Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

Após várias audiências sem sucesso e completando dez dias em greve, os professores da rede pública de Ananindeua, segundo maior município do estado do Pará, ocuparam a sede da prefeitura na quarta-feira (25).

A professora Maíra Nogueira informou que a ocupação decorre da lentidão nas negociações entre o prefeito Manoel Pinheiro (PSDB) e o Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Pará (Sintepp). "Recusamos a proposta de 3% apresentada pela prefeitura na semana passada, além de reajuste zero para o vale-alimentação. Também não houve proposta de reajuste para os técnicos educacionais e pessoas de apoio, o que deflagrou a greve. Nossa pauta é um reajuste salarial com base no índice do piso nacional do magistério, fim do desconto abusivo de 14% ao instituto de previdência municipal, que vem sendo feito direto dos recursos do Fundeb, além de melhores condições de trabalho e segurança nas escolas”. Reafirma, ainda, Maíra que “nosso sindicato deve lutar, mas que a luta deve estar vinculada às conquistas para a categoria em educação”, registrando que “estamos carecendo de vitórias para a educação.

Já a professora Adima Monteiro, afirmou que “as lutas são fundamentais para reivindicar os interesses da categoria e pressionar o prefeito a atender nossa pauta, que é justa e necessária aos trabalhadores e trabalhadoras em educação de Ananindeua”.  

O vice-presidente da CTB-PA, professor Thiago Barbosa, coordenador estadual de educação no campo do Sintepp, “hoje tivemos uma importante decisão para a categoria da educação do Pará, visto que o Tribunal de Justiça acaba de decidir por unanimidade em favor do pagamento do piso nacional do magistério aos professores e professoras da rede estadual de ensino”, reafirmando que “a luta é necessária para as conquistas da categoria em educação no Pará e em Ananindeua”.

A ocupação da sede da prefeitura deverá seguir até a noite, quando o prefeito agendou audiência às 19h, após a deliberação da ocupação, para receber o sindicato da categoria e retomar as negociações.

Fonte: CTB-PA

0
0
0
s2sdefault