24
Dom, Set

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

Uma sonora vaia e gritos de golpista ao ministro da Saúde, Ricardo Barros, marcaram a abertura da 2ª Conferência Nacional de Saúde das Mulheres. Ricardo Barros, falou mas sua voz não foi ouvida. Durante toda sua intervenção as delegadas ficaram de costas e gritaram palavras de ordem de “fora golpista” e “fora Temer”. 

A Conferência começou na noite desta quinta-feira (17), no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, em Brasília. O evento, que se estende até o dia 20, reúne quase 2 mil delegadas e delegados de todo o Brasil.

2 conferencia nacional saude mulheres 2017 08 17 vaias

Mulheres de Luta: participantes da conferência vaiam ministro da Saúde na abertura 

Tendo como tema central a “Saúde das Mulheres: desafios para a integralidade com equidade”, a maioria dos convidados da abertura do evento, sendo representantes dos movimentos sociais, de luta pela saúde pública e universal e em defesa do SUS, trouxe à tona o debate sobre a democracia brasileira, aviltada pelo golpe e que trouxe como consequência o congelamento por 20 anos dos investimentos públicos, que atingem diretamente a saúde do povo brasileiro.

Segundo a Secretária de Saúde da CTB, Elgiane Lago, esse é um momento para se refletir sobre o momento que vive o país, onde o governo, descomprometido com o bem-estar do seu povo, ataca um dos principais direitos básicos dos homens e mulheres brasileiras, que é o acesso à saúde. “Estamos aqui para defender a saúde pública e nos manifestar contra a privatização do SUS e o congelamento dos recursos públicos para a saúde e educação, expressos na emenda constitucional 95/2016”, anunciou Elgiane.

conferencia saude mulher vaias ministro golpista 2017 08 17

Ricardo Barros não consegue disfarçar constrangimento

A vice-presidenta da CTB-RS, Silvana Conti, afirmou que a CTB está em Brasília com uma expressiva delegação para defender as políticas públicas que foram conquistadas com muita luta pelo povo brasileiro e, em especial, pelas mulheres que são a maioria da população. “É inadmissível que, em pleno século XXI, tenhamos que nos mobilizar por direitos civilizacionais básicos de qualquer sociedade desenvolvida e que o golpista Temer retira e recoloca o país no atraso diante da humanidade”, garante a cetebista.

Vanja Santos, presidenta da União Brasileira de Mulheres (UBM), afirmou que a entidade está empenhada na luta pela saúde integral das mulheres e, por isso, participaram de todas as etapas de base que proporcionou a eleição de dezenas de delegadas ligadas à entidade.

Mulheres rechaçam demagogia de ministro. Assista! 

“As representantes da UBM que aqui estão, são mulheres preparadas para fazer o debate, compreendendo que só é possível retomarmos as políticas públicas, se derrotarmos o golpe que está retirando os direitos das mulheres. Por isso, nosso papel aqui é denunciar o golpe e lutar por nenhum direito a menos”, conclui Vanja.

Leia mais

Para dar visibilidade às questões da saúde e da vida, mulheres caminham em Brasília nesta quinta

Em defesa do SUS, a CTB participa da 2ª Conferência Nacional de Saúde das Mulheres

De Brasília, Sônia Corrêa – Portal CTB