24
Ter, Out

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

Para a CTB-Bahia, a primavera começa com luta. Dirigentes de diversos sindicatos se reuniram nesta sexta-feira (22/09), pela manhã, na praça da Piedade, em Salvador, em manifestação contra a reforma da Previdência, a precarização do trabalho e a política neoliberal agressiva de desmonte do Estado do governo Temer.

O ato ‘Primavera de Lutas: se você não lutar, não vai se aposentar’ contou com a distribuição de rosas para a população. O protesto incluiu ainda denúncias contra a falta de investimento e o descompromisso do prefeito de Salvador, ACM Neto, com a saúde e o funcionalismo municipal, bem como chamou a atenção para o pacote anti-servidor de Michel Temer, que pune e desvaloriza o funcionário público federal.

Os dirigentes sindicais cobraram também a apuração da segunda denúncia contra o presidente ilegítimo Michel Temer, acusado de chefiar uma organização criminosa, e protestaram contra o uso de dinheiro público na compra de deputados que votaram a favor de Temer, na primeira denúncia.

Estiveram presentes na manifestação os sindicatos Assufba, Metalúrgicos, Sindsaúde, Bancários, Comerciários, APLB, Sindseps, Sindibeb, Rodoviários, Comerciários de Irecê, Sintracom, Feasapeb, entre outros.

primaveradelutas ato11

O ato desta sexta-feira dá início a uma grande jornada de lutas. No próximo dia 2 de outubro, haverá audiência pública na OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) sobre a Previdência Social e no dia 5 de outubro, acontece uma passeata da Piedade à praça Castro Alves.

O presidente da CTB-Bahia, Pascoal Carneiro, reafirmou a posição da Central contra a reforma da Previdência, desmontando o argumento do governo de que há déficit e falta de dinheiro. “Todos os estudos mostram que a Previdência é superavitária, e mesmo que não fosse, caberia ao governo cobrar os devedores”.

Ele explicou que as empresas devem R$ 1,8 bilhão ao INSS. Desses, R$ 400 milhões caducaram, porque não foram cobrados no prazo; R$ 400 milhões já podem ser executados, constando na dívida ativa nacional; e o R$ 1 bilhão restante, sequer está sendo requerido pela Procuradoria Geral da República, que, a mando do governo, ainda não ingressou com ações judiciais, alegando que pode falir as empresas. “Só que prejudicar o conjunto da população, inclusive os mais pobres, isso o governo pode e faz. Com essa medida, Temer está mostrando claramente de que lado está”, concluiu Pascoal Carneiro.

foto ato1

O vice-presidente da Feasapeb (Federação das Associações dos Aposentados, Pensionistas e Idosos do Estado da Bahia), José Bispo, parabenizou a CTB pela iniciativa e reforçou que a entidade está lutando contra a reforma previdenciária, que não atende aos interesses dos aposentados e pensionistas.

Aposentado e dirigente do Sindicato dos Rodoviários, Cosme Ferreira (Cosme Capenga) afirmou que a Previdência é uma conquista e que muita gente lutou para que hoje a aposentadoria fosse um direito. “O povo brasileiro não pode perder aquilo que conquistou. Se aposentar com 49 anos de contribuição é crime”, protestou.

Também aposentado, Jonas Lima, dirigente do Sindicato dos Metalúrgicos, destacou que é preciso alertar a juventude para a gravidade dessa reforma e trazê-la para a luta. “Não podemos cruzar os braços. A Previdência tem que ser pública, tem que ser nossa”, completou.

primaveradelutas ato200

O coordenador da CTB Regional Irecê, Rafael Sydarta, esteve presente ao ato e manifestou indignação à retirada de direitos. Para ele, a Primavera de Lutas é o início da mobilização contra a reforma da previdência e à grave situação que o país enfrenta.

CTB-Bahia 

0
0
0
s2sdefault
Em protesto contra nova lei trabalhista, movimento sindical prepara ato nacional     10 de novembro