Fonte

O presidente do Sinteam, professor Marcus Libório, participa desde ontem do Conselho Nacional das Entidades (CNE). Sindicalistas de várias regiões do país debatem sobre a conjuntura nacional e a construção da greve geral da classe trabalhadora. O encontro acontece na sede da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE).

Libório disse que os trabalhadores em educação de todo o país estarão unidos na greve geral da educação, que acontece no dia 15 de março e terá a participação das centrais sindicais. “Nossa intenção é barrar a Reforma da Previdência que, de forma absurda, retira direitos básicos da classe trabalhadora, da nossa categoria e, principalmente, das mulheres”, afirmou.

Em Manaus, o Sinteam deve realizar uma grande mobilização para o dia 8 de março, dia internacional da mulher, que servirá para alertar para o dia 15 denunciando todos os prejuízos que as reformas em tramitação no Congresso Nacional trarão para as mulheres trabalhadoras, caso aprovadas.

O presidente da CNTE, Heleno Araújo Filho, contabiliza que 20 estados estarão unidos nessa resistência. “E hoje vai aumentar com essa atividade do Conselho. Teremos um 15 de março bem movimentado em todo o país”, ressalta Heleno.

O palestrante Nivaldo Santana, vice-presidente da Confederação dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), enfatiza a problemática das recentes reformas, além de enaltecer a mobilização para o dia 15 de março. “Foi uma iniciativa que começou no congresso da CNTE e conseguiu angariar apoios nas centrais, na Frente Brasil Popular. Então, acho que o debate consolidou para nós da CTB a importância da mobilização e desse 15 de março como grande dia de greve no país”, afirma Nivaldo.

Fonte: Sinteam