Sidebar

16
Dom, Jun

diretasjá

  • Milhares de baianos foram as ruas do centro Histórico de Salvador na manhã deste domingo, para celebrar o 2 de julho, data que marca a independência da Bahia do domínio português, conquistada em 1823. A CTB e diversos sindicatos filiados participaram da festa, levando as bandeiras de luta para o desfile que homenageia os heróis do povo, representados pelo caboclo e a cabocla, que foram os principais responsáveis pela vitória brasileira.

    “Mais uma vez a CTB-BA vem participar desta data tão importante que é o 2 de julho, um dia que tem um espaço para a população vim protestar contra seus direitos, este ano estamos trazendo as nossas bandeiras de luta contra esse governo golpista de Michel Temer, que quer retirar os direitos de todos os trabalhadores e trabalhadoras do nosso país, então pedimos Fora Temer e Diretas Já! ”, ressaltou a vice-presidente da CTB Bahia, Rosa de Souza.

    Com faixas, cartazes e gritos de “Fora Temer”, "Fora ACM Neto” e “Diretas Já! ”, a caminhada saiu da Soledade em direção ao Campo Grande, praça 2 de Julho, com uma parada no Pelourinho que foi realizado um ato político com a presença de entidades do movimento social e sindical, políticos e autoridades públicas.

    Leia mais

    Bloco da CTB-BA comemora o 2 de Julho contra as reformas e por Diretas Já

    Autora da Lei que instituiu o dia 2 de julho como data histórica no calendário das efemérides nacionais, a deputada federal Alice Portugal, falou da importância da participação dos trabalhadores em uma data tão importante como o 2 de julho. “Hoje é um momento de renovar o compromisso com a liberdade. O povo baiano vem às ruas por seus direitos e pelas suas garantias como cidadão e cidadã. Exigimos a saída de Temer e desse governo impostor, que quer tirar os direitos previdenciários e trabalhistas da nossa gente. Vamos garantir as eleições diretas para dar ao povo a valorização que tem que ter o voto popular. Queremos um governo eleito e uma nova agenda", concluiu.

    Data nacional

    O 2 de Julho tem um significado especial para os baianos e para o Brasil. Foi nesta data que em 1823 as tropas brasileiras entraram vitoriosas em Salvador após mais de um ano guerreando contra os portugueses que se recusavam a reconhecer a independência do Brasil em relação à Portugal. Agricultores, escravos e outras pessoas oriundas do povo foram os principais combatentes da Guerra da Independência da Bahia. Dentre os muitos heróis populares, os mais conhecidos são Maria Quitéria, João das Botas e Maria Felipa, que se destacaram nas batalhas.

    Marcivaldo Santos - CTB-BA

  • Centrais sindicais se reuniram no fim da manhã da terça-feira (28) para uma plenária para decidirem os últimos detalhes da greve geral marcada para a próxima sexta (30). De acordo com presidente da Central dos Trabalhadores do Brasil (CTB), Guiomar Vidor, a mobilização tem objetivo de iniciar desde as primeiras horas da sexta-feira e seguir ao longo do dia.

    “Serão mais de 20 carros de som que estarão circulando em Porto Alegre e Região Metropolitana, milhares de materiais estão sendo distribuídos pelas categorias e o movimento não se restringe só a Porto Alegre. Estamos vendo uma grande adesão no interior do Estado”, contou. “É uma resposta da classe trabalhadora brasileira contra este conjunto de reformas que estão sendo apresentadas pelo governo Temer”, afirmou ele, que criticou a reforma da Previdência: “São 38% dos brasileiros que morrem antes dos 65 anos. Isso é inviabilizar o direito da aposentadoria sem contar com as outras artimanhas que estão dentro do projeto”.

    No final do protesto, as centrais sindicais devem se reunir, em um local ainda a ser definido, para o encerramento da greve geral. “O objetivo é construir mobilizações nas garagens de ônibus, manifestações nos principais entrocamentos da cidade e no final do dia coroar este movimento com um grande ato unitário das centrais sindicais e movimentos sociais”, projetou Vidor.

    plenaria greve dia 30 rs

    Transporte irá paralisar

    O transporte público será um dos serviços que vai paralisar na sexta-feira, segundo os sindicalistas. Conforme Vidor, assembleias estão sendo realizadas ainda entre os bancários, metalúrgicos e servidores públicos para definirem os procedimentos que farão no dia da greve geral. As escolas da Capital também vão paralisar na sexta.

    “O êxito do movimento vai ser a unidade e a vontade de lutar das centrais e dos movimentos sociais contra as reformas da Previdência e Trabalhista, e também é em defesa pela solução para nós estancar esta sangria deste impasse político que o País vive. Dentro do nosso entendimento a solução é o convocamento das Diretas Já e o afastamento de Michel Temer”, relatou.

    Vidor disse que conta com a participação da população. “Nós precisamos a partir deste momento que toda sociedade venha aderir a este movimento e dizer um não retumbante a tudo isto que está acontecendo no País”, concluiu.

    Por Juliana Ramiro e Aline Vargas - Fecosul e CTB-RS

  • De acordo com Luciano Simplício, presidente reeleito da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil no Ceará (CTB-CE), mais de 50 mil trabalhadoras e trabalhadores tomaram as ruas de Fortaleza, capital do Ceará, nesta sexta-feria (30) - dia da Greve Geral - contra as reformas trabalhista e previdenciária.

    "Saímos às ruas pelo Fora Temer porque acreditamos que nova eleição direta para a Presidência é o melhor caminho para o país retomar a rota do crescimento econômico", avalia Simplício.

    Ele conta ainda que as manifestações no seu estado tiveram a participação de todas as centrais sindicais, movimentos sociais e estudantes. "Estamos todos no mesmo barco e corremos o risco de morrer de tanto trabalhar e ficar sem aposentadoria". Por isso, "precisamos resistir a todo o custo para não perder nossos direitos e garantir furuto digno aos nossos filhos e netos", defende.

    Portal CTB

  • As senadoras dos partidos de esquerda mostraram a força da mulher brasileira e impediram a votação da reforma trabalhista na manhã desta terça-feira (11) no plenário do Senado Federal. Acompanhando a sessão de Sergipe, a secretária da Mulher Trabalhadora da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil, Ivânia Pereira, diz que “mais uma vez as mulheres mostram que são de luta e saem na frente. Parabéns às nossas bravas senadoras”.

    Fátima Bezerra (PT-RN), Gleisi Hoffmann (PT-PR), Kátia Abreu (PMDB-TO), Lídice da Mata (PSB-BA), Regina Sousa (PT-PI) e Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) ocuparam a mesa e o presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE) suspendeu a sessão. Elas ficaram mais de 4 horas às escuras, impedidas de se comunicar, mas não arredaram pé.

    As senadoras estão barrando a votação porque a aprovação da reforma trabalhista “é um caminho sem volta. Esse é o verdadeiro golpe porque estão mudando as relações de trabalho, rasgando a carteira profissional”, diz a senadora Grazziotin.

    Assista #SenadoOcupado: a força das mulheres 

    Já a deputada federal Benedita da Silva (PT-RJ) afirma que as senadoras ocuparam o Senado porque a base do governo ilegítimo Michel Temer quer votar sem nenhuma discussão. “Elas ocuparam a mesa, inclusive para haver debate no plenário. Não se pode votar uma coisa dessas sem discussão”, sintetiza.

    Pereira reforça que “o enfrentamento ao golpe feito pelas mulheres tem impedido de forma contundente que os setores conservadores avançassem com mais pujança contra os nossos direitos”.

    Para ela, “as senadoras estão mostrando que a alternativa para a classe trabalhadora, para as mulheres, os jovens, enfim para todas e todos é não se acomodar e ocupar as ruas de todas as cidades até o Temer cair e serem convocadas eleições diretas já”.

    Portal CTB – Marcos Aurélio Ruy

  • Diretas Já – E não me venham com indiretas! Esse é o tema do 22º Arraiá do Sindsaúde, Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos de Serviços de Saúde no Ceará, que acontece na sexta-feira, 7, a partir das 20 horas, no Clube Gresse, localizado na Avenida Borges de Melo, número 1881. Vai ter comida típica, brincadeiras e muito arrasta pé com Joãozinho de Irauçuba, Gilberto Júnior e o melhor do pé de serra com Os Januários.

    O Arraiá do Sindsaúde já se tornou tradicional e faz parte do calendário de eventos dos trabalhadores da saúde. Os convites são gratuitos e exibíveis. Para a presidente do Sindsaúde, Marta Brandão, este é um momento importante para unir a categoria e mobilizar os trabalhadores contra a aprovação da reforma trabalhista que deve ir à votação já na semana que vem. “Vamos aproveitar o momento festivo para denunciar os deputados que estão votando contra os trabalhadores. Vamos aumentar a pressão por diretas e por direitos”, afirmou.

    A expectativa é contar com um público de cerca de quatro mil pessoas. Então, não fique de fora. Coloque seu melhor traje caipira e venha festejar com a gente. Vamos defender a democracia e os direitos dos trabalhadores no melhor estilo nordestino!

    Serviço

    22º Arraiá do Sindsaúde

    7 de junho de 2017, às 20 horas

    Clube Gresse - Avenida Borges de Melo, 1881

    Fonte: Sindsaúde-CE