Sidebar

23
Qui, Maio

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

Em Santana do Araguaia, município no extremo sul do Pará, divisa com Mato Grosso, os trabalhadores e trabalhadoras em educação da rede municipal de ensino reivindicam da prefeitura municipal o rateio dos recursos dos precatórios do FUNDEF para a categoria educacional.

Na manhã do último sábado, 27 de abril, as ruas da cidade foram tomadas por um importante ato público e caminhada dos trabalhadores em educação, atividade coordenada pelo Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Santana do Araguaia (SINTESA), que contou com a presença e apoio do líder dos comerciantes locais, o senhor Paul Wender de Abreu Cruz, que é presidente da Associação Comercial (ACIASA), bem como o apoio da Associação de Iniciativa Popular. A multidão composta por servidores da educação municipal percorreu ruas e avenidas reivindicando os precatórios para a educação.

O ato foi uma forte cobrança popular ao gestor municipal, o prefeito José Rodrigues de Miranda, “Zé do Quinca”, exigindo do mesmo o cumprimento dos acordos e promessas firmados com a categoria tempos atrás, referentes a aplicação dos recursos dos precatórios do FUNDEF na valorização da categoria e da educação pública e de qualidade social.

A professora Rosa Mônica, presidenta do Sintesa afirmou que "os trabalhadores da educação estão simplesmente reivindicando o cumprimento da palavra do prefeito, que prometeu que quando nosso precatório fosse pago pela UNIÃO, o mesmo iria valorizar a categoria de nosso município, pois bem, os 29 milhões já estão na conta da prefeitura”.

Rosa Mônica, esclareceu que “agora o que temos ouvido é uma história bem diferente da prometida. Não aceitamos mudanças na aplicação dos recursos senão na educação e valorização de seus profissionais, por isso estamos nas ruas da cidade. Queremos nossa valorização profissional com o dinheiro dos precatórios", afirma à presidenta do Sintesa, informando ainda, que a prefeitura suspendeu os descontos em folhas e repasses ao sindicato das contribuições dos sindicalizados com o objetivo de enfraquecer as cobranças “mas seguiremos firmes na defesa dos profissionais em educação”, disse Rosa Mônica.

Vanderley Sousa, coordenador estadual e regional do Sintepp e da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB/Pará), reafirmou a posição da CTB em reunião realizada em Rio Maria, no dia 13/04, quando foram orientados os sindicatos, no caso dos precatórios, que “esgotadas as negociações, devemos ajuizar ação de bloqueios dos recursos e buscar o acordo judicial para o respectivo rateio aos profissionais da educação local”.

Cleber Rezende, presidente da CTB/Pará, desse, que “é uma prática antissindical do prefeito contra o Sintesa e que tomará as providências jurídicas e políticas para garantir o pleno funcionamento do sindicato e a garantia aos trabalhadores do acesso aos recursos dos precatórios”. Rezende disponibilizou modelos de ações específicas para as duas questões.

0
0
0
s2sdefault

Quer saber o que acontece no movimento sindical e no mundo do trabalho?

Digite seu nome e e-mail para receber gratuitamente nosso informativo.