Sidebar

24
Qua, Abr

greve dos correios

  • Complexo Benfica dos Correios é bloqueado por ecetistas em greve

    Trabalhadores e Trabalhadoras dos Correios do Rio de Janeiro, em greve nacional desde o dia 26 abril, bloquearam na manhã desta quarta-feira (03), o Complexo de Benfica, uma unidade estratégica da empresa.

    Desde as cinco da manhã, os ecetistas estão na porta da unidade mobilizando a categoria contra a precarização do trabalho e da ECT, conforme explica o presidente do Sintect-RJ, Ronaldo Martins “Nosso ato é pra mostrar pra empresa que o trabalhador é o pilar que sustenta os Correios, não podem tirar os direitos da categoria. A greve está cada dia maior e mais forte e seguiremos na luta”.

    sintect rj ato benfica paralisado policia 03 05 2017 1

    Acionada pela direção dos Correios da unidade, a Polícia Militar repreendeu os manifestantes de forma bruta e chegou a deter um diretor sindical, durante a manifestação, que bloqueou cerca de 50 caminhões de entrega.

    Segundo o presidente da CTB-RJ, Ronaldo Leite, a diretoria da empresa convocou um grande contingente de PMs armados com fuzis para desmobilizar a paralisação “A polícia chegou a prender o diretor Marcos Sant’águida (foto abaixo), que ficou pelo menos uma hora dentro da viatura. Esse tipo de repressão não vai nos desmobilizar. Vamos manter a paralisação até a próxima assembleia”, afirmou.

    sintect rj ato benfica paralisado policia 03 05 2017 2 2

    Portal CTB com Sintect-RJ

  • Funcionários dos Correios de São Paulo aprovam continuidade da greve

    Trabalhadores e trabalhadoras dos Correios de São Paulo aprovaram em assembleia, na noite da última terça-feira (02), a continuidade da greve iniciada no dia 26 de abril.

    De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores em Correios e Telégrafos de São Paulo (Sintect-SP), a paralisação nacional que afeta diversos estados, é motivada pela postura da empresa que adotou medidas que pioram as condições de trabalho da categoria como a suspensão das férias, e promovem o sucateamento do sistema com vistas à privatização, como o fechamento de agências e demissão motivadas.

    Segundo a Federação Interestadual dos Sindicatos dos Correios (Findect), a reunião do dia 1º de maio, com representantes da direção da ECT, termimou com uma proposta que não atende às reivindicações da categoria e ainda impõe perdas flagrantes.

    Nesse sentido, os dirigentes da Findect e do Sintect-SP reafirmaram e insistiram nas reivindicações dos trabalhadores que motivaram a greve. “Mesmo diante da grande adesão da categoria à greve, o presidente da ECT voltou com o discurso do déficit da Empresa, na tentativa de justificar os golpes aos direitos dos Trabalhadores e a privatização”, ressaltou Elias Cesário, o Diviza, presidente do Sintect e vice-presidente da Findect.

    Na manhã desta quarta-feira, representantes dos trabalhadores e da empresa voltam a se reunir para tentar chegar a um acordo. Após o encontro, os sindicalistas participam de uma audiência no Tribunal Superior do Trabalho (TST) que visa resolver as ilegalidades como o parcelamento das férias da categoria.

    Uma nova assembleia está marcada para quinta-feira (04), a partir das 17h, no CMTC Clube, zona Norte da cidade, para decidir os rumos do movimento.

    Portal CTB

     

  • Sintect-SP mantém greve e convoca ato para quarta-feira (1º)

    O Sintect-SP (Sindicato dos Trabalhadores da Empresa Brasileira de Correios Telégrafos e Similares de São Paulo, Grande São Paulo e zona postal de Sorocaba) realiza ato e passeata contra o desmonte dos serviços de Correios, a negligência da ECT e Gerae, a má gestão e pela realização de concurso público urgente.

    A categoria paralisou as atividades em alguns centros de distribuição da região, entre eles o CDD Itapecerica da Serra. Assim como os companheiros de Itapecerica, os trabalhadores do CDD Capão Redondo podem paralisar a qualquer momento. E vários outros setores da zona sul devem entrar em greve por motivos relacionados ao abandono da empresa.

    A mobilização reunirá trabalhadores e trabalhadoras, a partir das 8h30, no Largo 13 de Maio, zona sul da capital paulista, e depois sairão em caminhada até o Complexo de Santo Amaro. 

    A manifestação é contra as diversas medidas adotadas pela empresa, como a implantação dos Sistemas de Distritamento (SDs), que reduziram drasticamente o número de distritos, aumentando o tamanho do percurso e prejudicando a saúde dos trabalhadores.

    Também reivindica mais segurança e a revogação da Distribuição Diária Alternada (DDA), que vem prejudicando a população e funcionários.

    ”Exemplo claro de negligência e má gestão foi o fechamento do Centro de Distribuição Diária do Grajaú, que prejudica até hoje a vida dos trabalhadores. O DDA e diversos SDs implantados em várias unidades da zona sul devem ser combatidos e a resistência dos trabalhadores é fundamental nesse processo. A greve começou forte e amanhã vamos fazer um grande e passeata até o Complexo de Santo Amaro.”, afirmou Douglas Melo.

    Serviço:

    Ato de protesto dos Correios

    8h30: concentração no Largo 13 de Maio com caminhada até Santo Amaro

    Sintect-SP