Sidebar

25
Sáb, Maio

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

A APLB-Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado da Bahia liderou nesta quarta-feira (5) uma grande manifestação em frente à Secretaria Estadual de Educação, no Centro Administrativo da Bahia, em Salvador. "Mais de 1.000 profissionais da educação protestaram nesta manhã pelo direito de se aposentar com dignidade", diz Rui Oliveira, primeiro-secretário da APLB. 

De acordo com Oliveira, o governo da Bahia obriga as educadoras e os educadores baianos a permanecer em atividade em sala de aula por 3, 4 anos, "até a definição da aposentadoria do profissional ser publicada no Diário Oficial (DO)". Isso, diz ele, "é uma maldade que se faz com quem se dedicou por 25 anos ou mais à árdua tarefa de ensinar". 

O sindicalista diz ainda que em muitos casos, "professoras e professores trabalham doentes, em muitos casos graves". Ele conta que em maio foi feito um acordo com o governador Rui Costa (PT) estabelecendo 120 dias para a publicação da aposentadoria no DO e se isso não ocorrer, de acordo com a Propostas de Emenda à Constituição, os profissionais deverão aguardar em casa.

"Queremos gastar as nossas energias para derrotar as reformas nefastas de Michel Temer, mas se for necessário intensificaremos nossas ações para que o governador do estado respeite o nosso acordo", reforça o primeiro-secretário da APLB.

Assista vídeo onde Rui Oliveira explica os motivos dos profissionais da educação 

 

Portal CTB - Marcos Aurélio Ruy. Foto: Getúlio Lefundes

 

0
0
0
s2sdefault

Quer saber o que acontece no movimento sindical e no mundo do trabalho?

Digite seu nome e e-mail para receber gratuitamente nosso informativo.