Sidebar

11
Ter, Dez

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

Agora é tudo ou nada! Depois da enrolação na reunião da última sexta-feira (17), o Comando Nacional dos Bancários deu um ultimato aos bancos, que prometeram apresentar uma proposta global à pauta de reivindicação da categoria na rodada de negociação marcada para esta terça-feira, 21 de agosto, a partir das 14h, em São Paulo.

Esta não será apenas mais uma reunião da campanha, uma vez que ficou acordado, que o encontro só vai se encerrar quando houver uma proposta completa ou a negociação chegar a um impasse. Seja qual for o desfecho, o resultado será levado às assembleias, para que os bancários definam os rumos da campanha.

“Não dá para esperar, chegamos ao nosso limite! Já tivemos sete rodadas de negociação, e até o momento a Fenaban só apresentou uma proposta incompleta, que não garantia aumento real nos salários, emprego e nem os direitos contido na Convenção Coletiva de Trabalho. Proposta esta, que foi rejeitada por unanimidade pela categoria. Agora, vamos cobrar ainda com mais veemência uma proposta completa à nossa pauta. Afinal, o mês de agosto está terminando e até agora nada de proposta decente”, ressaltou o presidente da Federação Bahia e Sergipe, Hermelino Neto, que integra o Comando Nacional dos Bancários.

Com data base em 1º de setembro, os bancários reivindicam aumento real de 5% nos salários e outras verbas econômicas, garantia de emprego e dos direitos que estão na CCT, fim do assédio moral e da pressão por metas, além da adoção de políticas que garantam saúde, segurança, igualdade de oportunidades e melhores condições de trabalho no setor bancário.

Até o momento, os bancos apresentaram apenas uma proposta de reajuste dos salários, vales, tíquetes, PLR e outras verbas econômicas pelo índice da inflação do período, estimada em 3,79%. O percentual não chega nem perto do aumento médio dos lucros dos bancos, que ficou em 15,57%, segundo levantamento da Consultoria Economática.

Diante da situação, a categoria precisa ampliar ainda mais a mobilização e se preparar para uma semana decisiva para a campanha nacional 2018. Até sexta sai uma decisão.

Feebbase - Federação dos Bancários dos Estados da Bahia e de Sergipe

0
0
0
s2sdefault