Sidebar

18
Sex, Jan

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

Terminou na noite da última sexta-feira (1º), com a vitória da Chapa  da CTB, a apuração dos votos do processo eleitoral para a nova diretoria do Sindicato dos Trabalhadores da Unicamp (STU).

Quatro chapas participaram da disputa. A Chapa 4 -  da CTB - intitulada “Alerta: Sindicato Somos Todos Nós” obteve 32,71% dos votos; contra a Chapa 1 com 28,08%; a Chapa 2 com 21,16%; e a Chapa 3 com 17,33% dos votos.

Ao todo 1.406 votos foram computados, sendo 1.229 votos válidos, 57 votos em branco e 120 votos nulos. 

A eleição aconteceu entre os dias 29 e 31 de agosto nos campi de Campinas, Paulínia, Piracicaba e Limeira. 

00 stu apuracao

No STU a eleição é proporcional. Como chapa vencedora caberá aos dirigentes da CTB à coordenação-geral, que será ocupada por Marcílio Ventura, formado em geografia e funcionário da Unicamp desde 1983. Na última gestão, o dirigente foi secretário de Finanças do sindicato.

Na opinião do novo coordenador-geral, a nova gestão vem acompanhada de grandes desafios diante do retrocesso imposto pela atual conjuntura. “O principal desafio será organizar os trabalhadores contra as reformas; e fazer a luta por mais verbas. Lutaremos para que o governo Alckmin reconheça o seu papel no setor educacional e abra uma discussão sobre ineficiência financeira da universidade, e pela aplicação da Lei Complementar 1010/07, que fala sobre questão insuficiência financeira e funda da aposentadoria”, afirmou.

Pela Lei  1010, o financiamento do fundo de pensão deve ser mantido pelo governo, e não pela instituição de ensino.

marcilio2

Ciente dos novos desafios, o novo coordenador acredita que as propostas apresentadas pela Chapa foram fundamentais para a vitória, bem como a postura de seus candidatos. “Nossas propostas contribuíram para essa vitória. E principalmente, nesse momento de ataques aos trabalhadores e ao movimento sindical, essa vitória é revestida de um simbolismo. Esperamos responder a altura à confiança que nos foi dedicada. Será uma grande luta pela sobrevivência da universidade e por um Brasil sem retrocessos”.

Para Paulo Nobre, secretário-geral da CTB-SP, que acompanhou todo o processo a categoria escolheu quem melhor a representará. “Essa vitória é resultado do trabalho com a base e do reconhecimento da postura do nosso grupo. Coerência no discurso e compromisso com a categoria”, afirmou.

Cinthia Ribas - Portal CTB

 

0
0
0
s2sdefault

Quer saber o que acontece no movimento sindical e no mundo do trabalho?

Digite seu nome e e-mail para receber gratuitamente nosso informativo.