Sidebar

21
Dom, Jul

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

A possibilidade do Congresso votar a reforma trabalhista na próxima semana, recebeu duras críticas do presidente do Sindicato dos Bancários da Bahia, Augusto Vasconcelos. "De maneira atropelada, sem uma ampla consulta à sociedade, o governo Temer quer atacar de uma só vez, centenas de artigos da CLT, atendendo aos interesses da elite econômica e penalizando os trabalhadores, especialmente os mais pobres. A proposta é tão absurda que contém a elevação da jornada de trabalho para até 12 horas diárias e 48 horas semanais", afirmou. 

O presidente do Sindicato dos Bancários analisa que, caso a proposta seja aprovada, a própria economia do país estará em risco. "O rebaixamento de salários e direitos, diminuirá a própria circulação de riqueza no país. Quem vai consumir os produtos das empresas se os salários serão reduzidos? As medidas propostas, em nenhum lugar do mundo ampliaram empregos, mas ao contrário, agravaram a recessão".

Várias categorias prometem aderir à greve geral convocada pelas centrais sindicais. "Não vamos aceitar calados a perda de direitos. Os trabalhadores irão se levantar e no dia 28 de abril vamos parar o Brasil contra a Terceirização e as Reformas Trabalhista e da Previdência". O relatório do deputado Rogério Marinho (PSDB) pode ir à votação já na próxima quarta-feira (19), caso requerimento de urgência seja aprovado.

Fonte: Bocão News

0
0
0
s2sdefault

Quer saber o que acontece no movimento sindical e no mundo do trabalho?

Digite seu nome e e-mail para receber gratuitamente nosso informativo.