21
Sáb, Abr

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

Na manhã desta terça-feira (16), militantes do Conselho Municipal da Mulher, Coordenadoria da Mulher e demais entidades promoveram a 1ª Marcha Contra a Cultura do Estupro na cidade de Picos, no Piauí. A concentração do evento aconteceu nas proximidades do Fórum Helvídio Nunes e percorreu as ruas da cidade até a Praça Felix Pacheco onde foi finalizado com o ato público.

O Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Picos (Sindserm-Picos) participou ativamente do ato, desde a organização até a marcha.

 Munidos com cartazes, vestindo camisetas caracterizadas e proferindo palavras de ordem contra o preconceito sofrido pelas mulheres e a violência das quais são vítimas, as militantes alarmavam sobre a importância de combater essa causa que cresce cada dia mais em Picos.

A coordenadora municipal dos Direitos da Mulher e organizadora do evento, Nega Mazé, explica o que motivou a realização da marcha. “Analisamos que em Picos há um crescimento assombrador dos números de casos de violência contra a mulher” e em alguns casos “culpam a própria vítima em ter provocado essa barbárie. Portanto, achamos necessário conscientizar à sociedade contra essa cultura criminosa que oprime a mulher”.

Coletivo Graciones é um grupo militante recém formado e idealizado por universitárias e líderes de movimentos sociais

Coletivo Graciones

O Coletivo Graciones, criado recentemente, tem como bandeira defender os direitos da mulher em Picos e região, também participou da marcha.

A criação do coletivo fortalece a rede de enfrentamento a violência doméstica e tem como objetivo exigir o cumprimento de punições severas aos crimes contra as mulheres.

Fonte: Sindserm-Picos

0
0
0
s2sdefault

Quer saber o que acontece no movimento sindical e no mundo do trabalho?

Digite seu nome e e-mail para receber gratuitamente nosso informativo.