Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

Trabalhadores rurais assassinados no sul do Pará (Foto: Ponte Jornalismo/Reprodução)

A Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil no Pará (CTB-PA) repudia veementemente a chacina que ceifou a vida de 10 trabalhadores rurais sem-terras assassinados pela polícia do Pará, ontem, na fazenda Santa Lúcia, município de Pau D’Arco, a 50km de Redenção. Segundo informações ainda há 14 camponeses feridos na área, em virtude do massacre, e neste caso, não há registro de confronto entre os trabalhadores e os agentes policiais, que são subordinados diretamente ao governador do Estado Simão Jatene – PSDB. Jatene era o super-secretário do governador Almir Gabriel, do PSDB em 1996 quando em 17 de abril ocorreu o massacre de Eldorado dos Carajás que vitimou 19 vidas de trabalhadores e trabalhadoras rurais sem-terras pelas balas das forças policiais do estado.

O sul e sudeste do estado do Pará são palcos de muitas lutas camponesas, e o latifúndio, principalmente, aqueles que têm a grilagem de terras como objetivo central, definem e implementam os planos de eliminações físicas e seletivas das lideranças dos trabalhadores rurais, como ocorrido em 18 de dezembro de 1985 com o assassinato do sindicalista João Canuto de Oliveira presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais (STR) de Rio Maria, bem como em 22 de abril de 1990 três de seus filhos, Orlando, José e Paulo Canuto, foram seqüestrados e dois deles José e Paulo foram assassinados, e em 02 de fevereiro de 1991 o sucessor de Canuto, o sindicalista Expedito Ribeiro de Souza, também foi assassinado pela bala do latifúndio.

A conjuntura política nacional, com o governo golpista de Michel Temer, favorece o latifúndio e os assassinatos seletivos das lideranças camponesas, como o ocorrido em 20/04 com o assassinato dos nove trabalhadores rurais do assentamento no município de Colniza (MT), a 1.065 km de Cuiabá-Mato Grosso, bem como o massacre dos indígenas ocorreu em 30/04, no povoado e Bahias, na cidade de Viana, distante 214 quilômetros de São Luís - Maranhão. E no Pará, este ano, chega ao alarmante número de 17 assassinatos no campo por disputas de terras. É um retorno organizado das ações dos latifundiários, amparados na impunidade pelo Estado, para matar seletivamente as lideranças dos movimentos de trabalhadores rurais no Pará e no Brasil.

A CTB-PA se solidariza com os familiares das vítimas e com os feridos e exige o imediato afastamento e prisão dos agentes do Estado responsáveis pela chacina, bem como apuração e punição de todos os envolvidos, e compreende que o principal responsável é o governador Simão Jatene comandante superior das forças policiais do Pará. Cabendo ao Estado promover a reforma agrária, garantir a segurança pública e a paz no campo paraense.

Cleber Rezende
Presidente da CTB-PA

0
0
0
s2sdefault