Sidebar

21
Ter, Maio

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

Cerca de 4 mil trabalhadores e trabalhadoras prestigiaram o ato do Dia do Trabalhador, promovido pela CTB Regional Sul Bahia, com o apoio dos sindicatos, neste domingo, 1º de maio. O evento ocorreu no Recanto dos Comerciários de Itabuna e teve como mote a defesa dos direitos dos trabalhadores, da democracia e contra o golpe. A parte musical ficou por conta da Banda Via de Acesso e do forrozeiro Targino Gondim.

Entre uma apresentação e outra, dirigentes dos sindicatos dos Comerciários, Bancários, servidores municipais, agentes comunitários de saúde e de combate às endemias, operários da construção civil, professores e têxteis e calçadistas saudaram os presentes denunciando o golpe de estado em curso no país.

O diretor do sindicato dos Comerciários, Gilson Costa, afirmou que o golpe é contra os direitos dos trabalhadores. “O projeto de Temer e Cunha tem por objetivo principal acabar com todas as conquistas dos trabalhadores, por isso precisamos nos mobilizar para barrar este golpe”, disse o dirigente sindical.

Zilar Portela, presidenta do Sindicato dos Agentes Comunitários de Saúde e de Combate às Endemias do Sul e Extremo Sul da Bahia -Sindiacs, alertou aos presentes que a democracia está em cheque. “Estão reeditando o golpe de 1964, mas naquele ano foram os militares, hoje é a mídia, os partidos derrotados nas urnas e parte do judiciário que atacam a nossa jovem e frágil democracia”, ponderou Zilar.

A presidenta do Sindicato dos Servidores Municipais de Itabuna, Wilmaci Oliveira, elencou alguns dos projetos de lei em tramitação no Congresso que atacam direitos dos trabalhadores, em especial o PL 257/16, que atinge os servidores públicos das três esferas. “Não é justo que os servidores públicos paguem pelo refinanciamento da dívida pública de estados e municípios”, protestou.

Sueli das Neves, diretora do sindicato dos Têxteis e Calçadistas, questionou a legitimidade de um eventual governo do PSDB. “Um foi derrotado nas urnas em 2014 e o outro não foi eleito para o cargo que pleiteia. É preciso respeitar a vontade das urnas, é preciso respeitar a democracia”, afirmou Suely.

Jorge Barbosa, presidente do Sindicato dos Bancários de Itabuna e Região, afirmou que a classe trabalhadora precisa se unir e ocupar as ruas para barrar o golpe em curso. “O golpe já foi dado, mas um governo Temer/Cunha não tem a menor legitimidade para governar o país, por isso vamos ocupar as ruas para exigir Diretas Já, novas eleições, para que o povo brasileiro mostre quem deve governar o Brasil”, propôs o sindicalista.

Para recarregar as energias e enfrentar os desafios, o forrozeiro Targino Gondim fez um grande show, apresentando seus grandes sucessos, além de clássicos do forró de Luiz Gonzaga e Dominguinhos.

Por Luiz Carlos Jr

0
0
0
s2sdefault

Quer saber o que acontece no movimento sindical e no mundo do trabalho?

Digite seu nome e e-mail para receber gratuitamente nosso informativo.