Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

Depois do espancamento de um fiscal da empresa Via Loc, no ponto final da linha Cerâmica, os rodoviários de Marituba (PA) paralisaram essa linha e a do bairro União, da empresa Barata. “Nós não aguentamos mais. É assalto todo dia e agora espancamentos, não podemos trabalhar assim”, diz Huelem Ferreira Cunha, presidente do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros Metropolitano (Sintram), do Pará.

Ele explica que a diretoria do Sintram negocia com a prefeitura de Marituba mais segurança para “os rodoviários ganharem o seu pau de cada dia em paz”. Já Cássio Heleno Pereira, diretor do Sintram, afirma que os trabalhadores estão com medo e querem medidas para conter a violência.

“Queremos monitoramento com câmeras nos pontos finais dos ônibus e mais segurança nas ruas. O poder público precisa tomar providência. Não dá para trabalhar desse jeito”, reclama. Os rodoviários prometem continuar de braços cruzados até o problema da insegurança ser resolvido.

Portal CTB

0
0
0
s2sdefault