Sidebar

22
Ter, Jan

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

Enquanto o dia do bancário estava sendo celebrado pela maioria dos sindicatos devido as conquistas e lutas constantes, a Caixa Econômica Federal resolveu relembrar e ressaltar o motivo da data histórica. Nesta última segunda-feira (29/8) a entidade bancária anunciou o fechamento de mais agências pelo país.

Em Salvador, deixam de prestar atendimento à população as agências de Campinas de Pirajá e Praça da Revolução, localizadas em regiões periféricas da capital, e que atendem muita gente carente, sobretudo beneficiários do Bolsa Família.

Ao ser questionado pela Comissão Executiva dos Empregados da Caixa (CEE/Caixa), na última reunião realizada no dia 15 de agosto de 2017, o banco omitiu as informações sobre o encerramento das atividades e quais agência seriam afetadas.

Com investimentos em projetos de construção de moradias populares, incentivo ao esporte, à cultura e financiamento a educação, micro e pequenas empresas, a Caixa se tornou um banco público fundamental para o desenvolvimento econômico e social do país, a redução da sua capilaridade é preocupante para a população.

Na última reunião com os representantes empregados, a direção da Caixa afirmou que não tinha a previsão de fechamento de agências e que o déficit financeiro das unidades era o principal parâmetro a ser considerado.

Para o presidente do Sindicato dos Bancários da Bahia, Augusto Vasconcelos, "o processo de fechamento de agências retira trabalhadores de suas funções e contribui para a precarização do atendimento, além de atacar o desenvolvimento local e contribuir para a recessão e desemprego no país".

Fonte: Seeb BA

0
0
0
s2sdefault

Quer saber o que acontece no movimento sindical e no mundo do trabalho?

Digite seu nome e e-mail para receber gratuitamente nosso informativo.