Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

A direção da CTB Amazonas manifesta seu profundo pesar, sua solidariedade e apoio à família e amigos do motorista da linha de ônibus 450, Francisco Araújo da Silva, de 51 anos, morto nesta noite de 14 de junho, após um assalto na Avenida Max Teixeira na Zona Norte de Manaus.

Chiquinho, como era conhecido pelos/as amigos/as, foi mais uma vítima de assassinato em serviço. Repudiamos veementemente a violência que assola nosso país e nosso estado.

A insensatez da apologia à violência e a falta de seriedade dos governos com a segurança pública e seus profissionais militares tem intensificado o ciclo da violência em todos os níveis.

Repudiamos também o descaso e desrespeito de patrões e da mídia com as necessidades laborais dos homens e mulheres desta importante categoria profissional, haja vista a forma com que foram tratados/as quando exerciam seu legítimo direito de reivindicar melhores condições de trabalho e salário e garantias emprego.

Uma grande parte dos meios de comunicação classificou a greve dos/as rodoviários/as como intransigência, vandalismo, desqualificando suas lideranças, criminalizando o movimento que é de trabalhadores, tratando-os/as como bandidos/as.

Enquanto isso, os/as motoristas e cobradores/as trabalham em condições precárias em ônibus sucateados, num eatado onde não se investe em segurança pública, expostos a todo tipo de violência, são agredidos e assassinados em assaltos recorrentes, trazendo sofrimento às famílias e cada vez mais tensão aos trabalhadores e às trabalhadoras que precisam acordar todos os dias para trabalhar sem saber se se serão demitidos/as, ou se terão seus contratos de trabalho alterados e seus salários e benefícios diminuídos ou se voltarão para vivos/as para suas casas.

Reforçamos nossa solidariedade e apoio à família e amigos.

Mas exigimos do estado providências para que a segurança pública seja tratada com seriedade e investimento e às empresas de transporte coletivo, que acolham e amparem as famílias daqueles e daquelas, que dão suas vidas para que os empresários e suas famílias tenham cada vez mais lucro.

Que os patrões tratem com humanidade e dignidade aqueles e aquelas que lutam e trabalham simplesmente para sobreviver com um mínimo de condições para si e suas famílias.

Basta de violência! Basta de exploração!

Chiquinho, presente!🌷

A Direção

CTB Amazonas 

0
0
0
s2sdefault