Sidebar

24
Qua, Abr

Rede Record

  • Com Bolsonaro, gasto com publicidade aumenta e Record, de Edir Macedo, supera Globo

    Nos primeiros 3 meses de 2019, emissora do bispo da Igreja Universal do Reino de Deus ganhou 8 vezes mais dinheiro do governo na comparação com 2018

    Com Bolsonaro, gasto com publicidade aumenta e Record, de Edir Macedo, supera Globo

    Nos primeiros 3 meses de 2019, emissora do bispo da Igreja Universal do Reino de Deus ganhou 8 vezes mais dinheiro do governo na comparação com 2018

    Em ao menos dois anos, é a primeira vez que ocorre essa inversão. No primeiro trimestre do ano passado, os veículos da família Marinho faturaram R$ 5,93 milhões, contra R$ 1,3 milhão da Record e R$ 1,1 do SBT.

    O faturamento da emissora de Edir Macedo, em 2019, chegou a 10,3 milhões. O SBT ficou R$ 7,3 milhões e a Globo, com R$ 7,07.

    O montante gasto pelo governo Bolsonaro chegou a R$ 75,5 milhões de janeiro a março. No mesmo período de 2018, o valor totalizou 44,5 milhões.

    Ao UOL, a Secretaria Especial de Comunicação (Secom) do Palácio do Planalto alegou que os pagamentos feitos no primeiro trimestre são referentes a despesas contratadas na gestão do ex-presidente Michel Temer (MDB) e que Jair Bolsonaro autorizou, até agora, o gasto de R$ 12 milhões referentes à campanha publicitária da reforma da Previdência.

     

    Com informações de revistaforum.com.br

  • Ex-ministro Antonio Palocci ameaça denunciar a Globo e a família Marinho treme

    O programa Domingo Espetacular, da Rede Record, exibiu neste domingo (16) por mais de 16 minutos uma consistente reportagem de Luiz Carlos Azenha sobre as inúmeras acusações de sonegação fiscal, empresas de fachada em paraísos fiscais e corrupção envolvendo a família Marinho, dona da organização de comunicação mais poderosa do país, a Rede Globo.

    O ex-ministro Antônio Palocci diz ter muito o que delatar da emissora carioca. “O mais importante é que as denúncias contra as organizações Globo foram colocadas em rede nacional, deixou de se restringir apenas à blogosfera”, afirma Altamiro Borges, jornalista e presidente do Centro de Estudos da Mídia Alternativa Barão de Itararé.

    Para ele, há uma disputa política evidente entre a família Marinho e a emissora ligada à Igreja Universal. “A reportagem do Azenha não deixa dúvidas de que o ex-ministro Palocci sabe muita coisa que pode envolver ilícitos dos Marinho. Resta saber se a Lava Jato vai aceitar a delação e se o STF (Supremo Tribunal Federal) não vai impedir as investigações”.

    O jornalista Miguel do Rosário já vinha denunciando desde 2013 o envolvimento das organizações Globo em negociatas pelos direitos de transmissão da Copa do Mundo de 2002, empresas de fachada, utilização de laranjas, desvio de bilhões e sonegação fiscal bilionária.

    Confira a reportagem completa da TV Record: 

    Borges explica que a briga entre as poderosas empresas de comunicação transcende a disputa comercial. “A Globo deseja tirar o Michel Temer e a realização de eleições indiretas para o aprofundamento do projeto golpista. A Record se mantém aliada a Temer por estar ligada a outro projeto”.

    Ele explica que em relação às reformas contra a classe trabalhadora a Record consegue ser pior que a Globo. “Um levantamento mostra que 100% das reportagens da emissora de Edir Macedo têm sido favoráveis às reformas, na Globo 90%.

    A briga apenas começou. A coluna Esplanada do jornal O Dia diz que o presidente ilegítimo ordena a execução de dívidas da empresa dos Marinho com a União. Informa ainda que a “tropa de choque” de Temer ameaça não renovar concessões da emissora. A conferir.

    Portal CTB – Marcos Aurélio Ruy

  • Jornalista de rádio da Rede Record, em Porto Alegre, é censurado e se demite ao vivo

    O candidato Jair Bolsonaro (PSL), que não participa de debates com o seu oponente Fernando Haddad (PT), já começa a causar desemprego. Ao conceder entrevista, nesta terça-feira (23), por telefone ao programa Bom dia, da Rádio Guaíba, de Porto Alegre, impediu que jornalistas fizessem perguntas.

    “Nós poderíamos dizer que o candidato nos censurou?”, questionou o jornalista Juremir Machado da Silva ao final da entrevista. O apresentador do programa Rogério Mendelsk, da rádio, que pertence à Rede Record, de Edir Macedo, tentou explicar que Bolsonaro se comprometeu a responder as perguntas formuladas somente por ele, mas não convenceu.

    “O silêncio de vocês foi uma condição do candidato”, afirmou Mendelski. Já Silva respondeu que achou “humilhante e, por isso, estou saindo do programa. Foi um prazer trabalhar aqui por dez anos” e se demitiu ao vivo.

    Assista o pedido de demissão e a tentativa frustada de explicar a censura 

    Edir Macedo censura

    O site Intercept Brasil publicou no sábado (8) uma denúncia sobre pressão feita pelo site R7, do grupo de Edir Macedo, impedindo os profissionais e publicarem qualquer matéria negativa a Bolsonaro.

    Luciana Barcellos, chefe de redação do principal programa de notícias do portal, pediu demissão, na quinta-feira (13). O Sindicato dos Jornalistas de São Paulo também denuncia que jornalistas da Record reclamam da pressão que o bispo da igreja Universal exerce para atacarem Fernando Haddad e elogiarem Jair Bolsonaro.

    Portal CTB

  • Radialistas de Sergipe fazem ato em emissora da Rede Record

    Um ato pacífico na frente da TV Atalaia, afiliada da Rede Record em Sergipe, marcou mais um dia da campanha salarial dos radialistas do Estado, em greve desde o sábado (22). A manifestação, realizada nas primeiras horas da manhã desta segunda-feira (24), foi promovida pelo sindicato da categoria com o apoio da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil em Sergipe (CTB-SE).

    A categoria reivindica 4% de reajuste mais 1% de ganho real. A campanha salarial dos profissionais de rádio e tevê foi deflagrada no dia 19 de fevereiro, quando o Sindicato dos Radialistas de Sergipe (STERTS) fez a entrega da pauta de reivindicações ao sindicato patronal.

    Recusa

    Nos últimos seis meses, após várias rodadas de negociação, os empresários da Comunicação acordaram em assegurar a reposição de 4%, mas se recusam a dar o ganho real de 1% sobre o piso salarial da categoria. Diante do impasse, os dirigentes da entidade decidiram fazer uma manifestação na entrada da TV Atalaia.

    “O ato de hoje foi pacífico. Os trabalhadores tiveram acesso à tevê, mas, se não houver avanço nas negociações, nós vamos fechar uma emissora ainda esta semana”, alerta Avannilson Santana, presidente do Sindicato dos Radialistas de Sergipe.

    Reunião

    O dirigente sindical ressalta ainda que, além de se recusarem a conceder o ganho real, os patrões descumprem acordos já firmados, a exemplo da TV Atalaia que não implantou o vale-alimentação. Nesta terça-feira (25), será realizada mais uma rodada de negociação.
    Para Adêniton Santana, presidente eleito da CTB-SE, os donos das emissoras de rádio e televisão de Sergipe têm condições de contemplar a categoria com 1% de ganho real. “Esperamos que, no máximo, quarta-feira já tenhamos uma solução para esse impasse, que a resposta à reivindicação dos radialistas seja positiva e a categoria possa encerrar a greve”, afirma o dirigente da CTB-SE.

    Niúra Belfort - CTB-SE