Sidebar

25
Ter, Jun

FNMT

  • O Fórum Nacional de Mulheres Trabalhadoras das Centrais Sindicais (FNMT) se reunião nesta segunda-feira (7), na sede da Força Sindical, na capital paulista para retomar os trabalhos do FNMT e formular novo plano de lutas.

    Com a participação de representantes das seis centrais sindicais que fazem parte do FNMT (Força Sindical, CSB, CTB, CUT, Nova Central e UGT), as sindicalistas debateram a conjuntura e o efeito perverso das reformas do presidente ilegítimo Michel Temer na vida das mulheres.

    “Debatemos as consequências da terceirização e das reformas trabalhista e previdenciária na vida das mulheres”, afirma Celina Arêas, representando a Secretaria da Mulher Trabalhadora da CTB, que teve a participação também da assessora Márcia Viotto. “Decidimos nos reunir mais habitualmente e elaborar formas de levar informação sobre o que as mulheres perdem a mais que os homens com as reformas”, diz Arêas.

    De acordo com ela, as representantes das seis centrais decidiram implementar com mais garra os trabalhos do FNMT e “fortalecer a comunicação para nos contrapormos à mídia burguesa e à retirada de direitos que estamos sofrendo com esse governo ilegítimo”.

    Além de ampliar a comunicação, as mulheres trabalhadoras decidiram “priorizar a formação para estarmos à altura das necessidades que temos nesta conjuntura adversa e participarmos do poder ao lado dos homens”, diz.

    Além de tornar o FNMT ainda mais atuante, “queremos participar das reuniões das centrais sindicais que discutem as questões referentes à classe trabalhadora e ao país”, afirma Arêas. Ela reforça que as trabalhadoras querem Afinal,  diz ela, “somos 52% da população e 48% do mercado de trabalho e temos plenas condições de atuar igual a qualquer homem”.

    A próxima reunião do Fórum ocorrerá em setembro e já “estamos planejando diversas atividades para empoderar as nossas questões no mundo sindical e na sociedade, atuando firme para a revogação da terceirização ilimitada, da reforma trabalhista e impedir a aprovação da reforma previdenciária”, conclui Arêas.

    Portal CTB – Marcos Aurélio Ruy

  • Em reunião na sede nacional da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), em São Paulo, o Fórum Nacional das Mulheres Trabalhadoras das Centrais Sindicais (FNMT) decidiu nesta terça-feira (8) abraçar com mais dedicação ainda os 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência Contra as Mulheres de 2017.

    As sindicalistas das seis maiores centrais do país (CSB, CTB, CUT, Força Sindical, Nova Central e UGT), que compõem o FNMT, resolveram empoderar a participação do movimento sindical no ativismo por igualdade de gênero e pelo fim da violência.

    “Todas as representantes das centrais sindicais assumiram o compromisso de desenvolver campanhas durante todos os dias do ano, sem trégua para a discriminação e a violência”, diz Celina Arêas, secretária da Mulher Trabalhadora da CTB.

    Elas enfatizaram ainda a necessidade de mais visibilidade para as ações das mulheres nos veículos de comunicação das centrais para as informações chegarem com maior rapidez às seções estaduais e aos sindicatos filiados.

    forum mulheres centrais reuniao 2017 11 07

    “Precisamos envolver os sindicatos em nossas ações”, define Arêas. Ficou combinado panfletagens denunciando as violências às mulheres porque o Brasil é um dos países mais violentos do mundo nas questões de gênero.

    Somente no ano passado foram assassinadas 4.657 mulheres no país “e o Parlamento quer tirar a palavra feminicídio (assassinato de mulher somente por ser mulher) do Código Penal” em vez de ampliar as políticas de direitos e de vida”, rebate Kátia Gaivoto, vice-presidenta da CTB-MG e secretária-geral adjunta nacional da CTB.

    Adilson Araújo, presidente nacional da CTB acompanhou a abertura da reunião. “As mulheres são um braço forte e fundamental na luta e no enfrentamento da ofensiva conservadora contra a classe trabalhadora”, afirma.

    As dirigentes do FNMT decidiram pela criação de uma campanha que mostre a cara das mulheres trabalhadoras na resistência aos retrocessos, ao preconceito e à violência. A próxima reunião está prevista para acontecer no dia 12 de dezembro, na sede da Força Sindical, em São Paulo.

    Portal CTB – Marcos Aurélio Ruy

  • O Fórum Nacional das Mulheres Trabalhadoras das Centrais Sindicais (FNMT) promove na terça-feira (26), às 14h, um grande ato contra a reforma da previdência. O protesto tem caráter nacional e em São Paulo ocorre no Largo Santa Ifigênia, 266, em frente à sede regional do INSS.

    Veja a página do Facebook do evento aquie confirme sua presença.

    "Importante que todos os estados façam o mesmo", diz Celina Arêas, secretária da Mulher Trabalhadora da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB). “Queremos mostrar à população que as mulheres são as que mais perdem com esse projeto do governo federal”, complementa. 

    O FNMT definiu como slogans da manifestação a “Defesa da Aposentadoria” e a constante resistência por “Nenhum Direito a Menos”. Justamente porque “ganhamos cerca de 30% a menos que os homens, somos as primeiras a ser demitidas e as últimas a conseguir trabalho”, afirma Arêas.

    Circula o convite do FNMT para que todas as seções estaduais organizem manifestações no mesmo dia para "dar caráter nacional ao nosso ato por nenhum direito a menos", diz Gicélia Bitencourt, secretária da Mulher Trabalhadora da CTB-SP. Leia o convite abaixo:

    convite fnmt

    Para tanto, o FNMT (CSB, CTB, CUT, Força Sindical, Nova Central e UGT) “convida a todas e todos para se somarem à luta contra mais esse ataque às conquistas da classe trabalhadora, principalmente à nós mulheres”, define Bitencourt.

    “Neste momento de ofensiva do capital sobre o trabalho e os ataques sucessivos aos direitos humanos e individuais, as mulheres mostram que são de luta e lotarão as ruas para denunciar a intenção do governo golpista de nos tirar todas as perspectivas de vida”, conclui Arêas.

    O FNMT divulga uma cartilha para levar esse importante debate às ruas, com texto de fácil acesso, para ser distribuído na manifestação. Venha participar de mais essa empreitada contra os projetos do governo ilegítimo de Michel Temer.

    Acesse e imprima a capa da cartilha aqui.

    Imprima a Cartilha parte 1 aqui.

    Imprima a Cartilha parte 2 aqui.

    Imprima a Cartilha contracapa aqui.

    Serviço

    O que: Mulheres em Defesa da Aposentadoria

    Onde: Superintendência Regional do INSS

               Largo Santa Efigênia, 266 - Santa Ifigênia, São Paulo

    Quando: Terça-feira (26), às 14h

    Portal CTB – Marcos Aurélio Ruy

  • O Fórum Nacional das Mulheres Trabalhadoras das Centrais Sindicais (FNMT) e a Secretaria de Políticas para as Mulheres (SPM) da prefeitura de São Paulo convidam para o seminário Diálogos sobre o Mundo do Trabalho: o Impacto das Reformas na Vida das Mulheres nesta quinta-feira (8), na sede do Sindicato dos Bancários de São Paulo (rua São Bento, 413).

    “Esse evento já ocorre há 3 anos como forma de a SPM dialogar com as centrais sindicais, principalmente porque as munícipes, em sua maioria, são trabalhadoras e a prefeitura precisa conhecer as cidadãs para formular políticas públicas que contemplem seus anseios”, diz Maria Cristina Corral, coordenadora de Autonomia Econômica da SPM.

    Já Gicélia Bitencourt, secretária da Mulher Trabalhadora da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil em São Paulo (CTB-SP) acredita que o tema deste ano é muito pertinente porque “as reformas dos golpistas prejudicam as mulheres de maneira contundente”.

    Para a sindicalista, que representa a CTB no FNMT em São Paulo, argumenta ainda que esses projetos afetam diretamente a vida das mulheres, porque “toda crise incide principalmente sobre nós que somos as primeiras a perder o emprego e as últimas a se recolocar”.

    A secretária de Políticas para as Mulheres, Denise Mota Dau e a economista Marilane Teixeira serão as palestrantes desse evento que faz parte dos 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres, que se encerram no sábado (10), Dia Internacional dos Direitos Humanos.

    DIALOGOS com Centrais

    Serviço

    O que: Diálogos sobre o Mundo do Trabalho: o Impacto das Reformas na Vida das Mulheres
    Onde: Sindicato dos Bancários (rua São Bento, 413, centro, São Paulo)
    Quando: Quinta-feira (8), às 14h

    Portal CTB – Marcos Aurélio Ruy