Sidebar

18
Sex, Jan

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

Dirigentes da CTB Pará integraram na manhã desta terça-feira (3) um protesto, em Belém, em defesa das estatais brasileiras e contra o processo de privatização intensificado pelo governo Temer.

Coordenado pelo Sindicato dos Portuários do Pará e Amapá (Sindiporto), pelo Sindicato dos Guardas Portuários (Sindiguapor), e pela Federação Única dos Petroleiros (FUP), o ato objetivou alertar a população para os programas em andamento que têm o objetivo de entregar para o capital estrangeiro as principais estatais brasileiras.

ato para petrobras1

ato para petrobras2

Durante o ato, Dalton Rodrigues, presidente do Sindiporto, protestou “este governo quer privatizar tudo e a categoria portuária está em lutas contra estas medidas nefastas para a categoria e ao povo brasileiro”, aqui estamos “portuários, guardas, petroleiros, administrativos e diversos outros trabalhadores contrários às privatizações”.

Na mesma linha, Cleber Rezende, presidente da CTB Pará, ressaltou que “o governo de Temer desmonta um conjunto de políticas públicas, ações e programas que estavam em curso no Brasil, penalizando a classe trabalhadora”, afirmando ainda, que “em muitos municípios do arquipélago do Marajó e outras regiões pesqueiras, os recursos do seguro defeso e previdenciários são superiores ao do próprio FPM (fundo de participação dos municípios)”, e que com os cortes atingem a economia local e as arrecadações das prefeituras.

O dirigente a CTB/PA, José Marcos – Marcão, ressaltou que “a luta dos portuários é a luta de todos os brasileiros em defesa do patrimônio público, da soberania nacional e dos direitos trabalhistas e previdenciários da classe trabalhadora brasileira”.

ato para4

Pescadores artesanais

Ainda nesta manhã, os dirigentes cetebistas participaram de um ato no mercado do Ver-O-Peso, em defesa do reconhecimento dos pescadores e pescadoras Artesanais.

Promovido pelo Sindicato dos Pescadores e Pescadoras Artesanais do Estado (Sindipesca), em conjunto com sindicatos, colônias e federação de pescadores, o ato reivindica dos governos federal e estadual o reconhecimento da categoria profissional, acesso ao seguro defeso, a aposentadorias e outros benefícios, a criação do Conselho Estadual da Pesca, linhas de financiamentos para a categoria entre outras questões.   

“O momento é histórico para os pescadores artesanais que conseguiu realizar o primeiro movimento estadual e articulado pelo conjunto da categoria e suas diversas entidades representativas” e que “solicita da Assembleia Legislativa o apoio para as reivindicações em pautas”, afirmou o presidente do Sindpesca, Dalton Silva.

 

Cinthia Ribas com CTB Pará

0
0
0
s2sdefault

Quer saber o que acontece no movimento sindical e no mundo do trabalho?

Digite seu nome e e-mail para receber gratuitamente nosso informativo.