Sidebar

24
Dom, Mar

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

Os trabalhadores da empresa Porto Fino, terceirizada da Embasa, que estavam com as atividades paralisadas desde o dia 5/06, decidiram em assembleia geral, retornar às atividades temporariamente, para aguardar uma reunião que vai acontecer no dia 20/06, com a direção da Embasa e gestores da Porto Fino de todo o estado da Bahia.

Os trabalhadores paralisaram as atividades porque a empresa não respeita os direitos garantidos na Convenção Coletiva de Trabalho. Não fornece cesta básica, nem café da manhã, não paga horas extras, mesmo quando feitas aos sábados, domingos e feriados, e insiste em aplicar o banco de horas, que não está previsto na Convenção Coletiva da categoria. Essas irregularidades dão uma perda de cerca de R$ 700,00 na remuneração mensal dos trabalhadores.

Todas as denúncias feitas trabalhadores ao SINTRACOM-BA foram cobradas pelo sindicato à Embasa, à empresa Porto Fino e encaminhadas através de ofício para o Ministério do Trabalho, que realizou fiscalização e constatou as irregularidades.

O SINTRACOM-BA está na luta junto com os trabalhadores da Porto Fino e espera que, na reunião do dia 20, a Embasa e a empresa possam apresentar uma solução para o problema. Os direitos dos trabalhadores garantidos pela Convenção Coletiva de Trabalho devem ser respeitados.

Caso não haja uma solução, os trabalhadores podem retomar o movimento paredista e paralisar de novo as atividades. A luta é como o tempo não para.

Fonte: CTB Bahia

0
0
0
s2sdefault

Quer saber o que acontece no movimento sindical e no mundo do trabalho?

Digite seu nome e e-mail para receber gratuitamente nosso informativo.