18
Seg, Dez

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

O governo Michel Temer lidera uma agenda brutal de retirada de direitos sociais. Não é por outra razão que o golpe de Estado de 2016, um golpe do capital contra o trabalho cujo principal objetivo é a estauração do neoliberalismo no Brasil, fez da classe trabalhadora e dos sindicatos seus principais alvos e vítimas.

Adilson Araújo: A reforma trabalhista precariza, mutila e mata

A reforma trabalhista é um atentado contra o Direito do Trabalho, à CLT (Consolidação das Leis do Trabalho) e à Constituição de 1988. A lógica da direita neoliberal é simples e cristalina: favorecer o patrão e precarizar a classe trabalhadora. E para alcançar esse objetivo, buscam enfraquecer o movimento sindical.

A CTB segue firme em sua luta em defesa dos direitos sociais e trabalhistas e pelo fortalecimento do movimento sindical brasileiro. Ao mesmo tempo em que denuncia firmemente o caráter reacionário e inconstitucional das mudanças sancionadas por Temer.

A publicação, impressão e distribuição desta cartilha compõe uma campanha nacional de conscientização e mobilização de nossas bases que nossa Central empreenderá no próximo período. Nosso objetivo é orientar sobre o impacto da reforma, e reforçar nossa ligação com as massas trabalhadoras, ampliando nossa esfera de ação e reforçando nossa representatividade. Boa leitura!

Adilson Araújo
Presidente Nacional da CTB

 

Portal CTB

0
0
0
s2sdefault