Sidebar

19
Sex, Jul

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

O ato-show do 1º de maio da resistência, dirigentes da CTB-SP falaram contra a reforma trabalhista, contra o golpe de Estado de 2016 e a favor da liberdade.

Gicélia Bitencourt, secretária da Mulher da CTB-SP criticou a retirada de "direitos da classe trabalhadora". Ela defendeu o "direito da mulher viver em paz e em segurança em São Paulo e no Brasil".

Já o presidente da seção estadual em São Paulo, Rene Vicente falou que "este 1º de maio é de resistência". Ele defendeu uma política que crie empregos com salários dignos e que "possamos ter uma aposentadoria decente".

"Há 2 anos, assistimos o golpe do capital contra o trabalho, a entrega do patrimônio nacional, a terceirização ilimitada e a precarização total do trabalho" e concluiu  com um sonoro não à reforma trabalhista. "Fora Temer" e "Lula Livre".

Portal CTB 

0
0
0
s2sdefault

Quer saber o que acontece no movimento sindical e no mundo do trabalho?

Digite seu nome e e-mail para receber gratuitamente nosso informativo.