Sidebar

11
Ter, Dez

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua, do IBGE, divulgada nesta terça (31) indica que o desemprego atinge mais de 13 milhões. Ainda que a taxa média de desemprego no país tenha ficado em 12,4% no trimestre encerrado em junho, abaixo de março (13,1%) e de igual período de 2017 (13%), o emprego formal - com carteira assinada - recua.

O estudo aponta que a estabilização do índice tem como base o avanço do trabalho informal que atinge pelo menos 37.060 milhões de brasileiros. O IBGE mostra que são menos 497 mil vagas formais e o total de empregados sem carteira (10,989 milhões) aumentou 3,5% (367 mil). Além disso, o A número de empregadores avançou no últimos 12 meses (mais 176 mil, 4,2%), principalmente sem CNPJ (10,5%). Esse grupo soma 4,367 milhões.

Ds dados indicam que quatro em cada dez brasileiros com trabalho atuam de maneira informal, sem nenhuma amparo de legislação. 

E fica pior, o número de brasileiros fora da força de trabalho (que não trabalham nem procuram, chamado de desemprego por desalento) atingiu 65,6 milhões, um aumento de 1,2% em 3 meses ou de 774 mil pessoas. Em 1 ano, houve alta de 1,9%, ou um aumento de 1,2 milhão de pessoas.

Segundo Cimar Azeredo, coordenador de Trabalho e Rendimento do IBGE, pode haver mais trabalhadores na informalidade que não estão sendo enxergados nesse cálculo, como, por exemplo, aqueles com CNPJ que não estão em dia com suas contribuições. “São 40,6% da população ocupada que se encontra na proxy da informalidade”, declarou Azeredo.

Portal CTB - Com informações das agências

0
0
0
s2sdefault