Sidebar

23
Qui, Maio

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

Em assembleia realizada pelo Sindicato dos Trabalhadores em Saúde do Estado da Bahia (Sindsaúde-Ba), nesta quarta-feira (13), os servidores estaduais da Saúde deliberaram a paralisação das atividades com manifestação nos dias que ocorrerão jogos na capital durante as Olimpíadas. Os trabalhadores também aprovaram um calendário de atividades durante o mês de julho com o objetivo de pressionar o governo do estado a abrir as negociações para conceder o reajuste salarial do funcionalismo público estadual.

Foi aprovada o a adesão da categoria na paralisação geral convocada pela Federação dos Trabalhadores Públicos do Estado da Bahia (Fetrab), no dia 20 de julho, com manifestação na Praça da Piedade, às 9h. A diretora do Sindsaúde e coordenadora da Fetrab, Ivanilda Brito, explicou que a paralisação geral dos servidores públicos foi definida em uma plenária com a participação de diversas entidades. Neste dia, será realizada uma feira de serviços, com medição de pressão, glicemia, dentre outras atividades.

No dia 21 de julho, os diretores do Sindsaúde-Ba, participarão de uma audiência com os secretários da Saúde, Fábio Vilas-Boas, e da Administração, Edelvino Góes, para discutir a pauta específica da categoria como os pagamentos da progressão por tempo de serviço, a promoção de carreira e a URV, além da discussão da revisão do Plano de Cargos, Carreiras e Vencimento (PCCV), dentre outras demandas.

No dia 22 de julho, os servidores da Saúde farão nova paralisação com manifestação em frente à Secretaria de Saúde do Estado, às 9h. No dia 27 de julho será realizada uma manifestação em frente ao Fórum Rui Barbosa para cobrar da justiça celeridade na avaliação dos cálculos da URV, apresentados pelo Sindsaúde-Ba, em 2014. Uma nova assembleia será realizada no dia 28 de julho para definir a preparação da paralisação e as manifestações durante as Olimpíadas.

“Não podemos perder a vontade de lutar. Precisamos demonstrar nossa insatisfação quanto à falta de negociação e a retirada de direitos“, afirmou o presidente do Sindsaúde-Ba, Silvio Roberto dos Anjos e Silva. Ele destacou que os servidores vão lutar até o fim pelo reajuste e que as entidades não vão aceitar mais esta medida desrespeitosa e perversa promovida pelo gestor estadual, que vem retirando direitos e confiscando o salário dos trabalhadores.

Muitos servidores já se encontram com salário base abaixo do mínimo. A situação dos servidores da Saúde é ainda mais dramática, pois a categoria vem acumulando perdas de direitos, através de medidas perversas praticadas pelo governo do estado nos últimos dois anos.

O presidente do Sindsaúde ressaltou também que aguarda julgamento do recurso impetrado pelo Estado, após o Tribunal de Justiça conceder liminar obrigando o governo a retornar o pagamento do adicional de insalubridade aos trabalhadores.

Fonte: Sindisaúde BA

0
0
0
s2sdefault

Quer saber o que acontece no movimento sindical e no mundo do trabalho?

Digite seu nome e e-mail para receber gratuitamente nosso informativo.