Sidebar

20
Qui, Jun

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

A Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil, seçao Rio de Janeiro (CTB-RJ), realizou, na última sexta-feira (20), uma reunião da sua diretoria plena. A reunião começou pela manhã e contou com a participação da ampla maioria dos diretores da entidade, que se debruçaram sobre a atual situação política do País e do Rio de Janeiro e nos caminhos que a central pode percorrer para avançar nesses tempos de crise.

Nessa reunião, foi apresentada pela Secretaria de Finanças, a prestação de contas do primeiro ano de gestão da nova diretoria. Com detalhamento dos gastos da central e das perspectivas da mesma para o novo ciclo que se inicia após essa reunião, as contas foram aprovadas por unanimidade. O presidente da CTB-RJ, Paulo Sérgio Farias, valorizou o debate sobre a questão financeira:

“O debate sobre finanças na CTB nunca se fez tão necessário como nos tempos atuais. A política de finanças até então subestimada na nossa Central toma contornos importantíssimos em função dos ataques às entidades sindicais promovidos pelo governo ilegítimo de Michel Temer. Precisamos refletir sobre o projeto da CTB, sobre sua importância estratégica, sobre a importância estratégica das finanças no projeto estratégico da CTB. Nesse sentido, reunir o Pleno da nossa Diretoria e debater esse tema no dia de hoje, debater as contas da nossa Central e a necessidade que as entidades filiadas financiem nossa Central através do compromisso ideológico com a contribuição estatutária foi de fundamental importância e por isso mesmo que saímos fortalecidos com a compreensão de todos com o debate desenvolvido hoje aqui.”

Debate sobre Eleições e a retomada da democracia, do desenvolvimento e dos empregos marca tarde de atividades.

A reunião da diretoria plena aconteceu no auditório Sindicato dos Comerciários. Após os debates pela manhã, à tarde, os diretores se reuniram para um importante debate com representantes de diversos partidos políticos. O secretário de Comunicação do Partido dos Trabalhadores (PT), Ricardo Pinheiro; o vice-presidente do Partido Democrático Trabalhista (PDT), José Bonifácio; o dirigente do Partido Socialista Brasileiro (PSB), Joílson Cardoso, o deputado federal pelo Partido Socialismo e Liberdade (PSOL), Glauber Braga e o pré-candidato a governador do Rio de Janeiro pelo Partido Comunista do Brasil (PCdoB), Leonardo Giordano, foram os representantes no debate. O Presidente da CTB-RJ, Paulo Sérgio Farias, mediou o encontro.

O deputado Glauber Braga abriu os debates com uma enfática defesa da Eletrobras. Braga expôs toda a condição estratégica da empresa e reforçou a necessidade dos movimentos sociais abraçarem a luta contra essa privatização. O socialista afirmou que os setores conservadores tentam aumentar o estado punitivo e defendeu a necessidade de amplitude na resistência, afirmando que o programa mínimo para a unidade passa por “reverter os direitos sociais retirados por Temer, garantir a soberania nacional e impedir a agenda de privatizações e a construção de uma articulação que garanta a realização de eleições esse ano”. A defesa de unidade feita por Glauber encontrou eco na fala do Secretário de Comunciação do PT, que afirmou que “precisamos resistir, juntos, a esse monstro do fascismo que coloca a cabeça para fora.”

O vice-presidente do PDT ressaltou, em sua fala, a importância de reeleger os deputados que estão ao lado do povo e dos trabalhadores nesse momento de ataques aos direitos promovidos pelo governo de Temer. Bonifácio tratou as eleições desse ano como decisivas e criticou a agenda política em curso:

“Eles querem entregar nossas empresas para os grandes conglomerados internacionais que estão, de certo modo, dando as regras sobre o que fazer no Brasil. A política que é feita hoje interessa apenas ao setor financeiro e aos conglomerados internacionais que atuam no Brasil.” – afirmou Bonifácio.

Joílson Cardoso fez uma dura análise de conjuntura nacional. De acordo com o Socialista, vivemos uma grande tragédia nacional em termos políticos e econômicos.

“A realidade atual se apresenta como uma grande tragédia nacional. Nós, do movimento Sindical, ousávamos, há cinco anos atrás, colocar nas mesas de discussão com o governo o fim do Fator Previdenciário, que a CTB sempre foi contra. Hoje, chegamos ao ponto de ver um governo tentando dissolver a Seguridade Social brasileira, em especial a Previdência.” – afirmou o socialista.

O pré-candidato do PCdoB a governador Leonardo Giordano também teceu críticas duras ao governo golpista de Michel Temer. Leonardo disse que Temer “tenta colocar o Brasil de joelhos e vender nossas riquezas a preço de banana”. O vereador de Niterói também falou sobre o Rio de Janeiro:

“O Rio de Janeiro é uma caixa de ressonância para todo Brasil. Em nosso estado ficam a Petrobras, a Eletrobras e a Casa da Moeda. É no nosso Estado que se faz uma intervenção militar. É aqui que o governo Pezão aplica a agenda de Temer de maneira célere e que, com isso, os imapctos da crise são muito maiores.”

Giordano criticou o descaso do governo com a UERJ e se manifestou duramente contra a privatização da CEDAE e afirmou que, para enfrentar esse momento de crise internacional do capitalismo é preciso ter “um projeto nacional de desenvolvimento e um projeto estadual de desenvolvimento construídos por muitas mãos.”

José Roberto Medeiros - CTB-RJ

 

 

0
0
0
s2sdefault

Quer saber o que acontece no movimento sindical e no mundo do trabalho?

Digite seu nome e e-mail para receber gratuitamente nosso informativo.