Sidebar

21
Dom, Abr

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

Autoridades espanholas prenderam, por acusações de narcotráfico, na última sexta-feira (12), Hugo Carvajal, general que declarou sua lealdade ao líder da oposição Juan Guaidó.

Segundo informou uma porta-voz da Polícia Nacional Espanhola a prisão ocorreu devido a um mandado de prisão emitido pelos Estados Unidos.

Carvajal havia fugido para a Espanha depois de ser acusado pelo governo venezuelano de vários crimes, acusações que ele atribuía a “perseguição política”.

Em 21 de fevereiro, o general fugitivo postou um vídeo em sua conta no Twitter em que reconhecia como presidente no comando da Venezuela o autoproclamado Juan Guaidó, fantoche do Governo Trump.

Nesse vídeo, Carvajal leu uma declaração na qual encorajou a liderança militar a abandonar Nicolás Maduro: “Depende de vocês, irmãos de armas, como isso termina. Não tenham dúvidas de que este é o lado certo da história.”

 Em resposta, Maduro expulsou-o das Forças Armadas e despojou-o do posto de Major General. Carvajal também foi acusado pelo governo venezuelano de “atos de traição contra a pátria”.

Com pouca influência interna e sem serventia para o imperialismo, o pedido de prisão emitido pelos EUA visa tentar atingir a Revolução Bolivariana com falsas acusações de ligação ao narcotráfico, a partir de algo próximo a uma “delação premiada” na qual Carvajal envolva o governo chavista, tática que contará com apoio midiático, mas que já nasce desmoralizada pela própria origem.

Fonte: Pátria Latina

0
0
0
s2sdefault

Quer saber o que acontece no movimento sindical e no mundo do trabalho?

Digite seu nome e e-mail para receber gratuitamente nosso informativo.