Sidebar

26
Ter, Mar

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

A Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil - CTB/PA e seus sindicatos de base em conjunto dos movimentos de mulheres percorreram ruas e avenidas em Belém do Pará contra o machismo, a violência e os feminicídios que vitimizam milhares de brasileiras todos os anos, bem como contra a reforma previdenciária, os efeitos da trabalhista e denunciando os desmontes promovido pelo governo extremista de Jair Bolsonaro nas políticas públicas conquistas nos últimos anos.

Na manhã desta sexta-feira, 08/03/2019, aproximadamente 3 mil mulheres e homens dos movimentos sindicais e sociais como CTB, CUT, CONLUTAS, MST, MAB, UBM, UJS e diversos seguimentos e organizações do movimento feminista e sindicatos de diversas categorias, movimento negro, partidos de esquerda, estudantes e movimentos populares realizaram a Marcha das Mulheres em defesa da democracia, soberania e dos direitos humanos e sociais da classe trabalhadora brasileira, em especial das mulheres. O ato ocorreu em todo o Brasil.

A ação foi organizada pela Frente Feminista, composta por diversas organizações de Mulheres e movimentos sindicais e sociais que representou um grande ato de unidade das diversas forças políticas paraenses.

Para Márcia Pinheiro, diretora da CTB Pará e do núcleo da educação, "no Pará, o avanço do capital afeta diretamente a vida das mulheres camponesas, sejam pelo agronegócio ou pelos grandes projetos, como Belo Montes, instalações de usinas hidroelétricas no estado, sem levar em consideração as realidades e peculiaridades locais do povo camponês local e os impactos ambientais", frisou a dirigente.

A secretária da Mulher da CTB Pará, Deusarina Lisboa, que é diretora do Sindicato dos Rodoviários do Pará, ao usar da palavra representando a Central classista, disse que a "marcha cumpre o papel de denunciar os ataques de Bolsonaro as mulheres, com a reforma da previdência social" afirmando ainda que "a MP 873 objetiva liquidar a resistência a reforma em curso, asfixiando as entidades da classe trabalhadora, os sindicatos, que serão implacáveis contra os intentos nefastos do governo fascista e neoliberal", finalizado Deusarina defendendo a necessidade da "retomada de um novo projeto nacional de desenvolvimento com geração de emprego e distribuição de renda no Brasil".

Fonte: Cleber Rezende, presidente da CTB/PA.

0
0
0
s2sdefault

Quer saber o que acontece no movimento sindical e no mundo do trabalho?

Digite seu nome e e-mail para receber gratuitamente nosso informativo.