Sidebar

12
Qua, Dez

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

Os trabalhadores da Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) estão em greve desde a zero hora da quarta-feira (8) por tempo indeterminado. Eles reivindicam 10,03% de reajuste salarial, aumento nos benefícios, aplicação do plano de cargos e salários e manutenção do Programa de Participação nos Resultados (PPR), entre outros.

A proposta da Cetesb que foi recusada em assembleia no dia 7 de junho é reajuste de 3,5% sobre salários e benefícios, e diminuição na estabilidade no emprego dos atuais 96% para 94%. Houve uma audiência no TRT no dia 7, porém não houve possibilidade de conciliação e uma nova audiência foi remarcada para o dia 14 de junho. 

\"1

“Não querem mais aplicar o plano de cargos e salários, querem acabar com o PPR, e ainda assim não apresentam uma proposta digna. Frente a isso não resta outra saída a não ser fazer greve e mostrar que não estamos para brincadeira”, disse o presidente do Sintaema, Rene Vicente.

Os trabalhadores aderiram em massa ao movimento grevista, inclusive os lotados nas agências ambientais da Cetesb distribuídas pelo Estado, porém ressaltamos que estão mantidos os plantões para emergências. Os profissionais da Cetesb são responsáveis pelo monitoramento da qualidade do ar, balneabilidade das praias, fiscalização de empresas com riscos ambientais, relatórios de impactos ambientais, controle de vazamentos químicos e outros importantes serviços à sociedade.

Nesta quinta-feira (09) o Sintaema realizou um protesto pela ausência de uma proposta que contemple as reivindicações. 

Uma nova assembleia será realizada no dia 10 para avaliar se houve algum avanço.

Por Adriana Chainho - Sintaema

 

0
0
0
s2sdefault

Quer saber o que acontece no movimento sindical e no mundo do trabalho?

Digite seu nome e e-mail para receber gratuitamente nosso informativo.