Sidebar

19
Sex, Abr

Largo da Batata

  • As maiores torcidas organizadas do Corinthians e do Santos dizem não a Bolsonaro

    Cresce a rejeição ao candidato da extrema-direita à Presidência da República, Jair Bolsonaro. A Gaviões da Fiel, do Corinthians e a Torcida Jovem do Santos divulgaram nota oficial contra a sua candidatura nesta quinta-feira (20). 

    As duas torcidas organizadas dos clubes paulistas prometem aderir às manifestações do sábado (29) contra o candidato, que acontece em todo o país. “Esses torcedores mostram que no futebol não tem apenas alienação", afirma Vânia Marques Pinto, secretária de Políticas Sociais, do Esporte e Lazer da CTB.

    "Há também uma vontade de ver o país voltar ao rumo do crescimento com criação de emprego e valorização do trabalho e respeito aos direitos humanos”, emenda.

    “É importante deixar claro a incoerência que há em um Gavião apoiar um candidato que, não apenas é favorável à ditadura militar pelo qual nascemos nos opondo, mas ainda elogia e homenageia publicamente torturadores que facilmente poderiam ter sido os algozes de nossos fundadores”, diz trecho da nota. A Gaviões promete lotar o Largo da Batata no sábado (29), em São Paulo (veja).

    Leia a íntegra nota divulgada pela Gaviões da Fiel aqui.

    Já a Torcida Jovem do Santos afirma que o “nosso repúdio a essa pauta extremista não apaga o olhar crítico que temos em relação ao cenário político em geral, tomando como referência a nossa postura histórica de combate aos retrocessos sociais. A opressão jamais irá vencer a nossa luta por liberdade dentro e fora dos estádios”. A torcida santista também garante presença no protesto contra o candidato do PSL.

    santos contra bolsonaro

    Leia a íntegra da nota da Torcida Jovem do Santos aqui.

    O candidato mais rejeitado em todas as pesquisas tem poucos votos no eleitorado feminino (52,5% do total de eleitores), por causa de seguidas declarações misóginas, racistas e LGBTfóbicas.

    Inclusive a página de Facebook Mulheres Unidas Contra Bolsonaro já ultrapassa a marca de 2,7 milhões de integrantes, mesmo tendo sido invadida por hackers defensores do candidato extremista.

    Para Vânia, “é muito interessante perceber que o apoio de alguns jogadores não se reflete nas torcedoras e torcedores, que pensam por si próprios e declaram-se contra candidato defensor da tortura, da violência e do ódio”.

    A campanha #EleNão ganha as redes sociais e as ruas com intensidade. Vânia argumenta que “são as mulheres, a população negra, os LGBTs, os indígenas, a juventude e a classe trabalhadora se posicionando contra um candidato que representa ainda mais retrocessos para a vida de todas e todos”.

    "As centrais sindicais e os movimentos sociais se contrapõem ao projeto representado por Bolsonaro porque traz mais recessão, mais desemprego, menos educação, menos esporte, menos cultura, menos saúde e menos direitos", define a sindicalista baiana.

    Marcos Aurélio Ruy – Portal CTB. Foto: Reprodução/YouTube

  • #NósSim: mulheres contra o atraso e por igualdade entre os gêneros

    Sábado, 29 de outubro de 2018: este dia entrou para a História. Certamente, será lembrado quando relatadas, no futuro, as eleições gerais deste ano. Pela TV não se viu, pelos jornais tampouco, só entendeu mesmo a grandiosidade que este evento representou quem esteve lá.

    A caminhada foi longa aqui em São Paulo, do Largo da Batata até a Avenida Paulista, mulheres de todas as idades, credos, cores, vestimentas, com seus companheiros ou companheiras, com amigas e amigos, com seus filhos, sozinhas, todas caminhando juntas em um uníssono: #EleNão.

    Ato que não foi só contra o inominável, o recado foi para qualquer um que pense como ele: não aceitamos mais o machismo, a violência, o assédio em qualquer de suas variantes, não aceitamos mais ganhar menos, não aceitamos que nos matem. Dados divulgados pelo TSE dão conta de que 52% do eleitorado é feminino, ou seja, somos parte importante na decisão das eleições e do futuro político do país.

    Em artigo publicado na Folha de S.Paulo, no mesmo 29/09, Brian Winter editor-chefe da revista norte-americana Americas Quarterly, demonstra seu temor de que a campanha feita contra o inominável possa ter mesmo terrível fim da eleição de Donald Trump. Em sua argumentação, traça um paralelo com a campanha norte-americana que foi recheada de manifestos de intelectualidade, de artistas, as marchas do #NeverTrump, ou seja, todos atacaram o candidato e pouco se falou sobre propostas, especialmente econômicas.

    Com a devida vênia, há diferenças. Primeiramente não é possível tratar de pautas nacionais importantes com o inominável, porque ele terceiriza a discussão para seu guru, Paulo Guedes. Suas propostas registradas em plano de governo são mirabolantes. Ele não é Trump. David Trump tem uma máquina nas mãos chamada Partido Republicano, o inominável somente o desconhecido PSL. Em si, ele é somente um vetor, orientado para canalizar as opiniões de um estrato da sociedade brasileira, elitista e ultraconservadora, não é um candidato em sua essência, só capturou o ódio e a subjetividade de parte do eleitorado brasileiro.

    Movimentos exitosos e que arrastaram multidões gigantescas no último sábado provaram para a sociedade e brasileira e para o mundo que estamos atentas, mobilizadas e decididas. Elevamos o debate nacional e carregamos uma única e enorme bandeira contra o atraso e por um futuro de desenvolvimento e justiça social.

    Cristiane Oliveira é secretária-executiva, pós-graduanda em Direito e Processo do Trabalho e assessora da Secretaria-Geral da CTB.


    Os artigos publicados na seção “Opinião Classista” não refletem necessariamente a opinião da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB) e são de responsabilidade de cada autor.

  • #EleNão: 500 mil nas ruas de São Paulo contra o fascismo e o retrocesso

    As manifestações contra o candidato da extrema-direita, Jair Bolsonaro, lotaram as ruas de ao menos 114 cidades em todas as unidades da federação do país. A maior delas, no Largo da Batata, em São Paulo, reuniu 500 mil pessoas, segundo a organização, durante todo o ato liderado pelo movimento Mulheres Contra Bolsonaro.

    A CTB marcou presença porque “nós queremos receber o 13º salário, o abono de férias e remuneração igual para trabalho igual”, afirma Gicélia Bitencourt, secretária da Mulher Trabalhadora da CTB-SP. Além disso, diz ela, “esse candidato representa o aprofundamento mais radical das reformas feitas por Michel Temer que causaram desemprego, recessão e retirada de conquistas fundamentais da classe trabalhadora”.

    Gente de todos os gêneros, cores, ideologias, idades, crenças religiosas, coloriram as ruas de São Paulo com a força das mulheres e da juventude para disseminar o amor contra o ódio. “Nós não aceitamos o retrocesso e a humilhação”, acentua Luiza Bezerra, secretária da Juventude Trabalhadora da CTB.

    Para ela, “as forças do campo democrático e popular unidos saberão dar um sonoro não à candidatura do ódio, das armas e da violência. O Brasil precisa de paz, de mais educação, mais saúde, mais justiça, com valorização do trabalho e combte às desigualdades”. Um cartaz dizia: "Vote como uma garota, ele não" e as mulheres cantavam alegres: "O Bolsonaro pode esperar, a mulherada vai te derrotar".

    A manifestação suprapartidária contou com a presença dos presidenciáveis Guilherme Boulos (PSOL), Marina Silva (Rede) e Vera Lúcia (PSTU) e das candidatas à vice-presidentas Manuela D’Ávila (Fernando Haddad), Kátia Abreu (Ciro Gomes) e Sonia Guajajara (Boulos), além de muitos artistas e candidatas e candidatos ao Congresso Nacional e à Assembleia Legislativa de São Paulo.

    “Nós defendemos a liberdade das mulheres, ele não. Nós defendemos o 13º salário, e o direito das trabalhadoras e trabalhadores, ele não. Nós gritamos ‘fora Temer’, ele não. Nós defendemos que as mulheres, os negros, os indígenas, LGBTs tenham dignidade e façam parte de um grande sonho de Brasil, ele não”, postou Manuela em seu Twitter.

    Parte dos manifestantes rumou em passeata por onze quilômetros até o vão do Masp (Museu de arte de São Paulo Assis Chateaubriand), na Avenida Paulista. Durante o percurso muitos "buzinaços" de apoio, um “Lulaço” improvisado com os trompetistas que puxam essas manifestações em diversos pontos do país e cantos e palavras de ordem pela liberdade.

    Por volta das 20h40, terminou o ato com a disposição de se manter o moivmento de resistência ao fascismo firme e forte, mesmo após a eleição. "As mulheres e a juventude mostraram que a unidade é possível para a superação da crise, com criação de empregos e de um projeto nacional de desenvolvimento voltado para os direitos de todas as pessoas", conclui Luiza 

    Marcos Aurélio Ruy – Portal CTB. Foto: Mídia Ninja

  • Artistas fazem ocupação permanente do Largo da Batata, em São Paulo, pela democracia

     Começa neste domingo (10) a ocupação cultural permanente do Largo da Batata, na zona oeste da capital paulista, em defesa da democracia. Com as hashtags #OcupeaDemocracia e #MúsicaPelaDemocracia, eles prometem ficar pelo menos até o domingo (17), quando o golpe pode ser em terrado definitivamente.

    É a data prevista para a Câmara dos Deputados votarem o impeachment da presidenta Dilma, caso o parecer do relator, Jovair Arantes (PTB-GO), seja aprovado na comissão. A proposta de votar essa infâmia no domingo foi do deputado Paulinho da Força, do Solidariedade, por julgar ser mais fácil juntar apoiadores do golpe, em Brasília.

    Segundo os Jornalistas Livres, “artistas e produtoras, ativistas, coletivos artísticos e de intervenção urbana, defensores da pluralidade e da diversidade, convidam a todas e todos para uma experiência coletiva de partilha sobre o significado da democracia e da cidadania. Esta ação é política, social, cultural e de todas as cores”.

    Trio Alvorada - De rosto colado

     

    Os organizadores prometem programação diversificada capaz de atingir todos os públicos. A partir de amanhã começam debates, piqueniques, oficinas e muitos espetáculos de música, arte circense, teatro e muitas outras atividades.

    Eles convidam também a participação e todas e todos num grande acampamento contra a trama golpista em marcha no país. “Traga sua barraca, sua arte, seus sonhos para partilhar com a gente”, dizem os organizadores.

    Esse acampamento da liberdade promete revigorar as campanhas em favor da democracia “com mais amor e pluralidade”, acentuam, porque “o ódio, a intolerância, o preconceito e o golpismo não nos representam”.

    A ocupação do Largo da Batata se insere nas inúmeras manifestações que vêm ocorrendo em todo o país unindo todas as forças que desejam manter as liberdades democráticas e sonham com um país mais justo e igual, onde a dignidade humana prevaleça.

    Lucas Santtana - Para onde irá essa noite?:

     

    Artistas confirmados para domingo (10):

    14h Viviane Figueredo (Clown)

    16h Bichos do Mundo

    17h Pequeno Cidadão

    18h Chico César

    19h Lucas Santtana

    20h As Bahias e a Cozinha Mineira

    21h Trio Alvorada

    Os organizadores pedem para quem “não puder estar junto fisicamente”, participar “através de vídeos e fotos postados no facebook e instagram com as hashtags #MúsicaPelaDemocracia e #OcupeaDemocracia.

    Portal CTB – Marcos Aurélio Ruy

  • Baile funk invade a zona sul neste domingo, no Rio de Janeiro, contra o golpe

    A Furacão 2000, maior promotora de bailes funks do país, promete ocupar e sacudir a orla de Copacabana, no Rio de Janeiro, neste domingo (17) para acompanhar a votação do  impeachment e barrar esse golpe na jovem democracia brasileira. É a primeira vez que um baile funk de tamanhas proporções chega á zona sul da capital fluminense.

    Fundador da Furacão 2000, Rômulo Costa idealizou a manifestação e explicou que a sua expectativa é levar mais de 100 mil pessoas na orla. Para isso, conta com a presença maciça dos moradores de comunidades próximas, como Rocinha, Vidigal, Pavão Pavãozinho e Cantagalo.

    O funkeiro criticou o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha. “Temos um presidente ilegítimo para comandar o processo. O paraíso fiscal do Cunha, no Rio, é a Assembleia de Deus”, acusa Costa, que, apesar de evangélico e frequentador da Igreja Universal, tece fortes críticas ao modo como as igrejas são conduzidas, com isenção de impostos. “E os evangélicos de Brasília não me representam”.

    Costa também rechaçou as críticas ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e destacou as conquistas do governo do petista. “Ele tinha que morar em um prédio de dez andares na Vieira Souto, por tudo o que já fez pelo país”, disse.

    Largo da Batata ocupado em SP

    Em defesa da democracia, desde o domingo (10), artistas e representantes de movimentos sociais estão acampados no Largo da Batata, zona oeste, da capital paulista. Tem atração para todos os gostos. Acompanhe abaixo:

    Hoje (13)

    14h - Erickson (Apresentação + Oficina de circo) / Democracia e sociedade autoritária (Marilena Chauí e Maria Rita Kehl)
    14h15 - Multisambofônico (circo/música)
    15h - Tica Lemos (Oficina de dança + Performance)
    16h - Oficina Clube do Bordado / Comitês universidades / Filme + debate - Tatuagem - Dir. Hilton Lacerda
    17h - Lucas Weglinski
    17h40 - Leitura do Manifesto
    18h - Da Lua (Nação Zumbi)
    19h - Rafael Castro / Resistência! Contra o golpe e por novas saídas (Guilherme Boulos, Leonardo Sakamoto, Juca Kfouri e Anelis Assumpção)
    20h - Andre Whoong
    20h40 - KL JAY DJ Set
    21h - DJ Craca + Dani Nega
    22h – Rashid

    Quinta-feira (14)

    12h - Felipe Antunes
    13h - Meno Del Picchia
    14h - Guilherme Kastrup
    15h - Rincon Sapiência
    16h - Chico Salem / Filme + debate - Verdade 12.528 - Dir. Paula Sacchetta
    16h40 - Virada de palco - Baque e Atitute/ Maracatu no solo
    17h - Tiê
    17h40 - Leitura do Manifesto / Virada de palco - Baque e Atitute/ Maracatu no solo
    18h - Guizado
    18h40 - EU EM TI | Sandro Borelli com a Cia Carne Agonizante (dança) com trilha
    19h - Anelis Assumpção
    20h - Lira
    21h - Tulipa Ruiz
    21h40 - Fuzarca Feminista
    22h - BNegão Trio
    23h - Bixiga 70

    Sexta-feira (15)

    14h - Luis Ferron e Dani Dini (dança)
    15h - Sandra Miyazawa | performance
    16h - Ensaio Aberto - Penélope Cia de Teatro / Filme O rap do pequeno príncipe contra as almas sebosas - Dir. Paulo Caldas
    17h - Vivendo do Ocio GRUA (Gentleman de Rua) Cia J.Garcia (dança)
    17h40 - Leitura do Manifesto / Tata Aeroplano DJ SET
    18h - Naná Rizinni
    19h - Aeromoças e Tenistas Russas
    20h - Renascentes / Sérgio Vaz + Binho
    21h - Tape & Scandurra (EST)
    22h – Jaloo

    Sábado (16)

    10h - Isadora Canto - Oficina
    11h - Isadora Canto - Oficina / Cultura e novas narrativas democráticas (Márcia Tiburi, Leticia Sabatella, Tata Amaral)
    13h - MC Soffia (15min)
    15h - Thiago Samba
    16h - Filme + Debate Hoje eu quero voltar sozinho - Dir. Daniel Ribeiro/ Samba de Roda | Rodrigo Campos, kastrup, Jorge Chamon, Da Lua, Roseno, Kiko Dinucci + meninas Ilú Obá de Min
    17h - Maglore
    17h40 - Leitura do Manifesto
    18h - Mauricio Pereira
    18h40 - Bárbara Eugênia DJ Set
    19h - Nobrega
    20h - Black Alien
    22h - Felipe Cordeiro
    23h - Peixe Elétrico

    Portal CTB com informações do jornal O Dia e Catraca Livre

  • Confira poema que define a situação do país e as vaias contra o golpista Temer

    Temer ouviu de novo uma sonora vaia em Maracanã lotado na abertura das Paralimpíadas Rio 2016

    O presidente golpista Michel Temer teve o que merece. No desfile militar em comemoração do Dia da Independência nesta quarta-feira (7), teve que ouvir “Fora Temer” na arquibancada em Brasília, logo pela manhã.

    Asssista o protesto durante o desfile militar na capital federal 

    A noite na abertura dos Jogos Paralímpicos Rio 2016, quando o presidente do Comitê Paralímpico Internacional, Philip Craven, anunciou o nome de Temer para declarar os jogos abertos, uma sonora vaia tomou conta do Maracanã, Temer falou mais rápido que o velocista jamaicano Usain Bolt.

    Segundo o instituto DataTemer não foi uma sonora vaia, foram alguns apupos. Confira! 

    As apresentadoras do programa "Saia Justa", do canal pago GNT criticaram a repressão policial à manifestação pelo "Fora Temer" e por Diretas Já no domingo (4) no Largo da Batata, em São Paulo. Elas denunciaram que existem diversos vídeos que comprovam a falácia dos argumentos utilizados pela Polícia Militar.

    Assista

    Texto da atriz Natália Rizzo diz tudo sobre a situação política do país. “Não se faz política sem discussão”, diz ela. A “ditadura morava nas nossas casas” e agora a “mídia nadando de braçadas, como quem não quer nada presidindo o país sem presidente”.

    Ouça a atriz Natália Siufi Rizzo declamando 

    E continua: “O país Estado ausente, pau mandado do exterior” porque “difícil é expulsar multinacionais” num país "onde preta e pobre é estuprada”. Por isso, complementa ela, é necessário “organizar outro mundo possível que tenha amores e fortaleça o público”.

    Veja Fábio Porchart 

    Já o ator gravou vídeo onde ironiza a figura do presidente sem votos. Diz que o “Temer tem mania de diminuir as coisas”, porque o golpista falou que só tinham 40 pessoas protestando contra ele nas ruas do país. “O mandato da Dilma ele diminuiu 2 anos”. Para o ator, “a versão do Temer de 'Ali Babá e os 40 ladrões' voltou Carandiru e Bangu 2”.

    Acompanhe também uma versão atualizada do Hino Nacional que prestitiga o "Fora Temer"

     

    Marcos Aurélio Ruy – Portal CTB

  • É hoje: todos e todas às ruas para defender o Brasil e a Democracia

    Convocamos o povo brasileiro à resistência diante da ameaça fascista representada na candidatura Bolsonaro. O desprezo de Jair Bolsonaro pela democracia não consta somente no seu passado, mas é expresso cotidianamente por sua campanha que defende abertamente um projeto autoritário e excludente, prevendo até mesmo a eliminação física dos seus opositores. 

    Independentemente das colorações partidárias, esta é a hora de todos aqueles que defendem a democracia saírem às ruas e disputarem a opinião pública. Sabemos que a única forma de impormos uma resistência a essa onda fascista é através da eleição de Fernando Haddad.

    Ainda é tempo de virarmos esta eleição, há uma percepção crescente do perigo que representa a vitória de Bolsonaro. Mas para transformarmos essa percepção em apoio à Haddad é preciso nos mobilizarmos, de hoje até o dia 28.

    É fundamental conversarmos com as pessoas próximas, mas também irmos de porta em porta dialogando com o povo sobre o que está em jogo nesta eleição. Não podemos deixar que o medo da violência praticado pelos apoiadores de Bolsonaro nos intimide. Temos que nos precaver andando sempre em grupos, e não caindo em provocações, mas devemos sair às ruas com a cabeça erguida de quem está do lado certo da história.

    Além disso, precisamos nesta reta final disputarmos as ruas. Para tanto, estamos convocando um grande ato nacional a ser realizado no próximo dia 24 de outubro, quarta-feira, às 17h no Largo da Batata em São Paulo.

    O comício da virada, além de lideranças do movimento popular e personalidades de diversos setores da sociedade, contará com a presença de Haddad e Manuela.

    Por fim, no dia 27 de outubro, sábado véspera da eleição, será um novo dia nacional de mobilização. É fundamental que em todas as cidades se organize algum tipo de manifestação, seja em formato de carreata, caminhadas ou atos públicos.

    Esta será uma semana decisiva em nossas vidas, não devemos medir esforços para evitar que esta ameaça ao nosso país se concretize. É hora de defendermos o Brasil, de defendermos a Democracia.

    Frente Brasil Popular
    Frente Povo Sem Medo

    Serviço:

    24/10 - Largo da Batata, São Paulo, às 17h

    27/10 - atos em todo o Brasil

    Portal CTB

  • Monica Iozzi e Wagner Moura convidam para o SP Pelas Diretas Já neste domingo (4). Assista!

    Para a jornalista Monica Iozzi “o povo brasileiro tem o direito de escolher quem será o nosso novo presidente. Não dá pra gente deixar essa escolha na mão desse Congresso que tá aí”. Por isso, “todos unidos pela democracia. Diretas Já”, complementa o ator Wagner Moura.

    Monica Iozzi  

    Iozzi e Moura convidam a todas e todos a participar do SP Pelas Diretas Já, no Largo da Batata, na zona oeste de São Paulo. A festa política começa às 11h, sem hora para acabar. Participam Criolo, Tulipa Ruiz, Maria Gadú, Emicida, Rael, Mano Brown e muitos outros.

    “É a vez da maior cidade do país fazer a sua manifestação pelas Diretas Já”, afirma Moura. Ele acredita que a manifestação de São Paulo “será maior ainda que a de Copacabana no Rio de Janeiro”. Já Iozzi complementa dizendo que “a gente quer pedir Fora Temer, a gente quer pedir Diretas Já”. Participe!

    Wagner Moura 

    Leia mais

    Show pelas Diretas Já chega a São Paulo neste domingo (4). Compareça!

    Serviço:

    SP Pelas Diretas Já
    Dia : Domingo (4), às 11h
    Local: Largo da Batata, Pinheiros, São Paulo

    Portal CTB – Marcos Aurélio Ruy

  • Show pelas Diretas Já chega a São Paulo neste domingo (4). Compareça!

    O engajamento dos artistas começou no Rio de Janeiro no domingo (28). Mais de 100 mil pessoas levaram alegria para a praia de Copacabana para cantar, dançar e defender a democracia e barrar os retrocessos do “desgoverno” Temer.

    Confirme presença por aqui.

    A segunda jornada da campanha por Diretas Já será na capital paulista, no Largo da Batata, em Pinheiros, na zona oeste. “Faremos um ato político com arte onde as falas dos movimentos sociais e culturais que acontecerão longo do domingo vão abordar as Diretas Já e outras pautas nacionais de oposição ao desastroso governo Temer”, dizem os organizadores do SP pelas Diretas já.

    Do amor, de Tulipa Ruiz e Gustavo Ruiz

    A partir das 11h da manhã, diversos blocos de carnaval começarão a festa, que contará com a presença de Pitty, Tulipa Ruiz, Maria Gadú, Emicida, Criolo, Mano Brown, Chico César, Rael, Péricles, Otto, Edgard Scandurra e quem mais aparecer para defender a saída de Temer e eleições diretas para a Presidência já.

    Lembrando que nesta quarta-feira (31), a Comissão de Constituição e Justiça do Senado aprovou um projeto de emenda à Constituição, de autoria do senador José Reguffe, sem partido, do DF, prevendo eleição direta em caso de vacância do cargo de presidente. E na Câmara dos Deputados tramita a Proposta de Emenda à Constituição de autoria do deputado federal Miro Teixeira, da Rede-RJ.

    Final de tarde, de Edgar do Cavaco e Thiago Silva; canta Péricles 

    O movimento pelas Diretas Já ganhou a adesão de muitos artistas, após às graves denúncias contra Temer e a possibilidade de sua renúncia. Isso porque de acordo com a legislação vigente se ele sair, a eleição é indireta via Congresso Nacional.

    Rouxinol, de Rael 

    De acordo com os organizadores do SP Pelas Diretas Já, a campanha pretende dialogar com toda a sociedade, principalmente com os mais de 90% que se mostram a favor de eleições diretas e querem a saída de Temer.

    Leia mais

    Que seja para o bem a participação de artistas na vida política do país

    Portal CTB – Marcos Aurélio Ruy