Ferramentas
Tipografia

Em greve há mais de um mês, as servidoras e os servidores municipais realizaram na tarde desta quinta-feira (16) um grande ato no centro de Florianópolis. Nem o forte calor, abafou o grito de “Fora Gean” (Gean Loureiro é o prefeito da capital catarinense e é do PMDB).

De acordo com Odair Rogério da Silva, presidente da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil em Santa Catarina (CTB-SC), a paralisação já tem mais de 90% de adesão e conta com grande apoio da população.

“O povo já sente os efeitos do ‘pacote de maldades’ da administração municipal que retira direitos da classe trabalhadora”, diz. A manifestação contou com a participação do bloco de carnaval Arrasta Ilha, fortalecendo o movimento. 

Assista vídeo do Sintrasem sobre a manifestação 

A greve começou no dia 16 de janeiro (leia mais aqui) e enfrenta um cerco midiático completo. É noticiada apenas regionalmente. “Na semana passada, o procurador geral do município entrou na Justiça com o pedido de intervenção no Sindicato dos Trabalhadores do Serviço Público Municipal de Florianópolis (Sintrasem)”, informa o jornalista Joaquim de Carvalho, no blog O Diário do Centro do Mundo.

De acordo com Carvalho, “a prefeitura pediu também a prisão de todos os diretores da entidade, que não estariam cumprindo a ordem judicial de retomar as atividades”, mas “houve reação de mais de 300 entidades sindicais do mundo todo, da Rússia aos Estados Unidos, do Paquistão à Índia, da África à Dinamarca – repercussão no mundo todo, e a imprensa brasileira ignora os eventos de Florianópolis”.

Nesta sexta-feira (17), as trabalhadoras e trabalhadores visitam os locais de trabalho e na segunda-feira (20) ocorre uma reunião do Comando de Greve, na sede do Sintrasem (Rua Fernando Machado, 203 – centro), às 10h e assembleia às 13h, na Praça Tancredo Neves.

Portal CTB - Marcos Aurélio Ruy. Foto: Silvia Medeiros