Sidebar

14
Sex, Dez

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

O vereador do Rio de Janeiro, David Miranda (PSOL-RJ), vai apresentar uma denúncia contra o vereador Carlos Bolsonaro (PSL-RJ) à Comissão de Ética da Câmara Municipal da capital fluminense. A denúncia por quebra de decoro se refere à postagem do filho de Jair Bolsonaro atacando o movimento liderado por mulheres "Ele Não" contra a candidatura de extrema-direita.

Vânia Marques Pinto, secretária de Políticas Sociais da CTB, acredita que “o sentimento contra a política, forjado por setores da elite brasileira travestido de antipetismo escancarou uma face cruel da nossa sociedade”. De acordo com ela, a mídia burguesa e parte da elite "insuflaram a violência e agora não sabem o que fazer para conter essa onda fascista que está nas ruas batendo em mulheres e atentando contra a democracia e a liberdade".

A sindicalista baiana diz isso, chocada com a postagem feita pelo vereador, Carlos Bolsonaro. O político carioca fez uma crítica grotesca ao movimento #EleNão, que ganha as redes sociais no Brasil e no mundo e no sábado (29) vai tomar as ruas de todo o país e em pelo menos 50 cidades, já confirmadas, espalhadas pelo mundo.

Em seu Instagram, o vereador fascista postou a imagem de um homem com um saco plástico na cabeça, ensanguentado, com a inscrição #EleNão em seu peito, tirada do perfil de Ronaldo Creative, e acrescentou a frase “sobre pais que choram no banheiro".

carlos bolosnaro125861

A postagem que insufla o ódio e a violência

Especialistas explicam que essa frase é comumente usada para representar pais que se decepcionaram com seus filhos, via de regra ligada à orientação sexual deles. “É um absurdo que isso ocorra em pleno século 21”, diz Ivânia Pereira, vice-presidenta da CTB.

Para a sindicalista sergipana, a argumentação do vereador do PSL-RJ tentando defender a sua postagem denuncia o seu propósito de apologia à tortura. “A atitude desse vereador, fortalece ainda mais o movimento de repulsa à candidatura do seu pai, porque escancara a desumanidade das pessoas que pensam igual a eles e querem retroceder ao século 18”.

Além do mais, “essa postagem não vai intimidar as mulheres e nem os LGBTi+. Resistência é a única palavra de ordem", afirma o vereador David Miranda. "A extrema-direita está solta batendo e ameaçando as pessoas que pensam diferente deles e uma postagem dessas, reforça o sentimento de que as coisas devem ser resolvidas na base da truculência e na falta de diálogo e inteligência", diz Vânia.

Por isso,acentua, “as pessoas do campo popular e democrático devem se unir às mulheres para dar um basta à essa violência inominável lotando as ruas de todas as cidades brasileiras no sábado. Vamos gritar bem alto: ele não”.

Marcos Aurélio Ruy – Portal CTB

0
0
0
s2sdefault