Sidebar

25
Sáb, Maio

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

Em Assembleia Geral ocorrida nesta sexta-feira (05), o Sindicato dos Servidores do Poder Judiciário do Estado da Bahia (Sinpojud-BA) decidiu filiar-se à Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil.

Durante a plenária, o diretor financeiro do sindicato, Antônio Ribeiro “Bhené”, argumentou que atualmente não se consegue fazer movimento sindical isolado, e que, diante do interesse do desmantelamento dos sindicatos por parte do Governo, o momento é de filiação a uma central sindical. “A CTB seria a mais indicada à filiação do Sinpojud, pois sempre apoiou a categoria do judiciário baiano”, pontuou.

Para o presidente da CTB, Adilson Araújo, a filiação vem num momento crucial de resistência. "O Sinpojud é uma das principais entidades sindicais do Brasil, e a aprovação da filiação à CTB tem importância fundamental na defesa dos direitos da classe trabalhadora”, avaliou. Araújo comentou a decisão à luz da conjuntura política atual: “Neste momento, em que as forças reacionárias tentam impor uma agenda regressiva, que visa o desmonte da Previdência pública, da desregulamentação do trabalho e da terceirização generalizada, é tarefa primordial fortalecer a unidade dos trabalhadores. A nossa luta continua sendo a defesa da universalização dos serviços públicos, e é essencial a participação dos trabalhadores e trabalhadoras do serviço público para barrar a possibilidade de retrocesso"

Estado de Greve

A assembleia dos servidores decidiu também pela manutenção do estado de greve, com elaboração de um novo calendário de mobilização.

O presidente do Sinpojud, Zenildo Castro, avaliou o encontro como democrático e produtivo, e enfocou: “Manteremos o estado de greve e desta vez sairemos do momento diálogo para cobrar medidas efetivas do Tribunal”.

Em pauta está a reposição inflacionária 2016 e 2017 da categoria, o pagamento do passivo dos 18% do Plano de Cargos e Salários e o pagamento da gratificação da Progressão por Merecimento.

Ficou deliberado paralisações para os dias 25/05, 01/06 e 08/06, além de uma Assembleia Geral com paralisação de 24 horas no dia 07 de julho.

O diretor de Imprensa do Sinpojud, Jorge Cardoso, comentou a necessidade da paralisação: “o estado de greve é um momento que implica em avaliação da categoria diante do andamento dos pleitos e das reivindicações, com indicativo de uma possível greve por tempo indeterminado, caso estas não sejam atendidas”.

Portal CTB, com informações do Sinpojud-BA

0
0
0
s2sdefault

Quer saber o que acontece no movimento sindical e no mundo do trabalho?

Digite seu nome e e-mail para receber gratuitamente nosso informativo.