Sidebar

21
Ter, Maio

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

Com visita marcada para Belém (PA), na última sexta-feira (15), o exterminador de direitos, Eduardo Cunha, tentou fugir dos protestos dos trabalhadores e mudou a agenda, inicialmente marcada para a Assembleia Legislativa do Pará, transferindo a sessão para o auditório da Federação da Agricultura do Pará (Faepa), onde, com forte aparato policial, tentou impedir a manifestação popular.

O esquema de segurança e bloqueio começou nas primeiras horas da manhã. Apenas os parlamentares e empresários rurais e urbanos tiveram acesso. Foram barrados todos os representantes de entidades sociais, Centrais Sindicais, movimentos de mulheres, da juventude, dos Direitos Humanos, negros e todos que tentavam entrar e não estavam na selecionada lista dos convidados de Cunha.

“Tentaram impedir o carro som das Centrais Sindicais, ameaçaram o motorista chegaram a lhe tomar os documentos do carro e do motorista. Após muita discussão foi garantido o direito dos trabalhadores se manifestarem no carro som, quando os representantes das Centrais Sindicais e dos movimentos sociais se manifestaram em repúdio ao presidente da Câmara dos Deputados”, relatou o presidente da CTB-PA, Marcão Fontelles.

O local escolhido, lembrou a vereadora Sandra Batista do PCdoB, é significativo, pois o Pará é campeão do crime no campo, onde o latifúndio rouba as terras dos trabalhadores, mata lideranças e é o de maior índice de trabalho escravo e foi exatamente o lugar escolhido pelo Cunha para realizar uma sessão da Câmara em nosso Estado.

O protesto pacífico unificou as Centrais Sindicais, diversos sindicatos e entidades dos movimentos sociais.

eduardo cunha pa

Longe do povo

O programa Câmara itinerante teria o objetivo de levar a Câmara dos Deputados até os cidadãos das diferentes regiões do país, para que os parlamentares ouçam as necessidades locais, acolham sugestões e ampliem a agenda legislativa nacional. No Pará se configurou uma farsa, com recurso público, já que o povo não teve acesso ao local do evento.

O presidente da CTB-PA, lembra que Cunha tem imposto uma agenda conservadora, que tira direitos importantes e consagrados dos trabalhadores e da sociedade. “Ao desengavetar o projeto que regulamenta a terceirização no país o Eduardo Cunha, Exterminador de Direitos, faz seu pior gesto, de liberar a precarização do trabalho e a terceirização, rasga a CLT e demais normas com direitos e conquistas dos trabalhadores”.

Marcão acredita que, mesmo com a aprovação no mês passado, do PL 4330 esse ainda deverá ser analisado pelo Senado. E a pressão popular para barrar a implementação das normas que precarizam poderá evitar sua aplicação. “Em 29 de maio, Dia Nacional de Paralisações e Manifestações é um bom momento para ampliar o repúdio a politica atrasada e servil deste triste presidente. A PL da terceirização esmaga o direito dos trabalhadores e para barrar isso vamos a luta. Onde Eduardo Cunha for, lá estarão os trabalhadores e a CTB para repudiar e mostrar a sua indignação”, garantiu o sindicalista.

Portal CTB com CTB-PA

 

0
0
0
s2sdefault

Quer saber o que acontece no movimento sindical e no mundo do trabalho?

Digite seu nome e e-mail para receber gratuitamente nosso informativo.