Sidebar

24
Dom, Mar

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

A CTB Bahia reuniu a sua direção nesta terça-feira (14/12), em Salvador, para avaliar as ações de 2016 e planejar as ações para os primeiros meses de 2017. O encontro foi realizado na Federação dos Bancários da Bahia e Sergipe, no Centro, e contou ainda com a participação de alguns convidados, como o presidente do estadual PCdoB, Davidson Magalhães, que fez uma exposição sobre a conjuntura política e econômica, diante dos ataques sistemáticos do governo ilegítimo de Michel Temer aos direitos sociais e trabalhistas.

“Fizemos um balanço positivo das ações da CTB durante um período conturbado de grave crise econômica e política no país, no qual o protagonismo da Central foi importante nas manifestações ocorridas. Ao mesmo tempo, fizemos um balanço objetivo das atividades das secretariais, colocando aquilo que avançou, o que ficou comprometido com a situação e o que precisa de correções”, informou o presidente da CTB Bahia, Aurino Pedreira.

Neste balanço, o que chamou atenção foi o número de ações realizadas pela CTB Bahia em 2016, 56 ao todo. Foram três cursos de formação, sendo um em Itabuna; três seminários estaduais; 40 atividades de ruas, muitas em parceira com as frentes e as centrais sindicais, além da participação em manifestações tradicionais como o Bonfim, Mudança do Garcia, 2 de Julho e Grito dos Excluídos. Isso sem contar, os atos puxados pelos sindicatos filiados e os eventos de outras entidades em que a CTB também se fez presente.

O encontro serviu ainda para traçar um esboço de planejamento para 2017, com destaque para a realização do 4º Congresso Estadual da CTB, que deve acontecer em junho, e o Congresso Nacional da Central que também será na Bahia, no mês de agosto.

“Sinalizamos também a agenda para 2017, que é a continuidade da trincheira de lutas nas ruas para defender os direitos dos trabalhadores, com uma interação cada vez mais forte com as frentes, os movimentos sociais e as demais centrais. Uma CTB mais forte, mais atuante e cada vez mais organizada, este é o espirito que estamos tentando construir até o fechamento do mandato desta direção, que vai se encerrar até julho de 2017”, ressaltou Aurino.

Fonte: CTB-BA

0
0
0
s2sdefault

Quer saber o que acontece no movimento sindical e no mundo do trabalho?

Digite seu nome e e-mail para receber gratuitamente nosso informativo.