Sidebar

10
Seg, Dez

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

O candidato da extrema-direita Jair Bolsonaro entrou na Justiça com um pedido de censura à página “Bolsonaro Não” da União Nacional dos Estudantes (UNE) e o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) acatou o pedido, nesta segunda-feira (22).

“Essa medida de Bolsonaro é porque ele não aceita que pessoas pensem diferente dele, não aceita que organizações tenham pensamentos, ele chegou a dizer que não quer jovens críticos no nosso país deve ser por isso que ele se sente coagido com a nossa campanha. Nós aprovamos essa campanha porque para nós da UNE seu projeto fere a nossa existência. No dia da eleição no primeiro turno ele fez uma declaração dizendo que se eleito fosse ele acabaria com o ativismo no Brasil”, diz Marianna Dias, presidenta da UNE.

Marianna explica que a UNE não é financiada com dinheiro público. Por isso, a argumentação do candidato de Michel Temer e da repressão não se sustenta. “Ele não cansa de fazer fake news, de falar coisas que não são verdades. Não existe nenhum dinheiro público financiando nenhum um tipo de campanha que a UNE venha a fazer. Quem deve explicações a cerca de dinheiro de campanha é o próprio candidato Bolsonaro que está sendo investigado por Caixa Dois”.

 Em nota a entidade dos universitários brasileiros  reforça o ataque à liberdade de expressão. “É uma tentativa nítida de cercear a opinião dos estudantes brasileiros, que se organizam em todo país em defesa da democracia e contra o autoritarismo. Nossa postura de firmeza se mantém, contrapor as ideias de Bolsonaro faz parte da democracia”, diz trecho da nota (lei a íntegra abaixo).

Marianna reafirma a disposição de resistência e luta da UNE, como importante organização representativa da juventude brasileira. “Já resistimos a períodos duros nesse país e continuamos a resistir ao lado das mulheres e dos trabalhadores que querem viver num país de paz. Nós não vamos recuar”, afirma.

A jovem presidenta da UNE reafirma ainda que “sempre tivemos opinião em todas as eleições nos temas que no diz respeito. Como a privatização das universidades públicas”. Por isso, “tomamos a decisão de organizar uma oposição à candidatura de Bolsonaro pelo perigo que ele representa para a educação pública”.

Assista ao vídeo e Marianna Dias: 

Leia nota de repúdio da UNE na íntegra:

#EleNão vai nos calar: nota oficial da UNE

Jair Bolsonaro tenta censurar a entidade e retirar postagens dos estudantes sobre as eleições. A União Nacional dos Estudantes foi acionada na justiça pelo candidato Jair Bolsonaro por conta da campanha “Bolsonaro Não”. O candidato solicita ao Tribunal Superior Eleitoral que a UNE retire as postagens relacionadas a campanha do ar, e afirma que a entidade não pode ter posicionamento no processo eleitoral.

É uma tentativa nítida de cercear a opinião dos estudantes brasileiros, que se organizam em todo país em defesa da democracia e contra o autoritarismo. Nossa postura de firmeza se mantém, contrapor as ideias de Bolsonaro faz parte da democracia. #EleNão vai nos calar!

Porta CTB

0
0
0
s2sdefault