24
Dom, Set

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

Terminou neste sábado (15) o 4º Congresso da CTB Minas Gerais com a eleição da professora Valéria Morato para a presidência da estadual mineira e Kátia Gaivoto, secretária geral adjunta nacional, para vice presidência. Duas mulhere terão a missão de conduzir a estadual mineira, junto com a nova diretoria, pelos próximos quatro anos (2017/2020).

O Congresso da CTB Minas se desenrolou em dois dias de debates marcados pelo clima de unidade, energia e disposição para lutar em defesa da democracia, da soberania e dos direitos da classe trabalhadora.

Foram credenciados 337 delegados e delegadas do campo e da cidade, com destaque para a participação das mulheres e dos trabalhadores (as) rurais. Foram 170 homens e 167 mulheres, 51% trabalhadores rurais, 27% da educação, 8,3% da indústria,  7,1% da área de serviços e 5,6% do setor público.

“O 4º Congresso foi construído com muito esforço para que pudéssemos envolver trabalhadores e trabalhadoras do campo e da cidade. E já nesse sentido o congresso foi extremamente vitorioso. Estiveram presentes 337 delegados sendo 49,6% de mulheres”, afirmou a presidenta recém-eleita, Valeria Morato, que completou: “Sabemos o quão é dificultoso para as mulheres, ainda hoje com jornada tripla, se afastarem de suas casas. Foram delegados e delegadas que percorreram até 700km para estar presente no congresso demonstrando o entendimento e compromisso com a luta dos trabalhadores e trabalhadoras nesse momento de imensa ofensiva a nossa classe”.

4 congresso minas valeria

Em seu discurso, Valéria Morato, que também é presidente do Sinpro Minas e a primeira mulher eleita para condução da CTB na região sudeste, assumiu o compromisso de defender os direitos da categoria e lutar pela manutenção da democracia brasileira, em um momento histórico de crise política.“Temos muito desafios pela frente. Enfrentamos o pior momento para a classe trabalhadora. O governo golpista, junto com um congresso "vendido" está fazendo com que os direitos trabalhistas retrocedam a década de 20. E a eleição de uma mulher, para a presidência da Central, que é de fato classista, reafirma o que queremos para o Brasil: um país igualitário, com respeito e direitos iguais para homens e mulheres, trabalhadores e trabalhadoras, do campo e da cidade”, destacou a professora.

Para a educadora, o tema do congresso: Democracia, Resistência e Luta já confirma o grande desafio vindouro. “E foi isso que os cetebistas chamaram para si: vamos resistir, com muita luta, para que o Brasil retome o caminho do Estado Democrático de Direito.  E a CTB é essencial nessa para unificar os trabalhadores e trabalhadoras, dialogando com todas as centrais e o movimento social que têm em comum o objetivo de derrubar esse governo ilegítimo e lutar por nenhum direito a menos”, ressaltou Valéria.

Valéria Peres Morato Gonçalves é pedagoga e como professora tem 30 anos de atuação na Educação Básica nas redes pública e privada, com marcante militância no movimento social em Divinópolis, desde 1990. Dirigente do Sinpro Minas desde 1997, ocupa a presidência do Sinpro Minas desde janeiro de 2016. Atuou como membro do Conselho Municipal de Educação de Divinópolis, foi presidente do Conselho Municipal do Direito da Mulher e secretária adjunta de Educação de Divinópolis. Atualmente é membro do Fórum Estadual de Educação de Minas Gerais e do Fórum Municipal de Educação de Belo Horizonte. Atua há mais de 20 anos no movimento sindical dos trabalhadores do setor privado de educação sendo, também, integrante da diretoria da Federação interestadual dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino – FITEE.

 

Cinthia Ribas - Portal CTB