Fonte

A decisão do governo do estado de Sergipe de novamente parcelar salários de aposentados e pensionistas provocou as lideranças da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB) e de seis sindicatos de servidores estaduais.

Juntas as entidades anunciam novo ato público, na próxima terça-feira (18), às 7h. Desta vez, a manifestação será na sede do Instituto de Previdência de Sergipe (SergipePrevidência), localizado em frente a Praça da Bandeira.

A campanha agrega as categorias de auditores fiscais/Sindifisco; enfermeiros/Seese; Trabalhadores da Saúde/Sintasa; Serviços Públicos/ Sintrase; Condutores de Ambulância/Sindiconam e Trabalhadores da Emdagro/Sinter.

O presidente da CTB-SE, Adêniton Santana, diz que “espera da parte do governo responsabilidade no estabelecimento do calendário de pagamento da folha e a decisão política de corrigir o poder de compra dos trabalhadores do serviço público”.

Salários corroídos

“O governo não pode continuar com essa política de arrocho com os servidores do Executivo estadual. Se já não bastasse perdas inflacionárias acumuladas que corroem mais de 30% dos salários, a administração insiste em parcelar os salários. Nós não podemos admitir que, com a ausência de planejamento e de prioridade justa, a administração aja com tanto desrespeito e crueldade com seus servidores”, protesta o presidente do Sindicato do Fisco de Sergipe (Sindifisco), Paulo Pedroza.

 Panfletagens

Ainda para este mês, a campanha será reforçada com panfletagens e atos unificados nos dias 26, 27 e 28, sempre às 7h, respectivamente, nas sedes da Secretaria da Fazenda (Sefaz), da Emdagro e do Hospital de Urgência de Segipe (Huse). E no dia primeiro de agosto, às 8h da manhã, a CTB e os sindicatos farão uma assembleia geral unificada, que terá como pauta paralisação geral dos servidores, caso o governo não avance com as negociações. A assembleia será realizada na sede do Sindicato dos Bancários de Sergipe.

Campanha e Audiência aguardada

O pagamento de salários dentro do mês e a recomposição inflacionária dos salários são as reivindicações unificadas da campanha da CTB, lançada nesse semestre.

No início deste mês, órgãos importantes do serviço público estadual deixaram de funcionar, com a paralisação unificada da CTB de 72 horas, que envolveu as categorias de condutores de ambulância, servidores da Saúde, enfermeiros, trabalhadores da Emdagro, da Administração e auditores fiscais.

No último dia (5) de paralisação, após uma manifestação no Palácio de Despachos, as lideranças sindicais foram recebidas pelo vice-governador Belivaldo Chagas. Belivaldo se comprometeu em retomar o diálogo agora, no dia 20. O vice-governador assumiu ainda instalar a esperada  comissão de estudos sobre a situação financeira do estado, com a participação dos sindicatos.

Déa Jacobina - Sindifisco