nos mantivemos firmes na luta de resistência através da CTB e dos movimentos sociais. A lição que a gente tira é a de que essas greves precisam ser organizadas dentro das fábricas. O piquete e o trancaço de ruas são recursos honestos e são grandes instrumentos de luta, mas precisamos elevar a consciência dos trabalhadores dentro das empresas, para que estendam para o seu local de moradia e se irradie a luta. Nosso inimigo é muito forte: é o imperialismo, são as forças conservadoras do congresso e da mídia. Precisamos de uma frente ampla e de unidade da classe trabalhadora. É com as massas, pelas massas e para as massas que nós vamos conseguir novas perspectivas para o nosso país.”

    Lívia Fernantes – dirigente da CTB-RJ e do SEPE-RJ

    “Hoje estamos aqui nessa greve que já foi vitoriosa. Uma greve que teve como objetivo organizar a classe trabalhadora contra os ataques desse governo golpista. A educação, hoje, se levanta contra a reforma da previdência e contra a reforma trabalhista por entendermos que essas reformas junto com a PEC do fim do mundo são um ataque severo à educação e não vamos permitir que elas passem. Por isso, estamos na greve, estamos na luta e vamos continuar até a vitória.”

    Marquinho – presidente da FESEP-RJ

    “Houveram manifestações em várias cidades, onde vários sindicatos de servidores públicos foram protagonistas. Tivemos movimentações em Campos, em Resende, em Angra dos Reis e diversos sindicatos de servidores aderiram ao ato de hoje e estão mobilizados para seguir nas ruas enquanto o governo não recuar nessas pautas das reformas da previdência e trabalhista.”

    Rose – secretária Geral do Sintect-RJ

    “Hoje nós conseguimos parar o maior centro de distribuição dos correios aqui no Rio de Janeiro. Chegamos lá às 4 da manhã e saímos após as 13 horas e foi um dia de muita luta e mobilização em todas as categorias. Assim como a dos Correios, que não foram diferente. Precisamos incentivar, agora, todas as outras categorias e todos os trabalhadores. A categoria dos correios está de parabéns pois como das outras vezes, mais uma vez, esteve na linha de frente na luta pelo Fora Temer e contra essas reformas. Nós estamos nas ruas para derrotar essas reformas e esse governo corrupto e ilegítimo.”

    Marcio Ayer – presidente do Sindicato dos Comerciários do Rio de Janeiro

    “A greve geral de hoje foi muito importante. Os comerciários e comerciárias aprovaram em assembleia. E estamos juntos nessa força para combater essas reformas trabalhista e da previdência desse governo golpista e ilegítimo de Michel Temer. A gente acredita que com mobilização na rua, com a luta dos trabalhadores e do povo, a gente consegue barrar essas reformas. É importante ter a participação de todos os trabalhadores. Estamos vivendo com um governo enlameado de corrupção e com seu chefe, o golpista Michel Temer, querendo introduzir essa pauta totalmente regressiva e colocar a culpa dessa crise econômica toda no bolso do trabalhador. È por isso que estamos aqui, nesse dia importante, para dizer Fora Temer e contra as reformas trabalhista e da previdência.”

    Fonte: CTB-RJ

  • O programa Extra-classe, do Sindicato dos Professores de Minas Gerais (Sinpro-MG) teve como tema "Greve Geral e Diretas Já". E já começa dizendo que a história do Brasil é repleta de golpes autoritários porque a elite acaba com a democracia quando a classe trabalhadora começa a melhorar de vida.

    Assista VT do Exta-classe convocando para a Greve Geral 

    O programa que foi ao ar no sábado (17) pela Rede Minas relata a história da mobilização popular pelas Diretas Já em 1984, quando milhões foram às ruas para derrotar a ditadura civil-militar (1964-1985).

    E chega aos dias atuais. Disseca sobre o golpe de 2016 e das novas manifestações em defesa da democracia e dos direitos da classe trabalhadora. Fica claro no andamento do Extra-classe que a unidade é necessária para derrotar o inimigo comum: o capital.

    Como diz Hellen Hazan, da Associação Mineira de Advogados Trabalhistas, “estamos sendo governados por empresas que têm um programa de desmonte total de direitos”. Com isso, acrescenta, “a jornada poderá ser de 12h a 16h por dia, 15 minutos de almoço, não vai ter 13º salário”, entre outras barbaridades.

    Já Jorge Souto Maior, professor de Direito Trabalhista da Universidade de São Paulo, afirma que a terceirização ilimitada só pode trazer “maior sofrimento à classe trabalhadora, além de piorar o nível de emprego, precarizando as relações de trabalho”.

    Assista o programa Greve Geral Diretas Já completo 

    O sociólogo Ricardo Antunes vai ainda mais longe. Ele diz que “o mercado de trabalho que as empresas querem é ter poucos trabalhadores e trabalhadoras e muito enriquecimento”. Já Celina Arêas, secretária de Formação e Cultura da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB) convoca para a Greve Geral do dia 30 com a certeza de que “venceremos a batalha para manter nossas conquistas”.

    Portal CTB – Marcos Aurélio Ruy

  • A estudante Ana Júlia Ribeiro levantou esta suspeita em seu depoimento ao Portal CTB em reportagem publicada nesta quarta-feira (30). "Não sabemos se essas pessoas fazem parte de algum grupo radical ou se estavam infiltradas", disse ela sobre supostos manifestantes atirando objetos contra a Polícia Militar. Por isso, "insistimos que o movimento estudantil é um movimento pacífico e democrático” (leia mais aqui), concluiu a secundarista de 16 anos.

    Nesta quinta-feira (1º), os Jornalistas Livres publicaram imagens que fazem aumentar as suspeitas. Com o título “Estranho, muito estranho”, o grupo divulga uma sequência de fotos onde se vê “um grupo separado da manifestação jogando um coquetel molotov na direção da PM. Esta, por sua vez, atira bombas de gás nos estudantes que estão do outro lado do gramado em frente ao Congresso”, escreve o fotógrafo Lula Marques para os Jornalistas Livres.

    Assista e comprove 

    Depois do caso do capitão do Exército Willian Pina Botelho, flagrado como agente infiltrado em manifestações em São Paulo pedindo “Fora Temer”, há que se analisar bem essas imagens. Elas são estranhas, muito estranhas e a suspeita da estudante paranaense permanece.

    A sociedade tem o direito de saber se as manifestações contra o governo estão sendo monitoradas com infiltrados, como ocorria na época da ditadura civil-militar (1964-1985). Por tudo o que se vê, torna-se mais fundamental ainda a campanha por novas eleições Diretas Já.

    Portal CTB – Marcos Aurélio Ruy. Foto: Mídia Ninja

  • Na noite deste sábado (3), o humorístico Zorra, da TV Globo, apresentou um esquete onde uma consumidora vai a uma “concessionária de presidentes” devolver Michel Temer, argumentando ter sido enganada e de que ele não mudou nada.

    O vendedor tenta explicar, que só em 2018, mas ela insiste e pede opções para substituir o naufragado Temer. Passa por algumas opções e termina com a volta dos militares de 1964. A conclusão do quadro é: “Tem que pensar melhor antes de escolher”.

    Ironias da vida. A Rede Globo que tanto se empenhou para derrubar a presidenta Dilma Rousseff, aliando-se e recebendo verbas polpudas do governo de Temer, agora quer substituí-lo, mas não ousa defender a melhor solução para a superação a crise.

    As forças progressistas não se satisfazem com o “Fora Temer” e defendem eleições “Diretas Já”. Já os conservadores brigam entre si para ver qual grupo se mantém no poder, mesmo sem disputar eleição.

    Isso fica translúcido nas manifestações do domingo (4), com apoio explícito da emissora da família Marinho. Uma coisa é evidente, eleição já eles não querem.

    Portal CTB – Marcos Aurélio Ruy

    Assista:

  • A secretária de Políticas de Promoção da Igualdade Racial da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB) nacional, Mônica Custódio festeja a criação de novas secretarias estaduais de Igualdade Racial.

    A primeira estadual a criar secretaria de Igualdade Racial em seu Congresso foi a CTB-AM. Mais recentemente chegou a vez da CTB-ES e CTB-SP entrarem com tudo no combate ao racismo.

    “Muito importante para a população negra que o movimento sindical incorpore a luta por igualdade de direitos e pelo fim da discriminação racial”, diz Custódio. "Ao mesmo tempo em que lutamos por Diretas Já e Fora Temer".

    Para ela, é fundamental a classe trabalhadora se engajar nessa questão específica ao mesmo tempo em que “lutamos para acabar com a exploração do capital sobre o trabalho”.

    Adriana Silva é a secretária de Políticas de Promoção da Igualdade Racial da CTB-ES, Edson Brelaz da CTB-AM e Lidiane Gomes, da CTB-SP. “Foi uma satisfação muito grande saber que além da direção da CTB, todo o conjunto de ativistas dos sindicatos apoiam a criação dessa secretaria”, afirma Gomes, professora em Campinas (SP).

    Gomes revela que ficou muito emocionada durante o Congresso da CTB-SP. “A emoção foi tão forte que aumenta a importância da secretaria a partir da sua criação”, diz. “Aumenta também a responsabilidade sobre o papel que essas secretarias vão jogar na busca dos direitos iguais entre negros e brancos”.

    “Deu para perceber nitidamente”, diz Gomes, “o quanto as pessoas necessitavam desse instrumento para defender os nossos direitos e uma sociedade sem preconceitos”. Por isso, “as secretarias irão desempenhar um papel extremamente importante na conquista de igualdade no mundo do trabalho e na sociedade”.

    Ela conta que falou para um aluno certa vez que ela “queria que ele fosse o que quisesse na vida e não fosse obrigado a se submeter ao que sobrou, porque ninguém quis. Isso é o que acontece com negros e negras, ficamos com o que sobrou, com os trabalhos pior remunerados, que ninguém quer”.

    Portal CTB – Marcos Aurélio Ruy

  • O Instituto Paraná Pesquisas divulgou nesta segunda-feira (12) a sua mais recente pesquisa feita entre os dias 6 e 8, em 152 municípios, de 25 unidades da federação. Foram pesquisados 2.016 eleitores.

    Chama a atenção a pergunta sobre a possível queda do vice-presidente que assumiu o lugar da presidenta Dilma Rousseff, após o golpe do impeachment.

    "Se Michel Temer por algum motivo perder o mandato a partir de 2017, o substituto deve ser escolhido de forma indireta pelo Congresso, ou seja, só por deputados e senadores, como manda a Constituição ou por meio de eleições diretas, pela população?", pergunta a pesquisa.

    Resultado: 90,8% querem eleições diretas em qualquer situação. Somente 6% disseram preferir eleição indireta. “Realizar nova eleição ainda é a melhor saída para a crise institucional que o país vive”, diz Carlos Rogério Nunes, secretário de Políticas Sociais da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB).

    diretas ja henfil

    Inclusive tramita na Câmara dos Deputados uma Proposta de Emenda à Constituição, de autoria de Miro Teixeira (Rede-RJ), propondo eleição direta em qualquer situação de vacância de poder no Executivo. Essa proposta já foi aprovada pela Comissão de Constituição e Justiça, mas continua engavetada.

    Outro dado do levantamento merece destaque. 74,7% responderam não ter intenção de votar em Temer se ele se candidatasse em 2018. Já 49% disseram preferir candidato que nunca tenha participado da política, mas 32,2% declinaram preferência por candidato com carreira política consolidada.

    A maioria absoluta mostrou também ser a favor de novas eleições para deputados federais e senadores. O resultado foi 68,6% a favor de eleições gerais e 26,1% contra. “O governo golpista de Temer e o Congresso Nacional viraram as costas para a voz das ruas, o país quer uma coisa e o governo faz o oposto”, acentua Nunes.

    Veja a pesquisa completa aqui

    Portal CTB – Marcos Aurélio Ruy