Sidebar

18
Sex, Jan

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

Os rodoviários de Ananindeua e Marituba, no Pará, iniciam sua campanha salarial. Entregaram uma pauta de reivindicações decidida em asembleia aos patrões e ainda aguardam resposta. Equanto isso permanecem em estado de greve e decidem nesta quarta-feira (18) se paralisam as atividades. A CTB-PA presta solidariedade às trabalhadoras e aos trabalhadores e apoia a decisão que for tomada em assembleia.

Desde março os sindicatos dos Rodoviários do Pará e dos Rodoviários de Ananindeua e Marituba (Sintram) vêm tentando negociar um acordo salarial que assegure condições dignas aos trabalhadores e que evite prejuízos à sociedade. Henrique Trindade, assessor jurídico dos rodoviários, afirma que a desembargadora do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) Francisca Oliveira Formigosa concedeu liminar ao sindicato patronal praticamente impedindo a greve.

Mesmo assim, diante da intransigência patronal a greve pode começar nesta quarta-feira (18). Na tarde desta terça-feira a Justiça do Trabalhado chamou os dirigentes sindicais para uma reunião de conciliação, com a presença do Ministério Público, que seria para buscar um acordo.

E, em vez disso, "em flagrante prática antissindical, o sindicato foi comunicado da decisão de que pelo menos 80% dos ônibus devem permanecer rodando, 100% nos horários de pico, a catraca livre foi proibida e multas pesadas foram decididas. O sindicato será multado em R$ 100 mil por dia em caso de descumprimento e mais R$ 20 mil por ônibus que rodar com catraca livre.

Os dois sindicatos realizam assembleias nesta quarta-feira (18) em suas bases para decidir os rumos do movimento. "Aos trabalhadores e trabalhadoras rodoviários e suas entidades sindicais nosso total e irrestrito apoio na campanha salarial da categoria e contra estes abusos resistiremos", diz Cleber Rezende, presidente da CTB-PA (leia a íntegra abaixo).

Durante a campanha salarial, os sindicatos já participaram de cinco rodadas de negociação sem que os patrões cedessem. O transporte coletivo da região é composta por um grupo de empresários que monopolizam o sistema de transporte na base do Marituba (Sintram), onde seis empresas rodam diariamente com uma frota de 800 veículos, "impondo aos trabalhadores e população um péssimo serviço, a partir de ônibus antigos, sucateados, sem conforto aos passageiros e nem aos profissionais, em condições de total insegurança", explica José Marcos Araújo (Marcão), dirigente da CTB-PA .

"Essas empresas, que tiveram ganho recente de reajuste de preço de passagens e impuseram, com apoio da justiça, um aumento absurdo na jornada de trabalho, sem dialogar com os representantes da categoria, agora querem impor um acordo com retirada de vários direitos, assegurando um reajuste de apenas 1,62%", complementa.

Huelem Ferreira, presidente do Sintram diz que "a situação dos trabalhadores rodoviários no Pará é crítica, com salários baixos, jornada de trabalho abusiva e péssimas condições de trabalho". Ele afirma ainda que "a categoria está revoltada com a decisão do TRT em penalizar o sindicato na greve. "Deixar 80% dos ônibus circulando significa não ter greve e aplicar multas aos sindicatos remonta a uma prática que prejudica a representação dos trabalhadores, impedindo uma melhor organização do movimento para negociar em boas condições com os patrões".

Para Cleiton Miguel, vice-presidente do Sintram, afirma que o sindicato respeitará a decisão da categoria. "A Justiça não pode se aliar aos patrões sem ao menos conversar conosco e conhecer nossa realidade e reivindicações".

A categoria luta por um reajuste de 10%, retorno da jornada de 6h20 com uma hora de descanso, vale alimentação de R$ 600 e plano de saúde. Além da implantação do pontos biométricos finais de linha para controlar a real jornada dos rodoviários e acabar com a exploração.

"A justificativa para esse percentual, que é na realidade o impedimento da greve, foi de que não se pode penalizar a população. Total incoerência porque a catraca livre é justamente para não prejudicar a sociedade", reforça Ferreira.

 CTB-PA apoia decisão dos rodoviários

Com o agravamento da reforma trabalhista, a consolidação do golpe político, parlamentar, jurídico e midiático no Brasil em 2016 e a implantação da agenda neoliberal de retirada e restrições de direitos humanos, trabalhistas, sociais e sindicais levada a cabo pelo presidente ilegítimo Michel Temer, a classe trabalhadora enfrenta o desafio da resistência e luta por manutenção e garantia de direitos aos trabalhadores e trabalhadoras.

A decisão doTribunal Regional do Trabalho 8° região - de exigência de 80% da frota-ônibus rodando na grande Belém e proibição de catraca livre pelo movimento sindical dos trabalhadores, bem como a imposição de multa aos sindicatos de R$ 100 mil por dia e mais R$ 20 mil por ônibus que rodarem com catraca livre, é o marco do golpismo e o extremismo jurídico-político do braço do Estado em favor da classe empresarial e contra a classe trabalhadora.

A Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil, seção Pará (CTB-PA) repudia veementemente tal decisão e se solidariza aos trabalhadores e trabalhadoras e seus sindicatos de rodoviários de Belém, Ananindeua e Marituba.

A CTB-PA se coloca à disposição das atividades dos trabalhadores e trabalhadoras e sindicatos de base. O direito de greve é constitucional e deve ser respeitado. Somente quem trabalha em situação precária pode decidir como resistir aos abusos jurídicos-políticos e empresariais.

Aos trabalhadores e trabalhadoras rodoviários e suas entidades sindicais nosso total e irrestrito apoio na campanha salarial da categoria e contra estes abusos resistiremos.

É no bojo dos 22 anos do massacre de Eldorado dos Carajás e dois anos do golpe político-jurídico-midiático que resistiremos a este ataque aos rodoviários. Viva a democracia brasileira, Lula livre!

Belém, 17 de abril de 2018.

Cleber Rezende - presidente da CTB-PA

Serviço

O que: Assembleias dos Trabalhadores Rodoviários de Ananindeua e Marituba e Belém

Quando: Quarta-feira (18),  às 17h.

Onde: Centro de Formação dos Rodofiários na Vileta (entre as ruas Duque de Caxias e 25 de Setembro, em Belém).

           Clube Âncora (rua Oswaldo Cruz, 601, Águas Lindas, em Ananindeua)

Portal CTB

0
0
0
s2sdefault

Quer saber o que acontece no movimento sindical e no mundo do trabalho?

Digite seu nome e e-mail para receber gratuitamente nosso informativo.