Sidebar

21
Dom, Abr

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

Em evento realizado hoje (09), na sede da Fetracom-PA, as Centrais Sindicais reuniram com o deputado federal Cássio Andrade (PSB-PA), integrante da CCJ - Comissão de Constituição e Justiça, da Câmara dos Deputados, para debater a proposta da Reforma da Previdência (PEC 06/2019).

Com a presença de 6 Centrais Sindicai (CTB, UGT, Força Sindical, CUT, CGTB e CSP Conlutas) e diversos sindicatos de bases no auditório com cerca de 100 dirigentes, que debateu o que representa a PEC da Morte para os trabalhadores. “É uma reforma que destrói não só a previdência, mas também a assistência, e destrói a economia nacionalv e em cada município brasileiro”, disse José Marcos – Marcão, dirigente da CTB/PA.

 

parasintra04

 

O deputado federal Cássio Andrade - PSB/PA afirmou que "somos totalmente contrário ao sistema de capitalização da previdência, contra a desconstituição do sistema, não poderemos aceitar os cortes no BBC e a reforma é muito perversa e prejudicial aos trabalhadores rurais, portanto a nossa história política não será manchada com um voto nesta nefasta reforma da previdência”. E completou, “por estes elementos e os dados econômicos votaremos contrário a atual proposta de Reforma da Previdência Social".

Cassio esclareceu, com dados e números, que as premissas para essa PEC é falsa. Não existe déficit no sistema previdenciário, cuja manutenção tem previsão constitucional, com um arcabouço de captação de recursos que permite que tenhamos um dos mais justos sistemas de assistência e previdência no mundo.

O deputado informou que o recurso da previdência é de cerca de 60 bilhões (orçamento do BBC), um dinheiro que gira na economia e mantém em funcionamento as estruturas do Estado.

O germe da maldade dessa reforma é de tirar da CF/88 o que se refere ao sistema de assistência social. Essa é a maior armadilha dessa PEC. Podem querer retalhar a PEC com emendas mas, se deixar essa “arapuca”, que facilita maldades maiores, em segundos momentos. Hoje, é necessário votação de 3/5 da Câmara e 3/5 do Senado, em duas votações, aprovando a retirada do tema da Constituição Federal, para qualquer outra alteração, bastaria realizar através de Lei Ordinária, com maioria simples dos presentes, o que torna mais fácil futuras retiradas de direitos.

Os municípios brasileiros, principalmente os de menor poder econômico, serão destruídos com redução de até mais de 50% dos recursos que circulam nesses locais. “Em vários municípios as transferências de recursos via previdência são superiores a transferência do FPM. Interromper essa circulação de recursos é ameaçar de morte os municípios, o povo trabalhador, as prefeituras e até os empresários de serviços e da indústria local”, disse o presidente da CTB/PA, Cleber Rezende.

 

parasintra03

 

“Precisamos ampliar a batalha contra essa PEC a Morte, fazendo a defesa da vida, chamando todos os setores que tenham contradições com essa reforma para o mesmo lado da batalha. Não basta mobilizar os trabalhadores e trabalhadoras, essa PEC atinge milhões de brasileiros/as”, refirmou José Marcos – Marcão, dirigente da CTB/PA.

0
0
0
s2sdefault

Quer saber o que acontece no movimento sindical e no mundo do trabalho?

Digite seu nome e e-mail para receber gratuitamente nosso informativo.