Sidebar

24
Dom, Mar

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

Os metroviários de São Paulo vão parar por 24 horas nesta quinta (18) em protesto contra o leilão das linhas 5-Lilás, que já está em funcionamento, e 17-Ouro, que dará acesso ao aeroporto de Congonhas, marcado para a sexta (19). No ano passado, o processo de licitação das linhas havia sido suspenso pelo Tribunal de Contas do Estado, que viu falhas no edital.

Leia também: Fórum das Centrais se soma aos Metroviários de São Paulo contra privatização

O Sindicato dos Metroviários de São Paulo encaminhou à Justiça paulista documento denunciando que o governo de Geraldo Alckmin (PSDB) está direcionando a licitação das concessões para garantir a vitória da atual concessionária da linha 4-Amarela, a CCR, formada por Camargo Corrêa, Andrade Gutierrez e Triunfo Participações.

Segundo o presidente dos metroviários, Wagner Fajardo, o objetivo da greve é denunciar o processo em curso. “É um leilão do patrimônio público com cartas marcadas, direcionado a atender os interesses de um só grupo (CCR) e que trará redução de postos de trabalho, aumento de tarifas e prejuízos aos cofres públicos”. Reunido na segunda (15), o Fórum das Centrais Sindicais já declarou seu apoio à greve da categoria.

O  leilão ocorrerá na na sede da B3 (antiga BM&FBOVESPA). A operação comercial das duas linhas será cedida à iniciativa privada por 20 anos, e o valor estimado do contrato é de R$ 10,8 bilhões. 

Portal CTB

 

0
0
0
s2sdefault

Quer saber o que acontece no movimento sindical e no mundo do trabalho?

Digite seu nome e e-mail para receber gratuitamente nosso informativo.