Sidebar

21
Dom, Jul

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

O governo de Michel Temer acelera o desmonte dos bancos públicos. No BB, quase 10 mil funcionários deixaram a instituição por meio do programa de demissão voluntária. Centenas de agências também foram fechadas em todo o país, 12 somente na Bahia. A Caixa também segue o mesmo caminho. Principal responsável por programas de inclusão social, o banco está cortando o quadro de pessoal e se preparando para fechar agências e departamentos. 

Das 16 gerências de filiais que cuidam do FGTS, as chamadas GIFUG, apenas cinco vão continuar em atividade, nenhuma nas regiões Norte e Nordeste. Os serviços serão mantidos em Brasília, São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Florianópolis. O fechamento atinge, em média, 1,2 mil empregados. Em Salvador, o setor que atualmente conta com 56 empregados, será reduzido para apenas 12, até março de 2018.

O BNB também está em processo de desmonte. Agências serão fechadas e o quadro de pessoal reduzido. De acordo com o presidente do Sindicato Augusto Vasconcelos, "o governo Temer ataca os bancos públicos para atender interesses do sistema financeiro, que pretende enfraquecer todas as estatais. Há propostas que circulam no seio do governo, que visam retirar o FGTS da Caixa e entregar os recursos também para bancos privados. Na prática isso pode inviabilizar programas como o Minha Casa Minha Vida e outros projetos de desenvolvimento urbano", conclui.

Fonte: Seeb-BA

0
0
0
s2sdefault

Quer saber o que acontece no movimento sindical e no mundo do trabalho?

Digite seu nome e e-mail para receber gratuitamente nosso informativo.