Sidebar

23
Qui, Maio

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

Mais de 5 mil trabalhadores e trabalhadoras do Pará realizam na sexta-feira (25) um grande ato em Belém, que se iniciou às 16 h, com concentração e início das falas na praça da República, em frente ao Teatro da Paz. Às 18h saiu a caminhada pela Av Nazaré e Av. Magalhães Barata, encerrando em São Braz, em frente ao Mercado Municipal. Os manifestantes saíram às ruas para protestar contra a PEC 55 e as medidas regressivas de direitos do governo golpista Michel Temer. 

No trajeto foram realizadas paradas em frente ao prédio do INSS, quando os trabalhadores de saúde e do setor previdenciário fizeram manifestações em defesa da previdência e contra os ataques do governo Temer. Outra parada ocorreu em frente da TV Liberal, afiliada da Rede Globo, quando a juventude fez o escracho, com fortes falas da UNE, UBES e da UJS. O jovem Daniel (UJS) registrou o papel golpista da mídia, notadamente da rede Globo como TV tucana.

Na sede da Companhia de Desenvolvimento e Administração da Área Metropolitana de Belém, do governo tucano onde as entidades fizeram manifestações denunciando o descaso do governador e do prefeito tucano com a população e com os servidores. Na última parada, em frente à Seccional de São Braz (Polícia Civil), o dirigente do Sindicato dos Servidores públicos denunciou a fragilidade da segurança pública em nosso estado e contra as medidas da PEC 55, que vai trazer graves prejuízos aos brasileiros, principalmente aos trabalhadores.

No encerramento, a diretora da CTB Lucileide Reis, presidenta da Federação das Trabalhadoras Domésticas da Amazônia,ressaltou os prejuízos do governo golpista de Temer e os impactos para os pobres.

Uma característica importante desse ato foi que, em virtude da sua realização do dia 25/11, dia Internacional da Não Violência contra as Mulheres, o ato foi dirigido integralmente por mulheres. As cetebistas Sandra Batista e Lucileide Reis representaram a CTB na coordenação do ato.

O presidente da CTB, Marcão Fonteles, avalia que o ato cumpriu o papel de denunciar as medidas regressivas da PEC 55, como ponta de lança de mais ataques aos trabalhadores, como a reforma da previdência, das leis trabalhistas. Um governo sem votos, golpista, que retirou a presidenta eleita Dilma, para servir aos interesses da grande banca financeira rentista. "Esse ato mostra que o povo, os trabalhadores, a juventude, as mulheres não aceitarão a continuidade desse golpe, que já vai ruindo", avaliou Marcão.

Portal CTB com CTB-PA

0
0
0
s2sdefault

Quer saber o que acontece no movimento sindical e no mundo do trabalho?

Digite seu nome e e-mail para receber gratuitamente nosso informativo.