Fonte

A Chapa 1, da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), venceu a disputa pela direção do Sindicato dos Trabalhadores Municipais de Campinas (STMC), no interior de São Paulo. A diretoria ficará na entidade por mais 4 anos. A Chapa 1 obteve 1.292 votos (46,6% dos votos válidos). A Chapa 2 somou 918 (33,1%) e a Chapa 3 fechou com 562 (20,3%). No total, 3.037 servidores participaram do processo eleitoral.

Jadirson Tadeu Cohen, um dos coordenadores da nova gestão, afirma que a eleição foi muito disputa, mostrando que “temos uma categoria aguerrida, com muita disposição para avançar. Por isso, já estamos iniciando a Campanha Salarial 2017, sem perda de tempo”.

Cohen garante também que o STMC não se limita às questões corporativas. “O nosso sindicato tem uma tradição de décadas, sempre nos movimentos em defesa dos interesses da classe trabalhadora e do país”.

A apuração avançou a madrugada e o resultado saiu no início da manhã desta sexta-feira (19). Os integrantes da Chapa 1 comemoraram a vitória. Os coordenadores do STMC disseram que o processo eleitoral foi cansativo, mas que valeu o trabalho.

“Nós vamos agora colocar em prática todas as propostas que defendemos ao longo da campanha na luta por avanços e conquistas para os trabalhadores e trabalhadoras”, diz Cohen.

A primeira ação do grupo que venceu a disputa será cobrar da prefeitura a negociação salarial. A pauta foi registrada no início de abril. Para a pauta econômica, o STMC quer o índice de 10,34% de reajuste salarial. Este índice foi composto pela seguinte lógica: 6,93% - ICV-DIEESE + acumulativo de perdas anteriores (2004-2016 [13,64%]) parcelado em quatro vezes durante o mandato deste governo. Ou seja, pagamento do reajuste anual + 3,41% (13,64%/4) ao ano.

Para o Vale-alimentação ficou estabelecido a equiparação com o salário mínimo estadual, de R$ 1.076,20 (fase I). Já o Vale Nutricional ficou estabelecido a todos os aposentados/as e pensionistas, no mesmo valor do benefício dos ativos.

Cohen afirma também que o STMC está preparado para enfrentas os desafios da conjuntura. “Lutamos para resgatar a juventude trabalhadora para o movimento sindical”, reforça. “O momento é de reflexão e resistência, mas precisamos inserir os mais jovens na nossa luta”.

Portal CTB com informações da equipe de comunicação do STMC