Sidebar

26
Qua, Jun

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

A Advocacia-Geral da União (AGU) informou nesta quinta-feira (25) que aguarda um levantamento dos ministérios sobre os prejuízos causados durante a manifestação na Esplanada dos Ministérios contra o governo na quarta (24). Com esse cálculo, a AGU irá, "ajuizar ação que vai cobrar o ressarcimento aos cofres públicos contra os organizadores, ou seja, as centrais sindicais", diz comunicado oficial.

Em nota, o presidente da CTB, Adilson Araújo, afirmou que a atitude do governo "cheira a mais uma tentativa de amordaçar e criminalizar o movimento sindical brasileiro". Para Adilson, neste momento de profunda instabilidade política, seria melhor que a AGU buscasse cumprir o seu papel de ajudar o país a encontrar as soluções necessárias ao seu desenvolvimento e aprimoramento.

"Culpar a classe trabalhadora, que soube de forma consequente levar quase 200 mil manifestantes a Brasília para cobrar soluções para o país, defender a Previdência e a CLT contras os ataque do governo ilegítimo, é no mínimo uma insensatez", afirmou (leia nota na íntegra abaixo).

O Ocupe Brasília e a 9ª Marcha Trabalhadora realizaram uma manifestação histórica em Brasília ontem. Mais de 150 mil pessoas protestaram pacificamente contra o governo e um grupo de manifestantes quebrou vidraças de ministérios e ateou fogo em objetos.

Em resposta a este pequeno grupo, a polícia militar promoveu uma violenta repressão à manifestação como um todo e usou a cavalaria, bombas, gás de pimenta, balas de borracha e até arma de fogo. E depois, por decreto, convocou as Forças Armadas. Cerca de 50 pessoas ficaram feridas.

O povo não pode ser culpado pela desordem do país, mais ainda pela bagunça promovida por prepostos militares infiltrados a mando da direita para tumultuar uma pacífica manifestação

O ministro da Defesa, Raul Jungmann, em pronunciamento hoje, anunciou a revogação do decreto baixado ontem, mas não deu qualquer satisfação sobre a desmedida violência utilizada pelas forças policiais contra a população, comprovada por uma centena de vídeos. 

Nota da CTB:

"Seria melhor que a AGU buscasse cumprir o seu papel de ajudar o país a encontrar as soluções necessárias ao desenvolvimento e aprimoramento do Estado Brasileiro. Sobretudo, neste momento de profunda instabilidade política e colapso econômico. Culpar a classe trabalhadora, que soube de forma consequente levar quase 200 mil manifestantes a Brasília para cobrar soluções para a profunda crise que o país atravessa, defender a Previdência e a CLT contras os ataques do governo ilegítimo, é no mínimo uma insensatez. O povo não pode ser culpado pela desordem do país, mais ainda pela bagunça promovida por prepostos militares infiltrados a mando da direita para tumultuar uma pacífica manifestação. Isso cheira a mais uma tentativa de amordaçar e criminalizar o movimento sindical brasileiro. Não nos calarão."
 
Adilson Araújo - Presidente Nacional da CTB

 

Portal CTB 

 
 
0
0
0
s2sdefault