22
Sex, Set

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

A Frente Povo Sem Medo emitiu, no último sábado (13), uma nota oficial em que convoca sua militância para participar do movimento #OcupeBrasília, que instalará um acampamento na capital federal no dia 24 de maio. A decisão foi tomada depois uma reunião do comando da Frente na sede nacional da CTB, em São Paulo.

Para o secretário de Políticas Sociais da CTB, Carlos Rogério Nunes, o momento político exige medidas extraordinárias na luta contra as “contra-reformas do governo Temer”. “A luta não é só para tirar o governo ilegítimo de Temer e convocar eleições diretas, mas também para aprofundar propostas populares que não foram totalmente executadas nos governos Lula e Dilma”, refletiu.

Ouça a declaração completa do dirigente:

As centrais sindicais, entre elas a Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), organizam uma grande marcha que será realizada no dia 24 de maio. Diversas lideranças do movimento sindical, estudantil, de moradia, negro, mulheres entre outros estão a caminho de Brasília com o objetivo de pressionar os parlamentares contra a aprovação das medidas.

Abaixo segue a nota oficial da Frente Povo Sem Medo na íntegra:

Declaração Política da Frente Povo Sem Medo - Maio de 2017

O último dia 28 de abril mostrou a disposição de luta de todo o povo brasileiro. Em todo país diversas categorias paralisaram, inclusive o setor de transportes das principais cidades, o que colaborou para o envolvimento de aproximadamente 35 milhões de trabalhadores. Além das paralisações, travamentos, piquetes e grandes manifestações com ampla participação dos movimentos sociais ajudaram a construir a maior greve geral dos últimos 30 anos.

Apesar de iniciativa clara do governo Temer e de parte da imprensa de diminuir o tamanho da greve, não foi possível esconder da população e o sentimento ao final do dia era de uma mobilização de sucesso. Além da campanha nas mídias, os governos optaram pela via da repressão para enfraquecer as manifestações. O ataque covarde ao jovem Matheus Ferreira em Goiânia, a prisão arbitrária de três militantes do MTST em São Paulo e os atos de violência praticados pela PM nas manifestações do Rio e de São Paulo foram marcas também desse dia. É importante destacar também, além dos ataques às manifestações, o aprofundamento da violência principalmente contra a população LGBT, mulheres, negras, negros e indígenas.

Pesquisa recente divulgada pelo Datafolha mostra que 71% dos brasileiros são contra a Reforma da Previdência. Apesar disso o governo ilegítimo de Michel Temer, menos de uma semana após a greve geral, aprovou o texto da reforma na Comissão da Câmara dos Deputados. A tramitação da Reforma Trabalhista também continua no Senado.

As delações premiadas da Odebrecht colocaram todo o governo sob suspeita de corrupção. Nove ministros, entre eles Eliseu Padilha e Moreira Franco, além do próprio presidente Temer foram citados. Temer apesar das denúncias de ter negociado o recebimento de 40 milhões de dólares juntamente com Eduardo Cunha, só não está sendo investigado pela imunidade do cargo.

Diante de tantos escândalos e de uma aprovação de apenas 9% na última pesquisa, para Temer está claro que só é possível se manter no governo até 2018 se entregar para o Mercado as prometidas Reformas. Por isso tem usado de todos os meios para manter a base parlamentar e, apesar das mobilizações massivas do último período, avança com seus projetos na Câmara e no Senado. Esse Congresso, que leva adiante as reformas de Temer e que, assim como ele, não tem nenhuma autoridade moral.

Para a Frente Povo Sem Medo é fundamental persistir nas mobilizações que enfrentem a Reforma Trabalhista e a Reforma da Previdência. O exemplo do dia 28 de abril mostra que o povo trabalhador tem disposição de lutar contra as propostas de Temer. As mudanças no calendário de votação da Reforma da Previdência, mostram que a base parlamentar tem sentido a pressão das ruas. Por isso chamamos todas e todos para ocupar Brasília no dia 24 de maio. Consideramos também fundamental que as centrais sindicais concentrem esforços na construção de uma nova greve geral.

As inúmeras denúncias de corrupção só reforçam a ilegitimidade desse governo. Um governo que não foi eleito e está promovendo a maior retirada de direitos da história do país não pode continuar. Por isso precisamos persistir na luta pelo “Fora Temer” e convocação de novas eleições diretas já. Essa proposta é aprovada por 85% dos brasileiros e deve apontar os caminhos da luta no próximo período.

Num momento em que a classe trabalhadora volta às ruas com grande força, mais do que resistir aos ataques desse governo ilegítimo precisamos ter a certeza de que é possível vencer agora. O Povo Sem Medo vai ocupar as ruas, as fábricas, as universidades, as escolas e os bairros. Vamos juntos construir nossa vitória!

Aqui está o Povo Sem Medo!

Em nossa última reunião do operativo nacional definimos os seguintes encaminhamentos:

- Estimular plenárias e debates públicos em todo o país sobre as Reformas da Previdência e Trabalhista;
- Realizar reuniões dos operativos estaduais para discutir mobilização para Brasília no dia 24 de maio;
- Organizar caravanas da Frente Povo Sem Medo em todos os estados;
- No próximo dia 17 de maio, realizar ações de pressão sobre os parlamentares nos estados.
- Construir um grande dia de mobilização em Brasília no próximo dia 24;
- Indicativo de atos estaduais contra as Reformas no próximo dia 28 de maio.

Portal CTB