Fonte

Na última quarta-feira (19) foi aprovado o regime de urgência do substitutivo ao projeto de lei da reforma trabalhista. Com o novo cenário, o texto poderá ser votado dia 25 na Comissão Especial.

Para Adilson Araújo, presidente nacional da CTB, a urgência da votação se deve ao medo da base aliada do governo diante da Greve Geral que promete paralisar o país no dia 28 de abril. "Se eles pensam que esse ataque vai amortecer as mobilizações populares, estão muito enganados”, declarou o dirigente.

“O povo brasileiro vai se levantar, com muito mais força e determinação e realizar a maior Greve Geral da história deste país. Ocuparemos Brasília e trabalharemos diuturnamente para denunciar, um a um, os responsáveis pela destruição dos empregos e dos direitos trabalhistas, previdenciários e sociais dos trabalhadores e trabalhadoras”, afirmou Adilson.

Prova desta afirmação é a crescente adesão de inúmeras categorias à greve geral do dia 28 de abril contra as reformas trabalhistas, da Previdência e Terceirização ilimitada. 

Dia 28 de abril: adesão de categorias fortalece greve geral Brasil afora

Confira a agenda do Abril de Lutas:

 

25/04 Terça-feira

06h - Manifestação no Aeroporto de Brasília

10h - Manifestação na Câmara dos Deputados - Votação da Reforma Trabalhista

 

26/04 - Quarta-feira

09h - Vigília na Câmara dos Deputados

 

28/04 - Greve Geral

01/05 - Manifestações em todo brasil

02/05 - Ocupa Brasília - Concentração em Brasília com acampamento e manifestações permanentes no Congresso Nacional contra a subtração de direitos e a precarização do trabalho e contra o desmonte da Previdência Pública.

 

Placar da Previdência

Outra ferramenta de pressão utilizada pelas Centrais é o Placar da Previdência. Criado por jornalistas, ativistas digitais e hackers em conjunto com entidades do movimento social e sindical, o site visa denunciar os parlamentares que são favoráveis à reforma da Previdência.

A população poderá se informar pelo site e enviar mensagens por e-mail e para redes sociais reivindicando a rejeição da proposta de reforma.

Clique AQUI para acessar o Placar da Previdência.

 

Portal CTB com agências